16 de maio de 2016

Doença de Paget óssea.

Descrita desde 1877 pelo médico inglês Sir James Paget. Ele percebeu que o chapéu usado pelo seu motorista não estava mais cabendo. Assim havia algo errado na circunferência do crâneo do motorista.

Doença esquelética. Mono ou poliostótica.

 Devido a uma infeção viral e/ou fatores genéticos. Existe um aumento da remodelação óssea determinando uma anormalidade da arquitetura óssea.

Dor óssea, fratura, deformidades esqueléticas e artrite secundária. O diagnóstico é feito por exame clinico, radiológico e laboratorial.

As complicações mais frequentes são as fraturas patológicas, deformidades ósseas, artrite degenerativa, perda de audição, compressão nervosa, hipercalcemia, aumento do débito cardíaco e mais raramente osteossarcoma.

O tratamento é feito com os bisfosfonatos. Que são inibidores específicos da reabsorção óssea.

Os mais indicados são: alendronato, risedronato e o ácido zoledrônico.

Atualmente o ácido zoledrônico parece ser a melhor opção de tratamento devido a sua maior potência e remissão prolongada.

X) Arq Bras Endocrinol Metab vol 50 no.5 Outubro 2006, pgs.845 a 851. Griz, Colares e Bandeira.