Blog do Dresch

13 de maio de 2015

Finalmente, Chatô vem aí

                   Depois de vinte anos do inicio das filmagens, diversos processos na Justiça, inclusive as condenações para devolver o dinheiro obtido para as sua realização, o filme “Chatô, o Rei do Brasil”, baseado na obra de Fernando Morais, chega aos cinemas. Leitura mais que obrigatória para jornalistas, radialistas, empresários da comunicação, políticos e historiadores, o livro, lançado pela Companhia das Letras em 1995, narra a trajetória do jornalista e empresário Assis Chateaubriand, criador do maior império da comunicação já visto na América Latina. Mas a polêmica criada em relação ao filme, passa pelo neófito diretor Guilherme Fontes, ator da Rede Globo, que comprou os direitos, obteve os financiamentos e é o grande réu (ou vitima) de toda essa história. Mas ele garantiu ao Estadão, que esta fechando as negociações para o lançamento, que vai acontecer ainda neste primeiro semestre. Fontes garante também que já resolveu o problema da dívida de R$ 71 milhões cobrada pelo Tribunal de Contas da União, mostrou que aproveitou corretamente o empréstimo, e os prazos também foram combinados. Ele conseguiu, em 1995 um incentivo de R$ 12 milhões através da Lei Rouanet, mas captou somente R$ 8,6 milhões, na época, insuficiente para a produção. O diretor obteve ainda outros financiamentos através da Petrobrás e da Riofilme, que também entraram na Justiça para reaver os valores. Problemas que ele igualmente garante ter solucionado.

Chatô vem aí

                   Mas todas as dificuldades não impediram Guilherme Fontes de continuar tentando consolidar seu sonho maior, que sempre foi contar a vida de Assis Chateaubriand, fundador dos Diários e Emissoras Associados. Um império de comunicação que estreou a televisão brasileira, e era composta por dezenas de emissoras de rádio e de jornais, na época, os principais do Brasil. Aqui em Alagoas, faziam parte do grupo o Jornal de Alagoas e a Rádio Progresso, os mais populares veículos de comunicação de Alagoas durante anos.

Chatô vem aí 2

                   Sobre o lançamento do filme, disse Fontes: “Finalmente o filme que eu planejei esta pronto e vai ser lançado em breve. Estou extremamente feliz por ter conseguido, apesar de todas as adversidades e sofrimentos, entregar ao público a história de um dos mais importantes e controversos brasileiros de todos os tempos” afirmou. Sobre os processos que respondeu na Justiça, defende-se o diretor: “Meu maior erro foi ter iniciado o filme sem ter levantado todo o dinheiro do orçamento aprovado. Mas agora todos vão poder comprovar a qualidade da produção. Muitas questões que o país vive hoje estão lá” justificou Guilherme Fontes.

Semana de Enfermagem

                   Um dos mais importantes eventos da Enfermagem brasileira, a Semana Brasileira de Enfermagem (SBEn) acontece a partir desta quinta feira (14) no Campus A.C. Simões, da Universidade Federal de Alagoas. A palestra de abertura será feita pela Presidente do Conselho Nacional de Saúde, Maria do Socorro Souza, uma representante dos usuários do Sistema Único de Saúde, que pela primeira vez assume a maior instância de controle social da área da saúde no Brasil. Ela vai estar á frente da Conferência Nacional da Saúde, em Novembro, fundamental para a discussão das politicas públicas e das demandas do setor.

Esperança de vida

                   O bebê de apenas 8 meses, Ricardo Curvo de Almeida, iniciou esta semana o tratamento com o Canabidiol, medicamento á base de maconha, para controlar um síndrome rara congênita e que leva a morte. A doença degenerativa, batizada de Síndrome de Chinzel-Giedion, somente tem registro em 15 casos em todo o mundo, sendo três no Brasil, mas somente Ricardo continua vivo. O medicamento, que esta sendo aplicado através de sonda gástrica, foi importado dos Estados Unidos, com autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Esperança de vida 2

                   A expectativa é que o Canabidiol possa frear as convulsões que o menino sofre, mais de 30 por dia. Para obter o primeiro lote do medicamento, a família teve de fazer numa campanha entre amigos e parentes. Custou R$ 3 mil e é suficiente para somente um mês. A sugestão para o uso do Canabidiol no bebê foi da médica especialista em genética, Fernanda Góes de Veiga, que tem consultório no Rio de Janeiro. Ela explicou que a opção pelo medicamento aconteceu porque o estado de saúde do bebê havia piorado muito, e agora já dá sinais de melhora.

Bolsas da Fapeal

                   Estudantes do ensino médio ou profissionalizante, matriculados na rede pública de ensino podem participar do programa de Bolsas de Iniciação Científica Jr. (Pibic Jr.) lançado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas (Fapeal). Serão disponibilizadas 90 bolsas para orientadores vinculados à Ufal, 70 para o Instituto Federal de Alagoas (Ifal) e 44 para a Universidade Estadual de Alagoas (Uneal). O objetivo é estimular a vocação cientifica e o desenvolvimento de atividades de pesquisa científica e tecnológica, orientadas por um pesquisador qualificado.

 

 

  • A Praça Rayol, na Pajuçara, sofre com o descaso e o abandono por parte da Prefeitura de Maceió. Local de lazer e de concentração da sociedade maceioense há muitas décadas, hoje clama por um mínimo de respeito por sua história e por sua representatividade social.
  • Escolhida pelos vereadores para ser o local, a partir de agora de concentrações, manifestações, atos públicos e de passeatas da diversidade sexual, precisa, urgentemente, de mais atenção e de respeito aos moradores do seu entorno.
  • Mas se falta mais carinho e atenção por parte da Prefeitura de Maceió em relação à Praça Rayol, o mesmo não se pode dizer dos canteiros centrais da Avenida Fernandes Lima.
  • Irrigados semanalmente, grama cortada e cuidados com as árvores mais antigas, os canteiros são uma espécie de boas vindas aos que chegam à capital alagoana, e dignos de uma sensação agradável aos motoristas e pedestres.
  • Mas o grande destaque neste Outono, fica por conta do espetáculo grená dos Flamboyants. Poucos é verdade, mas que embelezam o olhar, alegram o coração e despertam o amor que a gente sente pela nossa cidade.