29 de fevereiro de 2016

Descolamento epifisário proximal do fêmur.

Também conhecida como epifisiólise ou escorregamento epifisário proximal do fêmur. Coxa vara do adolescente (já como sequela).

 

Várias são as razões. Sendo a hormonal a mais aceita. Paciente adiposo genital de Frolich. Hipotireoidismo, doença hipo-gonadal, hiperparatireoidismo e diminuição de testosterona.

 

Quase sempre bilateral de cinquenta a oitenta e cinco por cento. Mais a esquerda nos meninos. Menina sem preferencia de direito ou esquerdo.

A placa epifisária proximal do fêmur não suporta as força que cruzam a cabeça femoral e escorrega.

 

Tratamento conservador sem muito seguidores, pois o paciente tem que ficar acamado com tração e depois usar aparelho gessado pélvico podálico, correndo ainda o risco de o escorregamento persistir.

 

O tratamento cirúrgico é quase um consenso e deve ser o mais precoce possível. Alguns ainda fazem além da fixação do lado lesado uma fixação preventiva do lado oposto.