Blog do Dresch

8 de fevereiro de 2017

Seinfra anuncia avanço de obras do Marco Referencial de Maceió

O cenário do mar de Ponta Verde e Pajuçara terá, em breve, um local de contemplação e convivência, reunindo cultura, culinária e arte. As obras do Marco Referencial de Maceió já estão avançando, com conclusão marcada para o final deste ano. Para edificar a nova estrutura, a obra será realizada em algumas etapas. No momento, está sendo feita e demolição do antigo Alagoinhas e recuperação dos pilares de sustentação. “Não podemos refazer os pilares, por já existir vida marinha no local. Nossa equipe está trabalhando com todos os cuidados exigidos pelo IMA [Instituto do Meio Ambiente], para que não haja nenhum dano ambiental”, esclareceu a secretária de Estado da Infraestrutura, Aparecida Machado, pasta responsável pela obra.
Trump e a desonestidade da imprensa
Com o novo inquilino da Casa Branca o que não falta é novidade, quase todo dia. A mais nova é que a  Casa Branca publicou uma enorme lista de dezenas de atentados que considera terem sido mal cobertos pela imprensa americana. O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, havia acusado na segunda-feira (6) a “muito, muito desonesta” mídia de “não querer cobrir” alguns atentados. Eles “tem suas razões e vocês as conhecem”, acrescentou, sem embasar sua declaração, durante uma visita ao comando militar americano, na Flórida, encarregado do Oriente Médio e da luta contra o grupo Estado Islâmico (EI). Para fundamentar sua afirmação, o porta-voz da Presidência, Sean Spicer, prometeu publicar uma lista dos “muitos exemplos (de atentados) que não tiveram a cobertura que mereciam”. Como preâmbulo desta lista de 78 ataques, publicada na noite de segunda-feira, a Casa Branca afirma que “desde que o EI proclamou seu califado” em junho de 2014, “ocorreu a cada duas semanas um grande atentado executado ou inspirado pelo grupo”. “A maioria não recebeu a atenção que merecia por parte da imprensa”, declara o governo americano. A Casa Branca menciona o local, o mês do atentado, o número de vítimas fatais, de feridos e o nome dos agressores. Mas não dá sua nacionalidade, excetuando-se quando se trata de “americanos” que, entretanto, não são identificados. Entre os atentados citados destaca-se o da Península de Sinai, no Egito, em 31 de outubro de 2015, contra um Airbus A321 russo que deixou 224 mortos, a maioria turistas russos.
Eurico e homossexualidade
Presidente do Vasco, Eurico Miranda deu mais uma entrevista polêmica em sua carreira como dirigente no futebol. O mandatário vascaíno afirmou ser contra que gays sejam árbitros no futebol. Ele destacou como justificativa o fato de esses gays ficarem com a tendência de favorecer possíveis namorados que sejam jogadores de uma equipe que esteja em campo.  “Eu não sou contra o gay. Me manifestei no futebol sobre isso por ser contra árbitro gay. Isso desde lá atrás. Motivo de eu ser contra? Não tenho nada contra o gay, agora contra o chamado por todo mundo de gay, mas não é gay, é a bicha, a bicha extrovertida e toda cheia de coisa… – afirmou em entrevista ao canal da Antonia Fontenelle no Youtube, antes de completar: “Ele pode tender para o namorado dele. Todo gay tem namorado. Ele é gay, tem que ter namorado. Desde o tempo de lá atrás, como o Margarida”, disse Miranda. O Vasco volta a campo nesta quinta-feira, contra o Santos-AP, em Natal, pela estreia na Copa do Brasil.
Bom exemplo 1
Deu no portal G-1, ontem. Ângelo Thomaz Duarte Cavalcante, de 20 anos, ficou ‘desaparecido’ do ambiente digital no último ano. Desativou suas contas nas redes sociais e restringiu as saídas de fim de semana com os amigos. Cortou até o celular. Tudo isso por um objetivo: ser aprovado em medicina na Universidade de São Paulo (USP). E o esforço valeu a pena.  Além da USP, Angelo foi aprovado em outras oito universidades de medicina, sendo quatro públicas e gabaritou nas disciplinas de biologia e química na Fuvest. O morador de Suzano é o primeiro da família a estudar em uma universidade pública e a cursar medicina.
Bom exemplo 2 
O segredo, segundo ele, foi tomar uma atitude dolorida, mas bem simples: sair das redes sociais e cortar o celular. “Eu resolvi ficar bem focado nos estudos. Não foi fácil, porque eu só estudava. Cortei celular, desativei minhas contas nas redes sociais e quase parei de sair de casa. A rotina era de 14 horas de estudo ou mais, mas valeu a pena”, contou.
Bom exemplo 3
O morador de Suzano fez o ensino médio na Etec Presidente Vargas, em Mogi das Cruzes, que apesar de pública, seleciona seus alunos por meio de um exame. Quando terminou, há dois anos, já engatou no cursinho. “Eu já sabia que queria fazer medicina desde os 16. Eu tinha outras opções, mas conforme fui crescendo, fui tendo certeza de que não me vejo fazendo outra coisa. Meus pais me deram condições para que eu só estudasse. Em casa tem um ambiente legal para o estudo, então tudo favorece”, detalhou. 
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
*** Curiosidades. Casos de insetos que penetram no corpo humano existem, apesar de não serem tão comuns. Em uma cidade na Índia, foi retirada uma barata viva dos seios da face de uma mulher. Ela entrou pelo nariz e caminhou dentro do crânio, pelos canais da face. A indiana conta que sentia o bicho se mexendo lá dentro. 
*** As baratas e alguns insetos gostam de locais escuros e estreitos e podem penetrar em orifícios naturais”, diz o médico Vidal Haddad Jr, professor da Faculdade de Medicina da Unesp de Botucatu.
*** A lista de invasores não é pequena. Baratas, besouros, tesourinhas, larvas de moscas (miíases e bernes), bicho de pé (que é uma pulga), vermes e peixes, lista o médico.
Eles saem de seus esconderijos para entrar por qualquer porta: nariz, ouvido, genitais, ânus e até na boca.
*** “Aquela velha frase da sua mãe que dizia para lavar bem a boca e não deixar restos de açúcar por que as baratas vêm à noite roer, por incrível que pareça, é verdade. Já vimos crianças com erosões nos cantos dos lábios por ação de baratas”, conta Haddad.
*** Há casos documentados de infestação por larvas de mosca varejeira, doença chamada de miíase e popularmente batizado de bicheira. As moscas colocam ovos em tecidos da boca. Em pessoas doentes, ovulam em machucados, tumores e outras áreas necróticas, que viram alimento para as larvas quando os ovos eclodem.
*** Segundo Patricia Thyssen, bióloga e professora do Instituto de Biologia da USP, um problema anatômico, como a falta de cobertura de palato, agrava o problema. Ela conta que em um dos casos documentados, “a pessoa cuspia e vomitava larvas. Assoava o nariz, e tinha larva de mosca”.