Blog do Dresch

3 de maio de 2015

Lula quer barrar terceirização

                Para o ex-presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, os trabalhadores do país devem se unir cada vez mais contra o projeto de terceirização que tramita no Congresso. Na opinião dele, até a Presidente Dilma Rousseff deve barrar a proposta, e isso seria “uma questão de honra”. A questão da terceirização foi o principal tema das manifestações da última sexta feira, 1º de Maio, promovidas pela Central Única dos Trabalhadores (CUT) em todo o país. Lula considera que o projeto, caso seja aprovado seria o maior retrocesso sob a ótica das conquistas dos trabalhadores, desde Getúlio Vargas, governo no qual foi aprovada a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

Triste liderança

                   O Brasil, desde 2009, é o líder mundial entre os maiores consumidores de agrotóxicos. O consumo chega a 5,5 quilos por brasileiro, por ano. Para se ter uma idéia, o setor agrícola do nosso país comprou, no ano de 2012, 823.226 toneladas de agrotóxicos, sendo que boa parte deles, proibida em outros países. De 2000 a 2012 o aumento em toneladas compradas foi de 162.32%. Os dados foram divulgados através do Dossiê Abrasco – Um Alerta sobre os impactos dos Agrotóxicos na Saúde, lançado pela Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco). O dossiê considera que o aumento esta diretamente relacionado à expansão da monocultura e dos transgênicos. Ao contrário do que se pensava, a produção nestes setores exigiu agrotóxicos mais poderosos, mais fortes, muitos dos quais sequer eram permitidos no Brasil, isso para combater pragas na soja e no algodão transgênicos, que foram atacados por pragas. Ainda segundo as informações, 22 dos 50 princípios ativos mais empregados em agrotóxicos no Brasil estão banidos em outros países. A situação é de descontrole, onde o Estado não cumpre o processo de fiscalização como deveria, nem a legislação é cumprida. Entre 2007 e 2014, aconteceram 34.147 casos de intoxicação por agrotóxico. Entre os principais problemas estão a má formação do feto, câncer, disfunção fisiológica, problemas cardíacos e neuronais. O dossiê lançado agora é uma revisão da versão publicada em 2012. Tem 600 páginas e é acrescido de diversos fatos marcantes, estudos científicos e decisões políticas sobre agro


Canabidiol simplificado

                   Já estão vigorando os novos critérios estabelecidos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para simplificar a importação de produtos à base de canabidiol, um dos derivados da maconha usado em tratamentos de saúde. A Anvisa liberou uma lista com produtos facilitados, e os cinco principais que representam 95% das importações fazem parte da lista. Para eles, não será mais necessário análise da área técnica da Agência e isso reduzirá os prazos para a liberação da importação.

Canabidiol simplificado 2

                   A Anvisa também definiu a possibilidade de indicação do intermediário que efetivamente importará o produto, como hospitais, prefeituras ou planos de saúde. A possibilidade de intermediação poderá reduzir os custos para os pacientes. A quantidade total de canabidiol prevista na receita médica poderá ser importada em etapas, de acordo com a conveniência dos responsáveis pela importação. Extraído da maconha, o canabidiol (CBD) vem sendo usado no combate à convulsões provocadas por diversas enfermidades, entre elas a epilepsia. Em Janeiro, a Anvisa aprovou a reclassificação do CBD como medicamento de uso controlado e não mais como substância proibida.

Teste caseiro de Aids

                   O Reino Unido começou a comercializar esta semana o primeiro teste caseiro que permite saber em 15 minutos se uma pessoa foi infectada com o vírus da Aids. O teste, da companhia Bio Sure UK e que pode ser comprado pela internet funciona de maneira similar ao da gravidez, aos medir os níveis de anticorpos no sangue. Os especialistas advertem, contudo, que caso o resultado dê positivo, precisa ser confirmado pelos médicos. Por outro lado o teste permitirá a muitas pessoas a obter um tratamento rápido caso tenham sido infectados pelo HIV.

Teste caseiro de Aids 2

                   O dispositivo permite analisar uma pequena gota de sangue extraída pela pessoa, e após 15 minutos, aparecerão duas linhas de cor roxa se o teste der positivo. Nesse caso o fabricante orienta a pessoa a comparecer a uma clinica especializada em doenças sexualmente transmissíveis. Caso o resultado dê negativo, não significa que a pessoa esteja totalmente livre do vírus, uma vez que os anticorpos são gerados três meses após a infecção. As entidades que apoiam pessoas infectadas comemoraram a entrada no mercado do teste caseiro, que sempre foi um pleito para identificar a presença do vírus.

 

Cosméticos infantis

                   Resolução da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicada no Diário Oficial da União esta semana, definiu os requisitos técnicos relativos à formulação, segurança e rotulagem para a concessão e registro de produtos de higiene pessoal, cosméticos e perfumes infantis. O texto estabelece que público infantil crianças com até 12 anos incompletos, e determina, por exemplo, que a formulação desse tipo de produto seja constituída de ingredientes próprios  seguros  para o uso proposto, levando-se em conta possíveis casos de ingestão acidental. Produtos infantis fabricados antes da resolução, poderão ser comercializados até o seu prazo de validade.

 

 

  • Tem inicio amanhã em todo o país, a Campanha nacional de Vacinação contra a Influenza, que se estenderá nas unidades de saúde até o próximo dia 22.
  • Em Alagoas a campanha atingirá os 102 municípios e a Secretaria de Estado da Saúde pretende imunizar 702.289 pessoas inseridas nos chamados grupos de risco.
  • Dos grupos alvos a meta é vacinar 280.517 idosos com mais de 60 anos. Entre as gestantes serão vacinadas 39.380: as crianças puérperas (45 dias após o parto) 6.487. Também deverão ser imunizados 57.034 trabalhadores da área da saúde, 13,137 indígenas, 56.461 portadores de doenças crônicas, 4.160 detentos e 1.152 funcionários do sistema prisional de Alagoas.
  • A proteção da vacina dura aproximadamente um ano, e ela não causa gripe nem tem efeitos colaterais. A vacina protege contra três tipos de vírus , sendo dois mais comuns e um da gripe H1N1.
  • Todos os tipos são consideradas como doenças de trato simples, porém, entre a população alvo, pode chegar a complicações graves e em alguns casos levar ao óbito.Lula quer barrar terceirização