Roberto Baia

5 de fevereiro de 2017

Barra de Santo Antônio

A equipe da prefeita da Barra de Santo Antônio, Emanuella Moura (PSDB), ainda continua perplexa resultado de uma primeira auditoria feita na administração do município, só no mês de janeiro. Documentos sumidos, falta de estrutura nas unidades de saúde e funcionários irregulares, foram algumas das situações deixadas pela equipe de Rogério Farias.

Caos na Saúde

Na área da Saúde, a secretaria Glaucia Torres classificou como um “caos” a situação. “Unidades de saúde estavam sem energia e abastecimento de água”, disse. De acordo com ela, não havia abastecimento de material e medicamentos nos postos.

 

Caos na Assistência

Já na Assistência Social viu o principal problema foi no cadastro das famílias nos programas sociais do Governo Federal. De acordo com o secretário da área, Pablo Jean. “Realizamos um pente-fino e constatamos que os benefícios foram cancelados e outros concedidos à pessoas que não se encaixavam no quadro”, disse.

 

Penedo

O Ministério Público de Alagoas (MP-AL) está investigando supostas irregularidades na lista de cadastramento do programa de habitação social Minha Casa Minha Vida no município de Penedo. A informação foi publicada na última sexta-feira (3), no Diário Oficial do Estado (DOE). Para realizar a investigação, o MP alega que moradores da cidade denunciaram que a lista de cadastramento do programa teve várias correções ao longo do processo.

 

Pedido do Prefeito

A assessoria da prefeitura de Penedo informou que a investigação do caso foi pedida pelo próprio prefeito da cidade Marcius Beltrão (PDT), que analisou a lista e notou que haviam nomes que não deveriam estar cadastrados. Uma comissão formada por cinco servidores efetivos foi criada para apurar o caso.

 

Pediu informações

O órgão solicitou da secretária de habitação todos os cadastros por ordem alfabética dos inscritos no programa, informações sobre os critérios adotados para o cadastramento e sorteio dos beneficiários, informações sobre os motivos do refazimento da última listagem dos sorteados, referente ao Conjunto Velho Chico II e cópia da legislação municipal sobre o programa.

 

Produção de remédio

O Laboratório Farmacêutico de Alagoas (Lifal) será reativado. A informação é do governador Renan Filho, que prometeu viabilizar o laboratório que já chegou a produzir uma variedade de 28 medicamentos e a gerar por volta de 300 empregos.

 

Parceria

 

Hoje, o Lifal está praticamente sem produção, com funcionamento apenas na parte administrativa. Entretanto, adianta o governador, a gestão do Lifal vai acontecer por meio de Parceria Público-Privada (PPP), como acontece em outros Estados da Federação.

 

 

 

 

… “Vamos reativar o Lifal em Parceria Público-Privada como fizeram os maiores laboratórios do país. O Brasil e um Estado pobre como Alagoas não têm como ter hoje a patente dos principais remédios”, justificou o governador.

 

… Renan Filho acrescenta que os grandes laboratórios vivem uma verdadeira guerra por patentes de medicamentos. “Estados pequenos como Alagoas não podem entrar nessa briga, mas o paciente alagoano necessita do medicamento de acesso fácil”, complementa.

 

… “É preciso trazer a iniciativa privada para fazer uma PPP. O Ministério da Saúde, a partir daí, compra os medicamentos e a gente vai faturar no Lifal, gerar emprego e pôr o laboratório para produzir”, completou o governador.