Blog do Dresch

3 de janeiro de 2016

Cuidado com o material escolar!

                   A maior parte das escolas ao apresentarem aos pais a lista do material escolar exigida a cada novo ano, costuma incluir itens que são proibidos de se cobrar na relação. A advertência é do Procon que elaborou uma lista com 62 itens. A superintendente do Procon de Alagoas, Flávia Cavalcante pede que os pais não cedam á exigência dessas escolas e que tambem não aceitem a imposição de se comprar determinado material em estabelecimentos específicos. “Até mesmo o uniforme da escola não pode ter determinação para aquisição em uma determinada loja, a não ser que exista uma marca registrada” explica a superintendente.

Lista escolar proibida 2

                   Entre os materiais que não podem ser exigidos, estão itens de higiene pessoal como papel higiênico, creme dental e palito de dente, ou medicamentos, ou material de escritório como clips, grampos, fita durex, papel ofício, toner para impressora entre outros semelhantes. Tambem não podem ser exigidos produtos para desenvolvimento artístico como argila, brinquedos, etc. A legislação estabelece quem somente podem ser solicitados itens de uso pessoal do aluno como lápis, borracha, tinta, esquadros, réguas e no final do ano letivo, caso haja sobra do material solicitado, ele deve ser devolvido aos pais.

 

Tecnologia e inclusão

                   A inclusão de estudantes com deficiência na educação ainda é um desafio para o País, seja nas escolas públicas ou privadas. Reportagem publicada esta semana no Estadão, mostrou que o acesso às tecnologias móvel e o surgimento de aplicativos voltados ao atendimento especializado têm crescido e se mostrado um caminho para reduzir as  dificuldades na vida dessas crianças e jovens. Nos tablets e smartphones mais modernos é possível baixar aplicativos ou acessar alguns sites que podem acompanhar a rotina dos mais novos. Há também sistema para letramento de pessoas com autismo e até tradutor simultâneo para língua de sinais. Um dos aplicativos mais procurados é o “Minha Rotina”, disponível para iPad, que organiza as atividades do usuário na escola, em casa e na clinica de atendimento especializado, atualizando todos os cuidados com a criança. Para estudantes com autismo e dificuldade para se comunicar, aplicativos como “Que Fala!”, “Talkboard” e “Scala”, disponíveis para Tablets Android, podem ser uma boa opção. Esses softwares, conhecidos como comunicação alternativa, usam um sistema de prancha digital que permite a introdução de símbolos, A ideia é que a criança possa apontar para as figuras que representam pensamentos, ações, desejos, entre outros elementos. No caso de estudantes com deficiência visual existem aplicativos e acessibilidade nos smartphones. Em aparelhos Android, por exemplo, o sistema Talkback permite o uso de celular por meio de respostas faladas e por vibração do dispositivo. Outra opção é a leitura de livros digitais com áudio, como o DDReader.

 

Sorvete gosto de peixe

                   Dois empresários japoneses lançaram um sorvete de um tipo de peixe, como uma nova sobremesa adequada para as festas de fim de ano e como uma forma de incentivar as crianças a comer pescado. O sorvete, que é vendido em poites individuais, conta com duas variedades, uma com sabor salgado e outra com gosto de baunilha. Os empresários contaram com orientação de cozinheiros de sushi, que desenvolveram a técnica de transformar a carne do peixe em flocos de neve secos. Eles consideram que essa mudança alimentar pode fazer com que as crianças gostem do pescado como manda a tradição alimentar oriental.

 

Mudança de comunicação

                   Neste ano de 2015, o numero de linhas de celulares caiu pela primeira vez no Brasil. Ou seja, falou-se menos e se utilizou mais a internet. Serviços de Tv por assinatura e telefonia fixa também tiveram sua primeira queda no número de usuários, motivados, boa parte pela crise econômica. Mas o serviço de internet fixa e móvel, especialmente de tecnologia 4G tiveram uma expansão nunca vista no País. O setor de telefonia celular, que vinha crescendo a cada mês, apresentou uma queda de 2,8% no número de linhas ativas em 2015. Em Janeiro, havia 281,7 milhões de linhas ativas no Brasil. Já em Outubro o número havia caído para 273,6 milhões de linhas. Técnicos em sistemas de comunicação esperavam que esta queda começasse somente em três anos.

Mudança de comunicação 2

                   Boa parte dessa queda é atribuída á diminuição do número de celulares com chips pré-pagos, segmento que teve redução de 4,5%. O percentual corresponde a uma queda de 10 milhões de chips. No mesmo período, os celulares pós-pagos apresentaram um leve aumento de 0,3%. A queda no número de usuários de celular pode ser explicada por uma mudança de comportamento dos brasileiros. Em vez de ter dois ou três chips em cada aparelho para usar os serviços de voz, os clientes estão optando por trocar mensagens de texto e voz, por meio de aplicativos como o WhattsApp, que utiliza somente dados da internet.

Mudança de comunicação 3

                   O      setor de TV por assinatura foi outro que apresentou uma queda neste ano e pela primeira vez. O número de assinantes em Janeiro era de 19,65 milhões, mas a partir de maio começaram a cair. Os dados da Anatel relativos a Outubro mostram que o numero de assinantes caiu para 19,36 milhões, uma queda de 1,3%. No ano passado o crescimento havia sido de 8,7%%. Entre 2010 e 2014 o número de assinantes dobrou. A crise econômica é apontada como a causa maior desta redução. Na telefonia fixa também houve queda no número de usuários. Em Janeiro havia 45 milhões de linhas fixas e em Outubro, o número era de 44,04 milhões de linhas. A queda foi de 2,2%.

 

 

  • Durante todo o mês de Janeiro o Departamento Estadual de Trânsito de Alagoas (Detran/AL) estará colocando em prática a campanha “Viva o Verão da Vida”, que envolverá também os demais orgãos de trânsito do Estado e dos municípios.
  • A campanha tem objetivos educativos, apresentando dados importantes sobre os cuidados no trânsito, a atenção á sinalização o bom relacionamento com demais motoristas, motociclistas, ciclistas e pedestres.
  • A campanha pretende ainda repercutir as mais de 160 vidas que foram salvas em 2015 em relação a 2014, e o trabalho fundamental (e reconhecido pela população) como a Operação Lei Seca.
  • Por ser um período de férias, com aumento considerável do fluxo de veículos, com muitos turistas circulando pelo estado, a atenção de todos precisa ser redobrada, explica o diretor-geral do Detran, Antonio Carlos Gouveia.
  • As operações serão intensificadas no litoral norte e no litoral sul, sempre com a intenção de salvar vidas. O Detran vai trabalhar ainda com alertas, dicas e orientações que tornem o verão em Alagoas sinônimo de segurança e preservação da vida nas estradas.