Roberto Baia

24 de janeiro de 2016

Novos frutos

A viagem da prefeita Célia Rocha, esta semana, em Brasília, rendeu novos frutos para o município de Arapiraca.

A gestora passou vários dias na capital federal e percorreu os ministérios das Cidades, Saúde e Desenvolvimento Social.

 

Liberação de recursos

Como resultado das visitas, a prefeita Célia Rocha, acompanhada do secretário de Saúde Ubiratan Pedrosa, conseguiu garantir a liberação de recursos para a construção de três novas unidades básicas de saúde (UBS), bem como uma verba no valor de R$ 220 mil para o projeto das Cozinhas Comunitárias, a exemplo do sucesso da implantação da Cozinha Comunitária da Taboquinha.

Além disso, a prefeita assegurou recursos junto ao Ministério das Cidades, para continuidade de obras de infraestrutura e pavimentação de ruas e avenidas em Arapiraca.

 

Mudanças de atitudes

A sustentabilidade no âmbito governamental tem sido cada vez mais um diferencial da nova gestão pública, onde os administradores passam a ser os principais agentes de mudança. O grande desafio, no entanto, é transpor o discurso meramente teórico e concretizar a boa intenção num compromisso sólido, já que a adoção de princípios sustentáveis na gestão pública exige mudanças de atitudes e de práticas.

 

Planejamento

Preocupado com a responsabilidade socioambiental e a sustentabilidade nas rotinas públicas, o secretário do Planejamento, Gestão e Patrimônio (Seplag), Christian Teixeira, recebeu na manhã desta sexta-feira (22), o titular da pasta de Meio Ambiente e Recursos Hídricos de Alagoas (Semarh), Alexandre Ayres.

 

Bens e serviços

Para o gestor do Planejamento, a Administração Pública é a grande responsável pelas políticas públicas, além de ser uma grande consumidora de bens e serviços precisando, assim, dar o exemplo das boas práticas em suas atividades.

 

Cooperação

“Para que isso ocorra, se fazem necessárias a cooperação e a união de esforços, visando minimizar os impactos sociais e ambientais advindos das ações cotidianas no serviço público. Mais do que nunca, é necessário propor uma ação que busca a construção de uma nova cultura institucional nos órgãos e entidades do Executivo”, frisou Teixeira.

 

 

Bairro Planejado

Como a mobilidade é um dos fatores mais importantes na sociedade moderna, o projeto arquitetônico do Perucaba Bairro Planejado de Arapiraca continua recebendo elogios de visitantes.

O projeto foi adotado para que qualquer pessoa, mesmo com necessidades especiais, possa circular com segurança e tranquilidade sem qualquer ajuda de veículo automotivo.

 

Cadeirante

Recentemente, um cadeirante teve a oportunidade de acesso ao clube social do Reserva Perucaba para desfrutar de um show com seus amigos.

Igor Góis visitou recentemente o empreendimento, juntamente com um grupo de amigos de Lagarto, município do interior do estado de Sergipe.

 

Mobilidade

O cadeirante elogiou os projetos de mobilidade e acessibilidade do projeto urbanístico, localizado no mais belo cartão-postal da segunda maior cidade de Alagoas.

O Bairro Planejado está localizado em uma das áreas mais valorizadas e que mais crescem em Arapiraca.

Uma nova cidade está sendo construída no lado sul do Lago Perucaba. O Bairro

 

Demissões

A cidade de São Paulo foi a que mais demitiu em 2015, com quase 140 mil postos de trabalho fechados, segundo os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados na quinta-feira (21). Em seguida, vêm Rio de Janeiro, com 82,7 mil cortes, e Belo Horizonte, com 68,4 mil vagas fechadas. Na outra ponta, a cidade que mais contratou foi Canaã dos Carajás, no Pará, com 2.801 vagas abertas.

 

Superaram

Em todo o país, as demissões superaram as contratações em 1,54 milhão de vagas formais em todo ano passado. O número representa forte piora em relação 2014, quando foram criados cerca de 420 mil empregos com carteira assinada.

 

 

… O resultado de 2015 foi o pior para um ano, considerando a série ajustada do Ministério do Trabalho, que tem início em 2002. Na série sem ajustes, é o pior desempenho desde 1992, quando teve início a contabilização dos empregos formais pelo governo, segundo números do Ministério do Trabalho. Com isso, trata-se do pior resultado em 24 anos.

 

… Em todo o país, as demissões superaram as contratações em 1,54 milhão de vagas formais em todo ano passado. O número representa forte piora em relação 2014, quando foram criados cerca de 420 mil empregos com carteira assinada.

 

… O resultado de 2015 foi o pior para um ano, considerando a série ajustada do Ministério do Trabalho, que tem início em 2002. Na série sem ajustes, é o pior desempenho desde 1992, quando teve início a contabilização dos empregos formais pelo governo, segundo números do Ministério do Trabalho. Com isso, trata-se do pior resultado em 24 anos.