Blog do Dresch

27 de janeiro de 2017

Interpol à procura do empresário Eike Batista

Sobre o imbróglio da Operação Eficiência, deflagrada ontem para pegar o empresário Eike Batista (aquele mesmo que há alguns anos sonhava em ficar entre os homens mais ricos do mundo) –  a assessoria de imprensa do BKA (Bundeskriminal Amt), que abriga o escritório da Interpol na Alemanha, não tinha até a tarde de ontem informações sobre o paradeiro do empresário, um dos principais alvos da operação Eficiência — sobre esquema de desvio e lavagem de dinheiro de contratos do governo do Estado do Rio na gestão do ex-governador Sérgio Cabral. Mas mesmo que o localize, o BKA não tomaria nenhuma providência em extraditá-lo para o Brasil, o que é proibido pela lei alemã.
Passaporte 2
O empresário viajou para Nova York, com um passaporte alemão, no voo AA974 da American Airlines na última terça-feira. De acordo com o colunista Lauro Jardim, a Polícia Federal suspeita que o empresário seguirá de Nova York para a Alemanha. Eike tem passaporte alemão e, portanto, tem proteção especial da lei do país. Isto significa que pode permanecer na Alemanha mesmo no caso de delitos graves, como homicídio ou tráfico de drogas. Caso o seu envolvimento em um delito grave seja comprovado, ele continua protegido caso a lei do país que o procura ameace com uma penalidade maior do que na Alemanha ou as condições de prisão sejam piores do que nas prisões do país. 
Lançamento
Uma ótima notícia para os que gostam de cultura e, especialmente, de boa leitura sobre aspectos históricos de Alagoas, que este ano vive clima de Bicentenário da Emancipação.  A Imprensa Oficial Graciliano Ramos e a Editora da Universidade Federal de Alagoas (Edufal) irão lançar o livro Indicador Geral do Estado de Alagoas, publicado originalmente em 1902, sob a organização do célebre jornalista e historiador Craveiro Costa. A obra é uma referência para os estudiosos da formação socioeconômica do Estado. O evento está marcado para o dia 1º de fevereiro, às 8h, no auditório Viventes das Alagoas – sede da Imprensa Oficial Graciliano Ramos. Na ocasião, será apresentada uma palestra com o economista Cícero Péricles de Carvalho. Durante a cerimônia, também serão lançados quatro títulos inéditos de jovens escritores alagoanos contemplados em edital da Imprensa Oficial Graciliano Ramos, além da mais recente edição da Revista Graciliano, cujo número resultou num dossiê histórico sobre o período da escravidão no Estado. 
Lamentável
O diretor de cinema Kleber Mendonça Filho classificou como “lamentável” o fato de “Aquarius” não ter sido inscrito pela sua distribuidora americana, a Vitagraph Films, para concorrer ao Oscar nas categorias de melhor filme e atriz. A notícia foi publicada ontem na “Folha de S.Paulo”. O longa já não poderia disputar como filme estrangeiro, já que “Pequeno segredo”, de David Schürmann, foi escolhido pelo governo como o representante brasileiro na premiação americana — da qual acabou ficando de fora. Mesmo oficialmente preterido, “Aquarius” poderia disputar a estatueta nas categorias principais — grandes jornais estrangeiros, incluindo o “New York Times”, defendiam indicações para Sonia Braga e para o filme, eleito por diversas publicações, como a “Cahiers du cinéma”, um dos melhores do ano passado.
Lamentável 2
Filho afirmou ter descoberto há duas semanas, quando estava no Festival de Palm Springs, nos Estados Unidos, que “Aquarius” nunca havia se tornado elegível para o Oscar. Ele recebeu a notícia do próprio presidente da distribuidora, David Shultz. “Creio que seja algo sem precedentes”, afirmou o cineasta pernambucano.  Em dezembro de 2016 a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas divulgou uma lista de 336 longas-metragens elegíveis para o prêmio de melhor filme. “Aquarius” não constava no documento — diferentemente de produções como a alemã “Toni Erdmann” e a francesa “Elle”, atualmente indicadas, respectivamente, a melhor filme estrangeiro e a melhor atriz (Isabelle Huppert).
Lamentável 3
Apesar da frustração, o cineasta lembrou que “Aquarius” foi inscrito, por exemplo, no Globo de Ouro (do qual acabou ficando de fora) e no Independent Spirit, no qual assegurou uma indicação de melhor filme estrangeiro. O longa também concorre ao César, considerado o Oscar francês.
*** Em mais um momento polêmico da sua primeira semana de governo, o presidente Donald Trump defendeu o uso da técnica de simulação de afogamento, conhecida como “waterboarding” em inglês, para a obtenção de informações em interrogatórios. Trump disse que o método, classificado como tortura, funciona. Na sua avaliação, “se combate fogo com fogo”, em referência às práticas adotadas por grupos extremistas. 
*** Em entrevista à rede de TV ABC, o republicano acrescentou que enquanto grupos radicais degolarem pessoas no Oriente Médio, os Estados Unidos “não podem brincar em nenhum campo”.
*** Trump, no entanto, afirmou que consultaria o secretário de Defesa James Mattis e o diretor da central de inteligência, a CIA, Mike Pompeo, sobre a volta da técnica. “Se eles não quiserem, tudo bem.”
*** Ambos já disseram que não são favoráveis ao waterboarding. O ex-diretor da CIA, Leon Panetta, também afirmou que seria “um grave erro voltar atrás” em relação à tortura.
*** Artur, terceiro filho da cantora Kelly Key, nasceu ontem. A equipe da cantora registrou nas redes sociais a chegada do menino, que veio ao mundo com 3kg e 49 cm. O bebê é fruto do casamento de Kelly com o empresário Mico Freitas. Eles já são pais de Jaime Vitor, de 11 anos. A cantor ainda é mãe de Suzanna Freitas, de 16 anos, do relacionamento com Latino.