Flávio Gomes

25 de maio de 2016

Temer, O Breve?

Salvo os nomes da área econômica e outros poucos, a equipe escolhida por Michel Temer teve por base a busca de sustentação política no Congresso Nacional. Tanto que foi lá que ele buscou vários nomes para seu ministério. E não teve o mínimo pudor em escolher personagens com folha corrida de dar inveja a muitos dos que habitam os presídios brasileiros. O episódio envolvendo o senador/ministro Romero Jucá tende a ser a primeira de várias tragédias anunciadas. Pois o Judiciário e a Polícia Federal precisavam demonstrar isenção, tornando público que a onda de moralidade no combate à corrupção não tem no PT o alvo exclusivo. Nada melhor, para tal, que a farta matéria prima proporcionada por membros da equipe do presidente interino, de diversos outros partidos. Pior, para Temer, é que na votação inicial no Senado o impeachment foi aprovado por 55 votos, pouco mais que o mínimo necessário para o afastamento definitivo de Dilma Rousseff, quando se der o julgamento final. Romero Jucá, raposa velha no galinheiro espúrio em que se transformaram a Câmara e o Senado – ressalvadas as raríssimas exceções – votou pelo afastamento de Dilma. E se, contrariado por voltar forçosamente ao Senado, mudar de ideia? E se, mais ainda, convencer outros colegas a mudar o voto? Aí, o mandato de Temer seria breve.

O lado amargo

Os Estados que aceitarem acordo para reduzir a dívida junto à União terão de, por dois anos, se sujeitar a: corte de 10% das despesas com cargos em comissão; não dar nenhum aumento de salário; não contratar ninguém, a não ser para reposição nas áreas de educação, saúde e segurança, além de reposição de cargos de chefia; não editar lei ou criar programa de incentivo ou benefício de natureza tributária ou financeira.

Patriota

Manifestação do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL): “Mais do que nunca é fundamental ajudar o Brasil. Vou tratar o governo Temer da mesma forma que eu tratei o governo Dilma, porque o que está o jogo não é o Michel, é o Brasil, é o interesse do Brasil. E esse governo precisa se esforçar para dar muito certo”.

Estratégia

O governo estadual está investindo em ações na periferia de Maceió e existem planos de esse trabalho ser intensificado. Seria uma forma efetiva de Renan Filho reforçar a candidatura do deputado federal Cícero Almeida à Prefeitura de Maceió. Ex-prefeito, Almeida tem na periferia seu maior potencial de votos.

Afinidade

Cícero Almeida, pré-candidato do PMDB, tem feito a sua parte na busca de apoio do eleitor de bairros periféricos. Mesmo depois de eleito deputado ele preservou o contato com o seu público. Tanto pessoalmente, nas folgas da Câmara, como por seu programa de rádio, que não deixou nem quando foi prefeito.

Distanciamento

Do jornalista Davi Soares, no “Cada Minuto”, sobre desavenças entre o deputado Olavo Calheiros e o vice-governador, Luciano Barbosa: “No Palácio, a explicação é que Olavo vem cobrando a fatura política do sobrinho, por ter aberto mão do mandato de deputado federal em 2010, para pavimentar a ascensão de Renan Filho ao governo de Alagoas.”

Alternativa

O cancelamento do São João em Maceió, limitado pela prefeitura à apresentação de quadrilhas juninas, aumentou a procura por festas particulares para quem não pode ou não deseja ir a outras cidades do Nordeste. Enquanto isso, Campina Grande receberá, no São João, turistas de12 voos extras, diz o radialista Marcelo Rocha.

Alerta

De Luis Roberto Barroso, ministro do Supremo Tribunal Federal: “Estamos dando objetividade à reação contra a corrupção. Corrupção é um mal em si – não é exclusividade de um governo. A mudança que estamos procurando produzir é a valorização dos bons no lugar da valorização dos espertos.”

 

* A segunda apresentação do ano do projeto ‘Quartas Eruditas’,no Complexo Cultural Teatro Deodoro, é hoje, 16 horas, com entrada franca. Durante duas horas, o público vai poder ouvir músicas de Mozart, Carlos Gomes, Bach e Zequinha de Abreu.

*O projeto “Claricena” reestreia hoje no Teatro Deodoro com o espetáculo “Granja dos Corações Amargurados”, inspirado no conto “O ovo e a galinha”, de Clarice Lispector e apresentados por alunos da Ufal. Às 19 horas, no projeto “Teatro é o maior barato”.

*O Museu Palácio Floriano Peixoto recebe, de hoje a 24 de junho, a 1º Mostra de Fotojornalismo e Vídeo de Alagoas, produzida pela Associação de Repórteres Fotográficos e Cinematográficos de Alagoas. A mostra tem apoio da Braskem.

*De hoje ao dia 3 de agosto, sempre as 4as feiras, no Centro de Belas Artes de Alagoas, na Rua Pedro Monteiro, Maceió, acontece a Oficina de Capoeira do “Laboratório Vivo”. Um projeto da Secult, ministrado por Mestre Jacaré. Contato: 3315.7871.

 

*Hoje, às 8 horas, no Auditório Aqualtune, no Palácio República dos Palmares, será aberto o seminário “Diálogos  de Negócios Abayomi – Tempos de Áfricas”Iniciativa do Instituto Raízes de Áfricas, com apoio da Secult, Sefaz e Sedetur.

 

*O auditório da Reitoria da Universidade Federal de Alagoas sedia hoje, a partir ds 9 horas, seminário sobre o Novo Marco Legal de Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I). Promoção da Fundação de Amparo à Pesquisa de Alagoas, com apoio da Ufal.

 

*O CRB fez boas exibições contra Londrina e Vasco, após conquistar o bicampeonato, mas na estreia em casa na Série B, contra o Ceará, apenas 3.695 torcedores pagaram ingresso. O clube só ficou com R$ 2.996,52. Assim, fica impossível pensar em Série A.

 

“FHC foi seguramente, no PSDB, o maior entusiasta e defensor do apoio ao governo”

Elizeu Padilha

Ministro da Casa Civil de Michel Temer