11 de janeiro de 2016

Coxa plana.

Também chamada doença de Calvé Legg Perthes. Foi iniciado seu estudo por volta de 1910. Ao nome dos três pesquisadores também se junta o de Waldestron.

Chamada também de coxa plana devido à deformidade da cabeça femoral. Muitas questões permanecem em aberto no que diz respeito à etiologia como também as medidas terapêuticas apesar de já terem transcorrido mais de cem anos.

Sua incidência é de quinze casos por 100.000. Meninos 5:1 menina.

Já foram publicados dois mil trabalhos com relação ao tema no que diz respeito ao tratamento clinico (conservador) ou cirúrgico (operatório).

Apesar das discursões a teoria mais aceita é a de um distúrbio na distribuição da circulação arterial e venosa da cabeça femoral atingida.

O tratamento pode ser só um acompanhamento com radiografias à operação para centrar a cabeça na cavidade do acetábulo.

Como existe uma destruição da cabeça femoral, fazemos o possível para conserva-la  no local de melhor apoio possível.

Tenho optado sempre pelo acompanhamento trimestral ou semestral com radiografias e o uso de aparelho em abdução com descarga.

Assim procuro centrar a cabeça e manter da melhor forma possível sua esfericidade.

Escrevo hoje, pois estou tendo um caso acredito que depois de aproximadamente dez anos do último. E como estive no último congresso brasileiro de ortopedia em São Paulo no mês de novembro próximo passado fiquei me perguntando: quando teremos mudanças para podermos dar ao paciente e a sua família melhores cuidados e prognóstico alvissareiro?