Blog do Dresch

12 de fevereiro de 2016

Com mais tempo, resultados aparecem

                   Todos aqueles que vivem do futebol, ou apreciam sua prática, defendem a cada nova temporada a necessidade da elaboração de um planejamento de longo prazo, principalmente na condução da equipe. Mas claro que isso é uma falácia. Três derrotas seguidas colocam a cabeça do treinador na bandeja. Na quarta, a demissão é certa. Mas alguns conseguem superar esta máxima. Atualmente, entre os 20 clubes da série A do Campeonato Brasileiro, Givanildo Oliveira, pernambucano, treinador do América –MG é o que esta há mais tempo no cargo. Ele assumiu em Setembro de 2014 e agora conseguiu levar o clube a primeira divisão, ficando em quarto lugar na série B do ano passado. Tite, campeão pelo Corinthians, assumiu dois meses depois de Givanildo.

Contratos meteóricos 2

                   O técnico pernambucano carrega o status de Rei do Acesso, levando seis clubes a ascender de divisão nos últimos anos. Mas seu contrato com a equipe mineira termina em Dezembro de 2016. Vamos ver se dura até lá. O terceiro treinador com mais tempo de clube é Roger do Grêmio, que assumiu em Maio de 2015. No ano passado, os times que mais trocaram de técnico foram Goiás (Hélio dos Anjos, Julinho Camargo, Arthur Neto, Danny Sérgio e o atual Enderson Moreira) e Flamengo (Vanderley Luxemburgo, Cristóvão Borges, Osvaldo de Oliveira, Jayme de Almeida e agora Muricy Ramalho).

Igrejas discutirão aborto

                   No encontro que ocorreu na quarta feira entre a presidente Dilma Rousseff e representantes de igrejas cristãs, onde se discutiu a participação das correntes religiosas no combate ao mosquito Aedes aegypti, outro assunto foi levantado, mas somente depois da reunião. Alguns líderes defenderam que é preciso debater com a sociedade a descriminalização do aborto em meio à epidemia de Zika. Integrantes do Conselho Nacional das Igrejas Cristãs (Conic), o assunto não foi tratado na reunião com a presidente, porque ainda não há consenso.  Mas muitos defendem o debate urgente, como dom Flavio Irala, presidente do Conic e Bispo da Igreja Anglicana. “Existe uma preocupação com as vidas de todos os envolvidos, mães, bebês e famílias” disse o Bispo, durante a cerimônia oficial do lançamento da Campanha da Fraternidade Ecumênica, que trata sobre o saneamento. Mas é do conhecimento público que as correntes religiosas têm posições antagônicas sobre a questão do aborto. O secretário-geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Leonardo Steiner, considera que o abordo favorece a eugenia, uma prática para selecionar pessoas perfeitas, e os grupos pró-legalização do aborto aproveitam a epidemia de Zika para reintroduzir o tema. Para o pastor Joel Zeferino, da Igreja Batista Nazareth “não dá para ignorar o assunto e é preciso emvolver as mulheres nessa discussão”.

 

Por falar em técnico…

                  A imprensa britânica já revelou os salários do novo técnico do Manchester United, o português José Mourinho. E ele será o técnico mais bem pago do planeta. A cada temporada, Mourinho vai embolsar 15,5 milhões de liras (cerca de R$ 88 milhões). Vai ganhar mais que Guardiola, do Manchester City que vai levar 15 milhões de liras (R$ 85 milhões por temporada). Os jornais ingleses garantem que o contrato de Mourinho é por três temporadas, sendo que no final delas ele terá embolsado 46,5 milhões de liras (cerca de R$ 265 milhões).

Carne para a China

                   A China autorizou 17 frigoríficos brasileiros a exportar carne para aquele país asiático. Desse total, cinco são de carne bovina, oito de aves e quatro de suínos. As empresas exportadoras estão localizadas em cinco estados. Em São Paulo estão três frigoríficos de bovinos e um de aves; Em Minas Gerais, dois de bovinos e dois de aves; No Rio Grande do Sul, dois de aves e dois de suínos; no Paraná são três de aves e em Santa Catarina dois de suínos. Segundo o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, com as novas habilitações haverá um aumento de US$ 340 milhões nos embarques de carnes para o mercado chinês. O inicio efetivo do envio detendo apenas da negociação entre os frigoríficos e os importadores chineses.

Carne para a China 2

                   As exportações de carne bovina para a China foram retomadas ano passado, com a suspensão de um embargo do país asiático ao Brasil, que durava desde 2012. Em 2015, uma missão brasileira que foi à China, liderada pela ministra da Agricultura Kátia Abreu conseguiu reverter a situação e derrubar o embargo. Com a habilitação destas novas 17 plantas, o Brasil passa a ter 65 frigoríficos autorizados a exportar carne para a China. Desses, 38 são de aves, 16 de bovinos e 11 de suínos. No ano passado o Brasil exportou à China um total de US$ 1,1 bilhão em carnes, sendo US$ 477 milhões em carne bovina, US$ 608 milhões em carne de frango e US$ 10 milhões em carne suína.

Apreensão de aves

                   Militares integrantes do Batalhão de Polícia Ambiental realizaram uma operação no povoado Branca de Atalaia. No município de Atalaia e conseguiram evitar a venda clandestina de mais de quarenta pássaros de diferentes espécies. Foram apreendidos pássaros em processo de extinção e naturais da Mata Atlântica nordestina como Sabiás, Papa Capim, Galo de Campina e Canários da Terra. Os pássaros foram encaminhados á sede do Ibama em Maceió onde passaram por uma triagem de saúde para depois serem libertados em seu habitat natural.

 

  • Alguns programas sociais do governo deverão ser preservados do contingenciamento que o governo pretende fazer neste ano de 2016 e que deve ser anunciado oficialmente hoje ou nos próximos dias.
  • Devem ser mantidos o Bolsa Familia, O Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) e o Minha Casa Minha Vida. Eles deverão permanecer intactos.
  • Os três programas deverão consumir aproximadamente R$ 53,8 bilhões neste ano, segundo dados do Ministério do Planejamento.
  • O programa Minha Casa Minha Vida já sofreu alguns ajustes no ano passado, quando sofreu um corte em seu orçamento de R$ 8,6 bilhões. Mas o governo compensou a redução com recursos do FGTS.
  • No caso do Fies o governo já reformulou o programa na gestão do ex-ministro Joaquim Levy da Fazenda. O governo aumentou a taxa de juros para reduzir subsídios, endureceu as regras para concessão dos benefícios e priorizou estudantes das universidades melhor avaliadas.
  • No caso do Bolsa Família o orçamentou passou de R$ 27 bilhões em 2015, para R$ 28,116 bilhões em 2016.