Flávio Gomes

30 de abril de 2016

Governo de transição

Do jornalista Ricardo Noblat, em seu blog: “Nunca antes na história deste país um presidente da República contou com uma base de apoio político tão gigantesca no Congresso como a presidente Dilma. Nem Lula contou. Adiantou para que ela atravessasse os quatro anos do seu primeiro mandato. Não adiantou para que chegasse à metade do segundo mandato. A base evaporou-se na Câmara e no Senado. O vice-presidente Michel Temer está ocupado em reconstruir o que a incompetência e a soberba de Dilma destruíram. E, aparentemente, parece estar dando conta da tarefa. Até aqui, sua base de apoio no Congresso está se configurando ampla, diversificada e, a se confirmarem os nomes citados, mais qualificada do que a que acabou abandonando Dilma. Temer é do ramo e Dilma, não. Essa é sua maior vantagem. Mas há pelo menos mais uma: Temer tem a exata dimensão do papel que lhe cabe desempenhar. E não pretende ir além dele. O destino reservou-lhe o papel de condutor da transição entre o maior ciclo político da história recente do país, o do PT, e o próximo que venha a se estabelecer depois das eleições de 2018. Sua ambição limita-se a dar conta da tarefa. Por isso, sente-se à vontade para antecipar a decisão de encerrar sua carreira política com a transferência da faixa presidencial ao seu sucessor…”

 

Fogo morto

É difícil a situação das usinas de açúcar de Alagoas, que vivem, de certeza, a pior fase da sua história. No auge, chegaram a 34 unidades, incluindo as destilarias. Em 2016, de um total de 19 que operaram, só cinco moeram efetivamente – as demais só esmagaram cana por um ou dois meses, só para dizer que moeram.

Pré-caos

O setor espera até meados de maio por uma autorização da União para operação externa de crédito. É a única saída para a recuperação da área de plantio e para manutenção dos equipamentos. Caso contrário, haverá quebradeira geral, levando junto fornecedores, empregados e o que resta ainda de fornecedores de cana.

 

Cenário

Muitas usinas já não vêm pagando aos fornecedores de cana nem prestadores de serviço e enfrentam dificuldades para honrar a folha salarial. Há vários casos do tipo “devo, não nego, mas só pago a partir de outubro, quando a safra começar”. Tal alternativa, porém, depende fundamentalmente da operação de crédito pretendida.

 

Preocupação

A Federação das Indústrias de Alagoas emitiu nota defendendo o entendimento para a reabertura do Porto de Jaraguá, que foi fechado por policiais civis em greve. “Em defesa da legalidade e preocupada com as perdas impostas à economia alagoana. O Estado não pode acumular prejuízos, neste momento de severa crise econômica”, diz.

 

Agenda

Acontece hoje uma dos importantes eventos da imprensa alagoana: a festa do Prêmio Braskem de Jornalismo Saúde e Segurança no Trabalho, a partir das 20h30m, no Armazém Uzina. Uma parceria Braskem, Sindicato dos Jornalistas, Ministério Público do Trabalho e Superintendência Regional do Trabalho e Emprego.

 

Em alta

O Conselho Superior da Procuradoria Geral do Estado empossou ontem seus novos membros, que elegeram Marialba Braga Corregedora Geral da instituição e Fernando Firmino para Sub Corregedor. Marialba foi eleita, também ontem, vice-presidente do Colégio Nacional dos Corregedores das Procuradorias dos Estados e o DF.

 

Reconhecimento

Do secretário de Segurança do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame: “Do ano passado para cá houve recorde de prisões, e mesmo assim a violência continua. A solução passa pela polícia, mas não é só por ela. Infelizmente tenho que dizer à população que me parece que prender não adianta mais. Alguma coisa no sistema está falhando.”

 

 

 

*Nenhuma entidade de direitos humanos se manifestou sobre as cusparadas desferidas pelo deputado federal Jean Willis (PSol/RJ) no deputado Jair Bolsonaro e pelo ator José de Abreu em um casal, todas motivadas por questão política. Por que será?

* Secretaria Municipal de Saúde confirmou que hoje não haverá vacinação contra a Influenza nos postos de saúde. A decisão foi definida pelo Colegiado de Secretarias Municipais de Saúde. Hoje funcionará apenas a vacinação nos postos volantes.

*O cantor e compositor alagoano Djavan fará hoje um show no Ginásio do Sesi, baseado no disco “Vidas pra contar”, mas também com clássicos da sua carreira. Os ingressos custam de R$ 30,00 a R$ 80,00, emingressorapido.com.br.

* O programa “Almanaque Educativa” de hoje homenageia o cantor norte-americano Prince. Destaca ainda o álbum “Eu e minha filha”, de Rildo Hora e sua filha Patrícia, e a banda Oficina 137.  Às 11 horas, na Educativa FM; 14 horas, na Difusora AM. 

* A cantora e compositora goiana Marília Mendonça se apresenta no estacionamento do Maceió Shopping hoje, 22 horas, com sucessos da dupla ‘Henrique & Juliano’. Logo a seguir, o alagoano  Mano Walter sobe ao palco para gravar o novo DVD.

*Em época de crise, vale a criatividade: no Shopping Pátio Maceió, a cada R$ 200,00 em compras, em lojas aderentes à campanha “Hora da Mamãe”, o cliente pode adicionar mais R$ 10,00 e levar um relógio. A promoção vai até 8 de maio.

*O ciclista alagoano Carlos Henrique, do Sesi/AL, que domingo passado ganhou a 2ª etapa do Campeonato Alagoano de Ciclismo, participa, desde ontem e até amanhã, da Copa Nordeste de Ciclismo, que acontece em Aracaju, Sergipe.

 

“Sem uma imprensa livre a democracia nunca será efetiva”

Nelson Wilians

Advogado