14 de abril de 2016

Viajar faz bem a saúde física e mental.

Fui recentemente à cidade de Foz do Iguaçu no Paraná para participar do II Congresso Brasileiro e do III Congresso Latino Americano de Tratamento por Ondas de Choque.

Pelo aeroporto que é pequeno imaginei que seria uma cidade acanhada. Ledo engano. Além das belezas naturais muito bem exploradas, a cidade vive do turismo e tem ruas e avenidas largas e bem conservadas.

Quantidade muito grande de hotéis com serviço de agencias de turismo ágil e eficiente. O serviço contratado é realizado com presteza e correção. Importante pesquisar preço.

Os passeios das cataratas nas passarelas ou nos botes. Ou seja, com ou sem emoção, valem muito a pena realiza-los.  A estrutura é montada de forma que a natureza seja utilizada, porém sem danifica-la. A preservação e conservação sempre presente.

Ciclovias. Outra novidade vinda do Paraná onde existe a maior malha de ciclovias. Na cidade de Foz a ciclovia é utilizada também por caminhantes e corredores na maior harmonia sem nenhum ressentimento por parte dos ciclistas.

Nos Congressos que foram realizados no centro de convenções do Hotel Bourbon, os vários assuntos ligados ao tratamento por ondas de choque focais ou radiais foram discutidos. Especialistas da Europa, da América latina incluindo o Brasil.

Como as ondas de choque também são utilizadas para o tratamento de animais de pequeno e grande porte, tivemos a presença de medicas veterinárias. Uma delas de Brasília apresentou um trabalho de pesquisa que realiza na USP de Campinas o qual agregou um valor muito grande para os que como eu realizo este tratamento em humanos. Parabéns Dra. Lídias Dornelas!