Blog do Dresch

22 de fevereiro de 2018

General teme por nova Comissão da Verdade

O comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas defendeu que os militares que atuarão na segurança do Rio de Janeiro precisam de “garantias” para não ter de enfrentar “uma nova Comissão da Verdade”. O assunto foi levantado pelo general em reunião dos Conselhos da República e de Defesa Nacional esta semana. “Os militares precisam ter garantia para não enfrentar daqui a 30 anos uma nova Comissão da Verdade pelo que vamos enfrentar no Rio durante a intervenção” disse. A Comissão funcionou entre 2012 e 2014, e apurou as violações de direitos humanos ocorridas durante a ditadura militar (1964-1985), tendo como foco principal os desaparecidos políticos.

Exército quer garantias 2

A afirmativa do comandante aconteceu ao destacar o risco de enfrentamento das tropas militares com as quadrilhas armadas da cidade, que podem terminar em mortes. Villas Bôas solicitou ainda recursos financeiros, equipamentos e pediu que o Planalto realizasse uma ampla campanha publicitária em defesa da ação. Isso porque a operação necessita do apoio da população em um momento que as autoridades estão desacreditadas. Na oportunidade os dois conselhos aprovaram a intervenção por maioria de votos, sendo que o da Defesa Social aprovou por unanimidade.

 

Municípios ganham R$ 2 bi

O Congresso Nacional aprovou a liberação de um repasse de R$ 2 bilhões para os municípios com projetos vinculados aos ministérios da Saúde, Educação e Desenvolvimento Social. Do total a ser repassado para os municípios, os projetos da área da saúde terão 50%, da educação 30% e 20% na assistência social. O Projeto de Lei do Congresso Nacional (PLN) aprovado tem na sua origem uma medida provisória assinada pelo presidente Temer no fim do ano passado e que aumenta o Fundo de Participação dos Municípios (FPM), principal fonte de recursos da maior parte das prefeituras do país. A “bondade” governamental visava conseguir o apoio dos prefeitos para a aprovação da reforma da Previdência. Para o presidente da Confederação Nacional dos Municípios (CNM) Paulo Ziukolski, o crédito adicional representa apenas um quarto do FPM de um mês, e a maioria dos municípios aguardava a liberação dos recursos para fechar as contas de 2017. Os prefeitos até haviam divulgado uma nota de protesto contra Michel Temer, por ele não cumprir o que havia sido combinado.

Viaduto em fase final

Segundo a Secretaria de Estado do Transporte e Desenvolvimento Urbano, as obras do viaduto da AL-101 Norte, em Jacarecica, estão na sua fase de conclusão. O equipamento faz parte do projeto de duplicação da rodovia estadual e é uma das suas fases mais importantes. O viaduto está com 80% dos trabalhos concluídos, faltando somente a construção de terra armada dos dois lados do viaduto, correspondentes as rampas de subida e descida do elevado. Até o final de abril esta fase estará concluída e serão iniciados os trabalhos de implantação dos passeios e instalação dos meios fios em torno do viaduto.

Fundo adquire Fogo de Chão

A rede de churrascarias Fogo de Chão foi adquirida por um fundo de investimentos norte-americano pela bagatela de US$ 560 milhões. Segundo um comunicado da companhia, o fundo Rhône Capital pagará US$ 15,75 por ação, um prêmio de mais de 25%, já que as ações fecharam em US$ 12,55 três dias atrás. A companhia estima que a aquisição deve ser finalizada no segundo trimestre deste ano. Nascida em 1979, a Fogo de Chão possui 38 restaurantes nos Estados Unidos, nove no Brasil e possui ainda duas parcerias no México e outras duas no Oriente Médio. A Rhône Capital é um fundo de investimento com mais de US$ 5 bilhões em ativos sob sua administração. A empresa atua nas áreas de aviação, produtos químicos, bens de consumo, alimentos e varejo.

Desaparecido identificado

Foi identificado o primeiro desaparecido político desde a retomada dos trabalhos de análise das ossadas do Cemitério de Perus, na Zona norte paulistana, em 2014. A partir dos exames de DNA realizados pela Comissão Internacional de Pessoas Desaparecidas constatou-se a identidade de Dimas Antônio Casemiro nos restos mortais encontrados no ossário. Então com 25 anos, Casemiro foi torturado e assassinado por agentes da repressão da ditadura militar, em 1971. Militante da Vanguarda Armada Revolucionária Palmares e do Movimento Revolucionário Tiradentes, ele teve a morte acobertada com um falso relato de tiroteio em 19 de abril daquele ano.

Desaparecido identificado 2

O processo de investigação sobre as ossadas de Perus tem um histórico de quase 30 anos. A vala clandestina foi aberta em setembro de 1990, durante a gestão da então prefeita Luiza Erundina. No local foram encontradas 1.049 ossadas sem identificação de vítimas de esquadrões da morte, indigentes e presos políticos. Na época a prefeitura determinou a apuração dos fatos e firmou convênio com a Universidade de Campinas (Unicamp) para identificação das ossadas. Até hoje, apenas três pessoas tiveram as identidades confirmadas, entre elas o irmão de Casemiro, Dênis Casemiro. O trabalho foi interrompido em 2002 e as ossadas levadas para o Cemitério do Araçá, até 2014, quando o trabalho foi retomado.

 

 

  • Uma antiga gruta na Turquia, conhecida como “Portão do Inferno” teve seu segredo desvendado por cientistas. As histórias davam conta que muitas pessoas morriam, simplesmente ao se aproximar da gruta.
  • A população diz que as mortes aconteciam pelo “sopro mortal” de um deus grego. Na verdade, algumas mortes aconteceram pela inalação de um gás natural nocivo.
  • Um grupo de pesquisadores da Universidade Duisburg-Essen da Alemanha chefiados pelo professor Hardy Pfanz, constatou que os relatos eram mais do que meros contos de mistério.
  • O estudo foi publicado em uma revista científica e explica que a gruta se encontra sobre a falha geológica de Badadag, o que significa que o gás nocivo poderia sair da crosta terrestre e encher a caverna.
  • Até hoje, as ruínas antigas ainda emitem altos níveis de dióxido de carbono que podem ser letais a pequenos animais.
  • Na gruta sob o templo de Pluto, o gás carbônico tem uma concentração mortal de 91%, assinala a pesquisa. Estes vapores ainda hoje são emitidos em concentrações que matam insetos, pássaros e mamíferos.