27 de maio de 2015

Dores ósseas e articulares

“Doutor estou com dor em todos os ossos”! Reclamação comum para quem faz consultório em ortopedia.

Alguns clientes apresentam alteração com edema (inchaço) nas articulações (juntas) outros não.

Iniciamos então as pesquisas. Alguns apresentam sequelas de amigdalites sofridas quando criança ou adolescentes. Outros nunca fizeram um exame de densitometria com dosagem de cálcio e vitamina D.

Ficam um pouco espantados ou temerosos quando assim procedemos, pois não é comum, ou do dia a dia, que causas antigas ou não corriqueiras sejam as responsáveis por queixas atuais.

Explicamos que as infecções de garganta podem ter sido com o streptococcus aureus (existem várias cepas A, B, C e D) que se não totalmente negativados deixam uma enzima no organismo que é chamada de ante streptolisina (ASLO). Este germe é responsável pela febre reumática. Doença que falamos “lamber as juntas e morder o coração”. O tratamento é feito com penicilina benzatina durante longo tempo.

Outra possibilidade é a baixa dosagem de vitamina D. Apesar de morarmos em país tropical e estarmos no nordeste as dosagens de vitamina D de uma boa parte da população são baixas. Alterando o metabolismo do cálcio em relação ao osso. Desta forma podendo gerar dor óssea como também articular pelos músculos e tendões.

A exposição ao sol de dez horas às quinze horas (o sol considerado ruim pelos dermatologistas) sem filtro solar é o ideal, por dez a quinze minutos. A alimentação com peixes tipo sardinha, atum e salmão. E o azeite de oliva uma colher de sopa diariamente. O uso de vitamina D em gotas ou comprimidos pode reforçar a de ingestão alimentar.