5 de maio de 2015

Pisadas e os calçados.

Na evolução da espécie humana passamos a andar com a cabeça erguida acima dos ombros. Coluna ereta que vai da base do crâneo até “fechar” a bacia por trás. Os quadris e joelhos juntamente com os tornozelos se alinham numa postura harmônica. Terminando nos pés. Os pés tão sensíveis quanto às mãos (vide os pintores que usam os pés para realizar suas obras), tem a obrigação de transportar o peso do corpo.

Cada dia com a evolução da moda os pés são muito maltratados. Principalmente os das mulheres. Saltos altíssimos e bicos cada vez mais finos. (só servem para matar barata no canto da parede!).

Calçados devem ser bonitos, confortáveis, resistentes e funcionais. Não devem tentar modificar a estrutura dos pés e sim dar acolhimento aos mesmos.

Pisamos normalmente em posição de cinco para uma hora ou de dez para as duas. Nunca devemos pisar tipo meio dia ou então quinze para as três como o Carlito do Charles Chaplin.

Alguns pés tombam para dentro. Pronados. Outros para fora. Supinados. Outros neutros. Pronar em latim quer dizer jurar. Supinar, pedir.

Assim ao comprar calçados para caminhada ou corrida aqui vão algumas dicas.

Sempre fazer a compra à tarde ou à noite quando os pés já caminharam bastante e estão um pouco mais “gordos”, inchados, edemaciados. Assim você não corre o risco de comprar um número menor. Caso tenha dúvida dos termos acima, é só verificar se gasta mais o calçado do lado de dentro ou de fora. Pedir o reforço interno ou externo. Caso gaste o salto do sapato no centro é neutro.

A frente do calçado também é importante. Que seja sempre “frente ampla” ou o mais arredondada possível (isto nos tênis), pois dá um maior conforto aos dedos e aos metatarsos não gerando a chamada metatarsalgia.

Nem sempre o mais caro tênis é o melhor. Quase sempre o intermediário é o mais indicado.