Sérgio Toledo

27 de fevereiro de 2018

As lesões esportivas.

Prevenir que remediar. Assim deveria ser a medicina como um todo. A prevenção é a palavra maldita para os administradores, pois parte do principio de nada existindo haveria gasto. Sim gasto para não tê-lo maior adiante.
A recente lesão de um atleta de grande importância no cenário futebolístico nacional e internacional levanta essa bandeira da prevenção.
No caso específico de um futebolista que usa principalmente os membros inferiores a prevenção será sempre a de fortalecer as estruturas articulares e musculares e como consequência as ligamentares presentes.
O atleta deveria só entrar em campo quando apresentasse cem por cento de sua capacidade física e psicológica.
Havemos que entender que os materiais de proteção individual são muito importantes. Chuteiras, tornozeleiras, caneleiras, etc. são deveras importantes. O piso dos gramados com perfeita consonância com a prática do esporte bretão.
E a carga de trabalho? Todos pensam que a pratica do esporte profissionalmente é um divertimento. Uma coisa lúdica, quando na verdade é um trabalho como outro qualquer que necessita de resultados e apresenta pressão por melhora e chegada à perfeição.
Temos ainda que considerar que na maioria das vezes os esportes competitivos são de contato o que leva a presença de lesões mesmo que o atleta caia ou se machuque sozinho.