Blog do Dresch

14 de fevereiro de 2017

Neymar presenteia cupido que o aproximou de Bruna Marquezine com carrão

Quanto vale um cupido? E quando ele ajuda na reaproximação de um craque do futebol com uma estrela da televisão? Não custa pouco. Neymar que o diga. O jogador resolveu presentear o promoter David Brazil por ajudar a convencer Bruna Marquezine a voltar para seus braços. O presente foi um carrão, um Toyota Hilux, modelo 2017, avaliado em cerca de R$ 150 mil. Próximo dos dois, David teve um papel fundamental na recente reconciliação do badalado casal, que atualmente vive uma espécie de lua de mel na Europa, entre um jogo e outro do atacante pelo Barcelona. Neymar e Bruna Marquezine tiveram a primeira recaída, depois de quase dois anos separados, numa festa junina na casa de Angélica e Luciano Huck, em 2016. Depois, eles voltaram a se reaproximar durante a Olimpíada do Rio. Em todo esse tempo, a pedido do jogador, o promoter fez o meio de campo, batalhando pela volta definitiva do casal. Os dois, no entanto, só assumiram publicamente que estavam juntos de novo no fim do ano passado.
Pajuçara bem na fita na azaração
Um levantamento feito pelo site Hoteis.com e pelo aplicativo de namoro Happn aponta as areias mais frequentadas pelos solteiros no ano passado, com opções de hospedagem a partir de R$60 por pessoa. A número um da lista é a Praia de Pajuçara, a principal de Maceió, um paraíso de águas calmas e verdinhas onde há piscinas naturais. A vice-campeã em azaração é Balneário Camboriú, no litoral norte de Santa Catarina. O estado também aparece na lista com a famosa Jurerê Internacional (4º lugar), e com a Praia da Joaquina (7º lugar). A Bahia ocupa o terceiro lugar com a consagrada (e muito cantada) Praia de Itapuã, em Salvador, e o nono lugar, com Arraial D`Ajuda, em Porto Seguro. Pernambuco, Paraíba e Rio Grande do Norte também são bons destinos para quem procura um amor de verão no Nordeste. Já na Região Sudeste, os solteiros elegeram como destino a Praia de Camburi, a maior de Vitória, no Espírito Santo. Sua orla ganhou novos quiosques este ano, virando um point para encontros. O Rio de Janeiro fecha a lista com as praias de Ipanema, na Zona Sul, e da Barra da Tijuca, na Zona Oeste. Destinos queridos também pelos cariocas, que curtem a agitação durante o dia e os vários bares e boates à noite.
Heineken mais forte
A Heineken anunciou ontem que assinou acordo com a japonesa Kirin para compra da Brasil Kirin, em uma transação que a tornará a segunda maior fabricante de cervejas do país. A Brasil Kirin é dona da Schin.nIncluindo dívidas, a Heineken informou que pagará US$ 1,09 bilhão pela Brasil Kirin, a fim de aumentar sua presença no mercado brasileiro, fortalecer seu portfólio de marcas e ganhar escala. Após a conclusão do negócio, a companhia holandesa passará a ter uma participação de mercado de quase 19 por cento. No caso da Kirin, o acordo marca a sua saída do Brasil. O grupo japonês pagou cerca de 3,9 bilhões de dólares em 2011 por 12 cervejarias, mas o negócio depois perdeu fatia de mercado e teve os custos elevados pela fraqueza da moeda local.
Heineken mais forte 2
A Kirin disse que os riscos brasileiros e o competitivo e estagnado segmento de cervejas e refrigerantes no país eram “limitações” para tornar a Brasil Kirin rentável. De acordo com a empresa, a unidade brasileira teve prejuízo operacional de R$ 284 milhões em 2016. A economia brasileira parece propensa a entrar no terceiro ano de recessão em 2017, mas a Heineken considera o mercado de cervejas atrativo no longo prazo, com o segmento premium crescendo mais rápido. A empresa holandesa já tem cinco cervejarias no Brasil, depois de comprar em 2010 os negócios de cerveja da mexicana FEMSA. Alguns analistas também avaliaram o acordo como importante, uma vez que torna a Heineken uma forte rival da líder global AB InBev. A aquisição, que ainda precisa ser aprovada por órgãos reguladores, deve ser concluída na primeira metade do ano.
Censura
Várias entidades de classe criticaram ontem censura imposta pela Justiça aos jornais “Folha de S. Paulo” e “O Globo”. A decisão judicial proíbe a divulgação de reportagens sobre a chantagem de um hacker condenado por exigir dinheiro da primeira dama, Marcela Temer, para não divulgar dados pessoais dela roubados através da clonagem do celular. As entidades pedem a revisão da sentença. Em abril de 2016, quando o caso veio à tona, a informação era de que Marcela tinha sido chantageada por um hacker que ameaçava divulgar fotos íntimas dela e da família. O processo corria sob segredo de Justiça. 
Censura 2
No entanto, a divulgação de detalhes agora mostra que a ação do hacker envolvia outro tipo de chantagem: ele ameaçava divulgar trechos de uma conversa entre ela e o irmão sobre o marqueteiro de Temer, Arlon Viana, atualmente assessor do presidente da República. Segundo o processo, o hacker Silvonei José de Souza entrou no arquivo remoto de Marcela e acessou a nuvem, onde ficam armazenados vídeos, áudios, senhas e fotos. Assim, clonou os dados para o computador dele. O hacker mandou uma mensagem para Marcela, cobrando R$ 300 mil para não divulgar a conversa dela com o irmão.
*** Tramita na Câmara dos Deputados o Projeto de Lei 6187/16, do deputado Valdir Colatto (PMDB-SC), que inclui exame toxicológico como pré-requisito para conseguir a Carteira Nacional de Habilitação (CNH). A proposta pretende evitar que pessoas dirijam sob o efeito de drogas. 
*** Atualmente, o Código de Trânsito Brasileiro (CTB, Lei 9.503/97) prevê exames de aptidão física e mental, sobre legislação de trânsito e noções de primeiros socorros, além da prova de direção.
*** De acordo com o projeto, o exame só deverá ser feito por aqueles que ainda não têm carteira de habilitação, e não será exigido para renovar a CNH. 
*** O teste deverá ser feito em dois momentos: antes da obtenção da carteira provisória, que tem validade de um ano; e na obtenção do documento definitivo. Segundo o Mapa da Violência 2014, citado por Colatto, a taxa de jovens mortos no trânsito no Brasil é de 29,3 óbitos para cada 100 mil habitantes; maior que a média nacional (23).