Blog do Dresch

1 de maio de 2016

Jô desabafa contra intolerância

                   O apresentador Jô Soares, fez um desabafo esta semana em seu programa na Rede Globo. Ele falou sobre a intolerância política no Brasil atualmente e citou os casos ocorridos com o compositor e cantor Chico Buarque de Holanda e com o ator José de Abreu. “Eu fico indignado com este tipo de atitude. Me perdoem de ter até me emocionado aqui. Mas é que realmente eu não entendo, sabe? Foge á compreensão, no meu ponto de vista, de qualquer brasileiro que acompanha este país e que veja as coisas indignas que acontecem aqui dentro”.

O desabafo do Jô 2

E continuou Jô: “De repente uma pessoa da maior dignidade como artista e ser humano, não pode sair de casa, que corre o risco de ser agredido por um bando de idiotas e ignorantes. O Chico Buarque não pode sair de casa e ir jantar com amigos, sem ser agredido ou ofendido. O Chico Buarque é um patrimônio deste país. Feliz do país que tem um Chico Buarque. Eu fico comovido, envergonhado. Um homem que tem de ser reverenciado. Nenhum artista merecia isso. Principalmente um artista que já representou o Brasil e representa o Brasil a sua revelia”.

O desabafo de Jô 3

                   Disse ainda o apresentador em seu programa: “Ele naturalmente é um brasileiro do qual todos brasileiro deveria se orgulhar, independente de gostar ou não da sua musica ou da sua tendência política, se ele é do PT ou seja lá do que for”. Jô Soares também falou sobre outro incidente que envolveu o ator José de Abreu. “Fazem confusão com a Lei Rouanet como se ela desse dinheiro para as pessoas. Disseram que o José de Abreu se beneficiava dela. Ela foi feita para que a produção possa levantar fundos junto á indústria e ao comércio. O governo não dá dinheiro a ninguém. É uma mentira dizer que o José de Abreu vive às custas da Lei Rouanet” finalizou o Jô, sob aplausos do seu auditório.

 

O discurso de Esquivel

                   Ganhador do Prêmio Nobel da Paz de 1980, o argentino Adolfo Pérez Esquivel veio ao Brasil prestar solidariedade á Presidente Dilma Rousseff e se manifestou contrário ao processo de impeachment que tramita no Senado. Ele comparou o que acontece no Brasil com casos semelhantes aos ocorridos em Paraguai e em Honduras. “É a mesma metodologia, que não necessita das Forças Armadas. Países que querem mudar as coisas com politicas sociais são alvo dessa política de interromper o processo democrático” disse o argentino. Mas foi o discurso feito por Esquivel no Senado que chamou a atenção. Disse o que muitos senadores não gostaram de ouvir. Ele ocupou um lugar da Mesa Diretora, com a permissão do senador Paulo Paim, que presidia a sessão e deu o seu recado. Ele pediu respeito á Constituição e ao direito do povo de viver a democracia. Antes de ressaltar que os interesses do povo estão acima dos partidários, ele disse que há um possível “golpe de estado” no Brasil e citou Honduras e Paraguai, os quais segundo ele sofreram com o mesmo método para afastar seus presidentes. Adolfo Pérez Esquivel disse que a interrupção do processo democrático seria um dano não só ao povo brasileiro, mas para toda a América Latina. “Seria um retrocesso muito grave para todo o continente. Sou um sobrevivente da época da ditadura (na Argentina). Nos custou muito fortalecer as instituições democráticas. Aqui esta se atacando as instituições democráticas” disse Esquivel.

 

Enterrado pela 4ª vez

                   O genial poeta chileno Pablo Neruda, foi sepultado pela quarta vez esta semana, depois de seus restos mortais passarem por mais um processo de exumação na tentativa de detectar os motivos que causaram sua morte em 23 de Setembro de 1973, 12 dias após o golpe militar comandado pelo general Augusto Pinochet, que derrubou e assassinou o presidente socialista Salvador Allende, amigo do poeta. Neruda havia ganho o Nobel de Literatura dois anos antes, e era uma unanimidade em seu país, como o é ainda hoje. Os restos de Neruda foram enterrados no tumulo localizado em frente á sua casa, em Isla Negra, balneário chileno, onde o poeta morou com sua esposa, a soprano Matilde Urrutia, que também descansa no mesmo local.

Enterrado pela 4ª vez 2

                   O sepultamento foi acompanhado por cerca de 20 familiares e membros da fundação que administra sua obra. Assim ele volta ao lugar onde pediu para ser enterrado e para onde seus restos foram levados somente em 1992, dois anos após o retorno da democracia com o fim da ditadura de Pinochet. Moradores do balneário realizaram uma pequena homenagem ao seu hóspede mais ilustre e que tornou o local famoso em todo o mundo, sendo visitado todo o ano por milhares de turistas. “Hoje para nós não é um funeral, pelo contrário. Voltar à Isla Negra é voltar a olhar o mar e voltar a olhar o mar não é morrer, é voltar a viver, sobretudo para um poeta” disse Raúl Bulnes, presidente da Fundação Pablo Neruda.

Tocha iluminará Maceió

                   A Tocha Olímpica vai passar por 300 cidades em todo o país. Na capital alagoana a programação pela passagem da Tocha vai durar quatro dias, de 26 a 20 de Maio. No período, 40 grupos da cultura popular e 26 bandas e grupos de artes cênicas vão estar se apresentando na Praça Multieventos, na Pajuçara. “A passagem da Tocha Olímpica por Maceió será uma celebração da cultura alagoana através da musica, teatro, folclore e sabores” destaca Vinicius Palmeira, presidente da Fundação Municipal de Ação Cultural. A Tocha vai pernoitar em 83 cidades, totalizando 12 mil milhas aéreas e 20 mil quilômetros percorridos. Cerca de 12 mil pessoas se revezarão na condução da Tocha, cada por uma distância de 200 metros, em média.

 

 

  • A Sociedade Brasileira de Trauma Ortopédico (SBTO) realizará no próximo Sábado (7 de Maio) a 2ª Corrida e Caminhada do Trauma Ortopédico – Maceió a favor da vida. O evento acontece na Praia da Pajuçara a partir das 6h.
  • Nesta edição o tema escolhido foi “Se dirigir, não digite” para alertar a população sobre o risco de se usar o telefone celular, principalmente para digitar mensagens, enquanto estiver dirigindo.
  • De acordo com a SBTO, o importante é insistir no alerta do risco de se usar o celular ao volante, tanto para falar quanto para enviar e receber mensagens. Os participantes poderão optar entre a corrida ou a caminhada, e todos terão acesso aos postos de hidratação (água e frutas).
  • Na primeira edição do evento mais de 600 atletas, entre profissionais e amadores participaram da ação.
  • O evento ocorrerá em paralelo ao 22º Congresso Brasileiro de Trauma Ortopédico (5 a 7 de Maio) e ao 2º Congresso Brasileiro de Fisioterapia no Trauma Ortopédico (5 e 6 de Maio), ambos no Centro Cultural e de Exposições.
  • As inscrições podem ser feitas no site www.traumaortopeico.med.br