Blog do Dresch

1 de fevereiro de 2017

O flagrante silêncio de Temer sobre a taxa recorde de desemprego no país divulgada ontem

Apesar de mostrar-se com um discurso positivo, o que se viu foi um Michel Temer acuado pelo números negativos divulgados sobre a taxa de desemprego no País divulgada ontem.  Em uma palestra a investidores nacionais e internacionais ontem em São Paulo, Temer fez um discurso otimista sobre a economia brasileira. Falou de reformas estruturais, inflação, juros, mas silenciou sobre a taxa recorde de desemprego no país divulgada na manhã de ontem pelo IBGE. Em 30 minutos de pronunciamento, a questão da geração de empregos foi abordada em um único momento no discurso de Temer, quando ele mencionava a importância da parceria entre governo e iniciativa privada. “Temos também uma agenda de produtividade para o Brasil construída entre o estado e a iniciativa privada que visa à atração de investimentos e criação de empregos”, afirmou Temer. De acordo com o IBGE, taxa de desemprego atingiu 11,5% em 2016 e o número de desempregados atingiu 11,8 milhões. É o maior índice já registrada pelo IBGE na série histórica da pesquisa, iniciada em 2012. 

O silêncio de Temer 2 
O Brasil de Temer fechou 2016 com 12,3 milhões de pessoas desempregadas, com a taxa média móvel encerrando o 4º trimestre em 12%, mostrando estabilidade em relação aos 11,8% relativos ao 3º trimestre móvel do mesmo ano (julho, agosto e setembro), mas ainda assim a maior taxa da série histórica, iniciada em 2012. Em relação ao 4º trimestre móvel de 2015 (9%), a taxa de desemprego cresceu 3,1 pontos percentuais. Os dados fazem parte da pesquisa nacional por Amostra de Domicílio Contínua (Pnade Contínua) e foram divulgados ontem (31), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
Testemunha do holocausto
Morreu Brunhilde Pomsel, a mulher que trabalhou por três anos como secretária de Joseph Goebbels, o braço direito de Hitler. Ela faleceu na última sexta-feira (27) aos 106 anos em uma casa de repouso de Munique, no sul da Alemanha. Sua morte foi confirmada por Christian Krönes, um dos diretores de “Uma vida alemã”, documentário que retrata a vida da ex-funcionária do Ministério para Ilustração Pública e Propaganda, como mostramos nesta reportagem publicada em agosto do ano passado, pouco depois de o filme ser lançado. 
Testemunha do holocausto 2
“Não quebro o silêncio para limpar minha consciência”, disse Brunhilde Pomsel, única testemunha viva do que ocorria no Ministério para Ilustração Pública e Propaganda de Adolf Hitler durante os anos do nazismo (1933-1945), o capítulo mais obscuro da história da Alemanha. Ela trabalhou na pasta por três anos, sob o comando de Joseph Goebbels, responsável pela propaganda nazista e braço direito do Führer.
Testemunha do holocausto 3
A ex-secretária é figura central do documentário Ein deutsches Leben (“Uma vida alemã”, em tradução livre), que estreou em junho no Festival de Cinema de Munique e exibido também no Filmfestival de Jerusalém e no Festival de Cinema Judeu de San Francisco. “Conhecemos a senhora Pomsel por coincidência, enquanto pesquisávamos outra história”, contaram Christian Krönes e Florian Weigensamer, dois dos quatro diretores do filme, ao canal alemão Deutsche Welle.
Testemunha do holocausto 4
“Não era uma nazista ávida. Mas também não se importou (com o que o regime nazista fazia) e olhou para o outro lado. Nisso recai sua culpa”, disse Weigensamer ao jornal americano The New York Times. Mas o documentário não se concentra na responsabilidade particular de Pomsel. Segundo os diretores, “em um momento em que o populismo de direita está no auge na Europa”, eles querem que o filme seja uma lembrança da “capacidade da complacência e da negação do ser humano”. Uma capacidade que também fica evidente em uma entrevista dada por Pomsel ao jornal britânico The Guardian. “Ver o filme é importante para mim, porque posso ver no espelho tudo o que fiz de ruim”, disse a ex-secretária. “Ainda que isso não tenha sido mais que trabalhar no escritório de Goebbels.”
*** O Governo do Estado inicia hoje  (1º) o processo de atualização cadastral bancária de todos os servidores públicos estaduais, incluindo cargos comissionados e funcionários efetivos ativos, inativos e pensionistas, de acordo com a Resolução nº 3.402 do Banco Central.
 
*** Todos os detalhes do procedimento, como prazos, locais e métodos de atendimento, serão apresentados pelos secretários de Estado da Fazenda, George Santoro, e do Planejamento, Fabrício Santos, em coletiva à imprensa hoje, às 8h30, na sede da Secretaria de Estado do Planejamento, Gestão e Patrimônio (Seplag).
 
*** Atualmente, o Estado mantém mais de 70 mil servidores, entre ativos, aposentados e pensionistas, e a atualização é obrigatória para todos eles, sob o risco de suspensão dos salários até devida regularização.
*** E por falar em funcionalismo público estadual, é grande a expectativa para que o Governo do Estado dê início ao processo de elaboração de edital para a realização de concursos públicos, sobretudo nas áreas de educação e segurança pública. O anúncio foi feito pelo governador Renan Filho esta semana.