Roberto Baia

28 de fevereiro de 2016

Polêmica em Viçosa

A Prefeitura de Viçosa, em nome do prefeito Manoel dos Passos Vilela (Vô), publicou na manhã de sexta-feira, 26, uma declaração em sua página do facebook, sobre a denúncia realizada pela vereadora Micheline Fernandes.

A vereadora questionou a devolução, por parte da Prefeitura, de R$ 900 mil de um convênio já firmado com o Ministério do Turismo. Ela, também, fez observações quanto a falta de prestação de contas do executivo municipal, deixando convênios inadimplentes, além da inserção da cidade no CAUC e as irregularidades no FGTS de Viçosa.

 

Redes sociais

Na íntegra, a resposta da Prefeitura de Viçosa aos questionamentos da vereadora Micheline Fernandes:

“Nas redes sociais, depois da última seção ordinária da Câmara de Vereadores (primeira deste ano), notam-se diversos comentários críticos, fundamentados nos discursos inflamados de parlamentares, nos quais algumas acusações tomaram sentido meramente eleitoreiro, alcançando blogs e sites de notícias. Em defesa dos interesses do município e no cumprimento do dever de fiscalizar o poder executivo, alguns vereadores se furtam em procurar colher detalhes que traduzam a devida veracidade das informações levadas à tribuna e soltas ao vento, na internet, sem o merecido e devido cuidado com o qual o cargo parlamentar lhes requer”.

 

 

Não tramitou

Ainda em seu texto publicado no facebook, a Prefeitura informa que o requerimento da vereadora ainda não tramitou formalmente, e, devido a isso, a cidade se tornou um verdadeiro carnaval fora de época, tão grande foi a “falácia” que alcançou jornais e carro de som.

 

Enfim, esclarecidos

Ainda em sua resposta na rede social, a Prefeitura de Viçosa afirma que o Convênio é do ano de 2013, em 2015 esse convênio já havia sido prorrogado várias vezes. Para que as obras fossem iniciadas, seria necessária a apresentação de um projeto que fosse aprovado pelo setor de engenharia da Caixa Econômica Federal e posteriormente se daria a abertura de um processo licitatório.

 

“Carapuça serviu”

Apesar da Prefeitura não ter citado o nome da vereadora Micheline Fernandes em sua manifestação no face, o Diretório do Partido Verde em Viçosa (PV) entendeu que o recado foi direcionado e não deixou a publicação passar despercebida. De acordo com o PV, o verdadeiro papel parlamentar é fiscalizar o executivo e diante de alguma denúncia fundamentada tem que questionar e solicitar informações.

 

Chamou de fraco

A repercussão, segundo o Partido Verde, foi porque houve falta de informação e alfinetou a gestão municipal. “Um governo fraco comandado por quem sequer tem cargo de comando. A Vereadora Micheline Fernandes somente questiona fatos, quando está devidamente documentada”, completou.

 

 

Granjas irregulares

Duas granjas do mesmo empresário em Arapiraca foram autuadas pelo Instituto do Meio Ambiente de Alagoas (IMA). Ambas possuíam licença para operar, mas não cumpriam as condicionantes exigidas na licença ambiental e sanitária. O que resultou, para o empresário, em multa de R$ 56,2 mil.

 

Poços clandestinos

As duas granjas foram visitadas em períodos diferentes e em ambas o IMA encontrou o enorme mau cheiro, proliferação de moscas e poços clandestinos onde o material era descartado. Durantes os dois momentos o IMA solicitou o aterramento dos poços e solicitado o certificado de destinação de descarte.

 

 

Falha descartada

Cinco meses após a queda do helicóptero da Secretaria de Segurança Pública, que resultou na morte de quatro militares, em Maceió, o Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Areronáuticos (Seripa II) informou que as investigações realizadas até agora apontam que não houve falha mecânica no acidente. 

Erro operacional

Segundo o Seripa, o relatório dos técnicos brasileiros feito após análise dos destroços da aeronave não apontou defeito, e creem na possibilidade de erro operacional.

Os engenheiros brasileiros e americanos que analisam as peças da aeronave e todo o material colhido em Maceió creem na possibilidade de erro operacional no acidente.

 

 O Serviço aguarda agora o relatório com as conclusões dos engenheiros americanos e a minuta do relatório final deve ficar pronta em até três meses. O material será encaminhado para o Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa).

 

…Um grupo de criminosos, não identificados, arrombou e furtou, durante a madrugada, a casa paroquial de Rio Largo. De acordo com o CIOSP os bandidos levaram duas TVS, um celular e uma impressora. O crime foi denunciado, por um funcionário do local, no 8° BPM.

Este é o quarto caso de furto em casas paroquiais registrado no período de uma semana, pois as casas paroquiais nos bairros de Henrique Equelman e Poço, em Maceió, e no município de Flexeiras também registraram roubos.

 

Sidinéia Tavares – Interina