Blog do Dresch

14 de março de 2016

A indignação contra a Globo

Mais um indignado

         Muita gente tem considerado que as reações de boa parte da população na questão que envolve a crise atual, contra setores da imprensa, são direcionadas aos profissionais da reportagem especificamente. Mas não é isso que acontece. Como deixou claro o escritor, biógrafo e jornalista Fernando Morais, a indignação maior é em relação ao tratamento que alguns veículos (como os da Rede Globo) tem dado á Operação Lava a Jato, nos seus noticiários.

Mais um indignado 2

                   Em virtude desta deturpação do fato, Fernando Morais decidiu que não dará mais entrevistas à Rede Globo. Desmarcou inclusive uma entrevista que estava agendada há dias com a Globonews. “Nada tenho contra os profissionais de lá, que respeito e admiro pelo trabalho desenvolvido. Mas não aceito a forma como o noticiário é deturpado e interpretado por alguns comentaristas” afirmou o autor de Chatô, A Ilha, Olga e outros livros.

 

Agressão e cirurgia

                   O Sistema Único de Saúde (SUS) deverá promover a cirurgia plástica reparadora de sequelas em lesões causadas por atos de violência contra a mulher. A situação foi regulamentada por lei aprovada esta semana, que estabeleceu que as mudanças permitirão ampliar o atendimento às mulheres vitimas de agressões, de modo que possam reconstruir parte do corpo mutiladas ou fraturadas. O Governo Federal garante que a partir de agora as mulheres agredidas ou violentadas podem solicitar o atendimento em qualquer unidade básica de saúde. Também foi firmado um convênio com o governo federal com aproximadamente 400 hospitais todos referência em cirurgia plástica. Além de cirurgias reparadoras e reconstrutivas , passam a fazer parte dos procedimentos o tratamento de queimaduras, de cirurgias de pele, sistema nervoso, vias aéreas superior, face, aparelho da visão cabeça, pescoço e mama, entre outros. A regulamentação se deu através de uma portaria interministerial, que estabelece a criação de um código para registrar as cirurgias plásticas reparadoras. Assim ser[a mais fácil sistematizar as estatísticas sobre atendimentos realizados por conta da violência contra a mulher, doméstica ou não.

 

O jihad desertor

                   Um dossiê gravado em pen-drive com nomes e dados pessoais de 22 mil integrantes do grupo terrorista Estado Islâmico. Eles seriam originários de 51 países, e os documentos seriam formulários preenchidos por aspirantes a membros da organização. O jihadista desertor se auto denomina Abu Ahmed, e o dossiê foi entregue á rede SKY News. Segundo a emissora os arquivos foram gravados por um ex-rebelde ao regime do ditador sírio, Bashar al-Assar, que posteriormente teria aderido ao EI, mas também se decepcionou e deixou a organização.

O jihad desertor 2

                   A SKY News revelou que alguns dos nomes são figuras bastante conhecidas, sendo que muitas já foram mortas. São citadas figuras como o rapper Abdel Bary. De 26 anos, de Londres e que aderiu ao EI em 2013, depois de viajar pela Líbia, Egito e Turquia. Outra figura conhecida é Junaid Hussain de 21 anos, que trabalhava nos serviços de informação e recrutamento mas também esta morto.  Ele e sua esposa Sally Jones, uma ex-punk de Kent, teriam planejado uma série de atentados terroristas no Reino Unido. Alguns números de telefones na lista ainda estariam ativos e podem ser usados para comunicação entre os jihadistas.

O jihad desertor 3

                   Nesta semana, as forças especiais dos EUA anunciaram a captura de um membro do EI responsável pelo gerenciamento de armas químicas que integram o arsenal do grupo terrorista. A prisão aconteceu no Iraque, e o prisioneiro teria trabalhado anteriormente no governo Sadam Hussein, em um setor especializado em construir um arsenal de armas químicas e biológicas. Atualmente o especialista passa por interrogatórios na cidade de Erbil e confessou que o Estado Islâmico usa gás mostarda (sarín) em pó dentro das armas de fogo.

Quase uma unanimidade

                   O promotor público, Alfredo Gaspar de Mendonça, tornou-se praticamente uma unanimidade em Alagoas, graças ao seu destemor e a sus determinação no combate á criminalidade, estando à frente da Segurança Pública. A decisão do STF, inesperada e imediata, chocou muita gente. Mas o promotor Alfredo não pode desistir da sua missão. Senão à frente da segurança estadual, seu trabalho como integrante do Gecoc, é uma garantia ao povo alagoano que o Ministério Público dará sequência é sua luta contra á violência. É o que todos esperam agora.

 

  • (sequência do primeiro comentário desta coluna) Além do registro no Disque 180 e do próprio boletim de ocorrência, caso haja, as vitimas poderão apresentar o prontuário médico do atendimento feito após a agressão sofrida, a fim de solicitar a cirurgia reparadora.
  •  A regulamentação do procedimento foi comemorada pela Presidente Dilma Rousseff, que acentuou que era uma reivindicação histórica dos movimentos feministas.
  • Segundo ela, essa prestação de serviço é uma forma de se resgatar a autoestima da mulher e de impedir que ela fique com “sequela irreparável” e com o corpo marcado pela violência.
  • Constam ainda na tabela de cirurgias a reconstrução da orelha, o tratamento de lesões, cirurgias no joelho, cotovelo, mãos e pés e tratamento cirúrgico para os lábios, pálpebras e couro cabeludo além de tratamento cirúrgico reto-vaginal.