Edmilson Teixeira

17 de fevereiro de 2016

Porto Calvo, esquentando!

Domingo último, o pré-candidato a prefeito de Porto Calvo, David Pedrosa, pegou o microfone em um trio elétrico, e se utilizou de palavras de ameaças às demais pré-candidaturas postas no município nortista. “Não mexam com David Pedrosa, pois vão se dar mal! Não mexam com David Pedrosa, pois vão se dar mal!”, repetia o pré-candidato em cima de um trio elétrico discursando em uma festa denominada de Ressaca Carnavalesca, em tom ríspido e ameaçador.

 

Porto Calvo – temperatura

O motivo da revolta, segundo populares, é que a festa, organizada por David Pedrosa, teria sido supostamente esvaziada por outra do mesmo gênero, que acontecia  no maior povoado de Porto Calvo, Manganzala.  Essa estava sendo promovida pelo ex-prefeito Antônio Carlos, candidato adversário, que também visa conquistar a Prefeitura. Informações dão conta de que os pleitos municipais portocalvenses nunca foram conhecidos pela violência, entretanto, já durante a pré-campanha deste ano, os ânimos de um dos postulantes começam a elevar a temperatura eleitoral.  

 

Piaçabuçu / bronca

Prefeito Dalmo Santana, de Piaçabuçu vem pagando caro, por ter sido flagrado em outubro de 2010 com uma arma de fogo durante uma blitz da Polícia Federal. É que nesta terça-feira, o Pleno do Tribunal de Justiça de Alagoas manteve sua condenação. Os desembargadores negaram os embargos infringentes interpostos pela defesa contra a decisão de 16 de dezembro de 2014. Santana teria sido condenado a dois anos de reclusão em regime aberto, pena substituída por pagamento de multa de 4 salários mínimos e prestação de serviços e uma entidade beneficente, pela quantidade de horas equivalente aos dias de condenação (730 horas).

Piaçabuçu- origem

Durante o pleito eleitoral de outubro de 2010, Dalmo Santana foi parado por uma equipe da Polícia Federal, que encontrou uma pistola cadastrada no nome de outra pessoa e nove munições intactas no interior de seu veículo. Os policiais alegaram que o prefeito teria pedido que a fato fosse “deixado para lá”.

 

Igaci

A Prefeitura inicia o ano de 2016 oferecendo a uma parcela de igacienses mais uma ação no campo do desenvolvimento e de assistência nos setores social e de habitação. Trata-se do programa Moradia Legal, em parceria com o TJ/AL e da Corregedoria Geral da Justiça (CGJ/AL). A ação consiste na regularização de imóveis que não possuem escritura, tornando-os assim devidamente documentados perante a lei; trazendo vantagens não apenas para os moradores, mas contribuindo para a arrecadação de impostos dos municípios envolvidos no projeto.

Igaci

É que nesta quinta-feira, o ‘Moradia Legal’ desembarca em Igaci, a fim de atender a 400 pessoas, que vão ter agora seus imóveis devidamente regularizados. “Cidadania, segurança habitacional e familiar são os objetivos principais dessa ação, que têm sido prioridade na nossa administração e continuará tendo”, disse o prefeito, Oliveiros Torres Pianco  

São Miguel dos Campos

A galera que habitualmente almoça no restaurante “O Bandejão” pagando um valor irrisório vai passar alguns dias sem frequentar aquele ambiente mantido pela  Prefeitura local. Tudo porque resolveram agora realizar melhorias na parte física do prédio, com o intuito de ofertar um serviço com uma qualidade ainda melhor e um local mais agradável e confortável. No feriado do 1° de maio deste ano (Dia do Trabalhador), O Bandejão completará 12 anos. A Prefeitura garante que no começo de março, tudo volta a funcionar normalmente.

Agricultura

Secretaria da Agricultura de Alagoas realiza amanhã pregão eletrônico para aquisição de 1.250 toneladas de sementes que serão distribuídas para associações e cooperativas de pequenos produtores rurais alagoanos em 2016. De acordo com o Termo de Referência, o pregão eletrônico será amplo, com cotas exclusivas e está dividido em 16 itens. Serão adquiridas 550 toneladas de feijão, 400 toneladas de milho, 100 toneladas de sorgo forrageiro e 200 toneladas de arroz.

Agricultura

A ação faz parte do Programa de Distribuição de Sementes executado pela Seagri, que beneficiou mais de 76 mil famílias de agricultores familiares no ano passado com a distribuição de 1.403 toneladas de sementes, sendo 200 toneladas doadas pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

Campo Grande/AL  01

Na última sexta-feira, o presidente da Cooperativa Agropecuária de Campo Grande/AL (Cooperagro), Eloísio Lopes, participou de uma reunião em Maringá/PR, sobre a produção e perspectivas do amido de mandioca no país. Segundo Eloísio Lopes, o mercado de mandioca paranaense, o maior do país, tende a passar por uma fase instável. Sobre as chuvas em Alagoas, ele enfatiza: “Se o excesso de chuvas não tiver prejudicado as plantações que serão colhidas em março, estaremos abastecidos até o final do ano. Caso contrário, teremos que importar o produto”.

Campo Grande/AL  02

Representando 2% da produção nacional, Alagoas teve 120 mil toneladas colhidas da raiz, com posição acumulada até janeiro passado, na safra 2015/2016. “No Estado, estamos comercializando a tonelada da mandioca a R$ 250. No Paraná, está abaixo desse valor. Em Alagoas, apesar da pouca chuva, o mercado está conseguindo se sustentar”, explica Eloísio. A reunião aconteceu no hotel Deville, com iniciativa da Associação Brasileira de Amido de Mandioca (ABAM).