Blog do Dresch

15 de janeiro de 2016

Aumenta numero de presidiárias em Alagoas

                   Um levantamento realizado pelo Departamento Penitenciário Nacional (Depen) entre 2007 e 2014, mostrou que o numero de mulheres presas em Alagoas cresceu 444%. O número de detentas em Alagoas passou de 62 em 2007, para 337 em 2014. Segundo o Juiz José Braga Neto, titular da Vara das Execuções Penais, o aumento é justificado pelo fato de Alagoas ser um dos estados mais violentos da federação. “Além disso, muitas mulheres continuam a atividade criminosa de seus companheiros quando estes são presos” explicou Braga Neto. Segundo ele, este fenômeno acontece em todo o país e exige que sejam tomadas medidas políticas sérias para evitar este crescimento.

Mulheres presidiárias 2

                   As mulheres que estão ocupando o Presidio Feminino Santa Luzia em Maceió, na maior parte, responde por tráfico de drogas (54%). Outro dado importante é que 65% delas estão com idade entre 18 e 34 anos, e 81% delas se declaram negras. 13% das mulheres presas respondem por homicídios, outras 9% por roubo, 8% por furto, 4% por porte de arma, 2% por receptação e 1% por latrocínio e formação de quadrilha. Em uma avaliação superficial pouco mudou no perfil das reeducandas de 2007 até hoje. O que chama mais atenção é a explosão do seu envolvimento direto com o tráfico de drogas.

 

Compra de alimentos

                   Em 2015, o governo federal comprou R$ 567, 2 milhões em alimentos produzidos por agricultores familiares, através do programa de Aquisição de Alimentos (PAA) do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. O total ultrapassou os gastos feitos em 2014 (R$ 565,6 milhões), mas ainda esta abaixo do volume desembolsado por outras iniciativas que destinam recursos à agricultura familiar, como o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) que repassa cerca de R$ 1,1 bilhão para compra de produtos. A diferença, segundo o Ministério, é que no PAA o agricultor não realiza somente a venda dos seus produtos, mas tem um acompanhamento durante todo o ano através da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) e das Prefeituras. O programa beneficia atualmente mais de 38 mil famílias, em 2,3 mil municípios de todo o país e vende seus produtos por intermédio da Conab e das prefeituras que indicam os projetos atendidos e definem a destinação dos alimentos. Estes produtos podem ser destinados a restaurantes populares, hospitais e postos de saúde, ou distribuídos para comunidades em situação de insegurança alimentar. Desde o inicio do ano passado, um decreto do governo obriga os orgãos federais a adquirirem no mínimo, 30% dos alimentos que precisarem da agricultura familiar, o que deve injetar R$ 1,4 bilhão nesse mercado. Para isso, foi criado um mecanismo facilitado de compra, através de chamada pública.

 

O Brasil e o supertelescópio

                   A Fundação Nacional da Ciência dos Estados Unidos (INSF) em parceria com o Departamento de Energia e diversas instituições privadas norte-americanas, esta construindo no alto de uma montanha no Chile, o Grande Telescópio de Levantamento Sinóptico (LSST em inglês). O projeto esta orçado em US$ 1 bilhão (R$ 4 bilhões) e terá o objetivo de produzir o primeiro “filme” do Universo, mostrando a dinâmica das estrelas, dos planetas, e dos astros em geral. E o Brasil vai estar presente no projeto através do Laboratório Interinstitucional de Astronomia (Linea), que vai ajudar na transmissão, processamento, armazenamento, catalogação e análise da enorme quantidade de dados que o LSST vai gerar.

O Brasil e o supertelescópio 2

                   Com um conceito de modernidade e com o mote de ser “amplo, rápido e profundo” o projeto é grandioso em todos os sentidos. O equipamento contará com um espelho principal de 8,4 metros de diâmetro, o secundário com 3,4 metros e o terciário de 5 metros, que permitirão recolher luz suficiente para ver objetos de brilho tênue em um vasto campo de visão de 10 graus quadrados, o equivalente a mais de 40 vezes a área ocupada no céu pela Lua cheia. Acoplada a esta estrutura estará a maior e uma das mais sensíveis câmeras digitais já produzidas, com um detector de 3,2 bilhões de pixels com um conjunto de filtros para produzir imagens coloridas numa faixa do espectro que vai desde o infravermelho próximo ao ultravioleta com exposições relativamente curtas, de apenas 15 segundos.

O Brasil e o supertelescópio 3

                   Esse maravilhoso equipamento fará uma varredura completa do céu do Hemisfério Sul nas suas seis bandas do espectro em pouco mais de três noites. A cada noite serão produzidos mais de 30 terabytes de informações, o equivalente a 600 filmes em alta definição, emitindo 5 milhões a 10 milhões de alertas automáticos de variações em parâmetros como o brilho e a posição de objetos celestes. Este dilúvio de dados poderá orientar estudos mais aprofundados em outros telescópios da terra ou do espaço. O levantamento inicial vai durar de 2022 a 2032 e ao final terá gerado 15 petabytes (cerca de 15 mil terabytes) de dados, e 0,5 exabites (500 mil terabytes) de imagens sobre quase 400 bilhões de objetos.

Debate sobre a crise

                   A necessidade da retomada do desenvolvimento, a elaboração de uma agenda de consenso para interromper a queda da economia e outros temas da atualidade, farão parte do debate, promovido pela Confederação dos Trabalhadores do Brasil (CTB-AL) nesta sexta feira (15), no Museu da Imagem e do Som (MISA) a partir das 19h. Os debatedores serão os economistas Sérgio Barroso, da Fundação Maurício Grabois e Fábio Guedes, presidente da Fapeal. O tema central do debate é “A conjuntura internacional e a retomada do desenvolvimento nacional”. Também serão lançados os livros “Ensaios sobre o subdesenvolvimento e a economia politica contemporânea” de Fábio Guedes, e “A grande crise global 2007-2013: gênese, conexões e tendências” de Sérgio Barroso.

 

  • A comunidade da Baixa do Mel, do assentamento Frei Damião, na zona rural de Inhapi recebeu esta semana, 600 cisternas que darão uma melhor qualidade de vida às famílias ali residentes.
  • São cisternas de primeira água, para consumo humano que diretamente vão atender a 1.181 famílias da localidade, e indiretamente chegarão a mais de 4.700 pessoas.
  •  A entrega dos equipamentos foi feita pelo governador Renan Filho e pelo Secretário de Agricultura, Álvaro Vasconcelos.
  • O governador anunciou ainda que a esperada obra da Adutora do Alto Sertão deverá ser inaugurada em Março, e que deverá atender a população de oito municípios que enfrentam as dificuldades da convivência com a estiagem.
  • Piranhas, Olho D’Água do Casado, Pariconha, Água Branca, Delmiro Gouveia, Mata Grande, Canapi e Inhapi serão beneficiados diretamente com o projeto.
  • A obra esta sendo concluída com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) já assegurados, além da contrapartida do governo de Alagoas.