<![CDATA[ Tribuna Hoje - O portal de notícias que mais cresce em Alagoas ]]> <![CDATA[Polícia prende mulher suspeita de matar o marido]]> Suspeita de assassinar o marido a golpes de faca, Luciane da Silva Vieira, 38 anos, foi detida na noite deste domingo (15), por policiais do Grupamento Militar, no Assentamento Nova Esperança, no município sertanejo de Olho d'Água do Casado.

De acordo com informações da polícia, Luciane da Silva teria discutido com o companheiro Manoel Vicente da Silva, 57 anos, que foi atingido por golpes de faca na barriga. A vítima não resistiu aos ferimentos e morreu no local onde aconteceu a briga.

O corpo de Manoel Vicente da Silva foi removido para o IML de Arapiraca, enquanto Luciane da Silva Vieira foi levada para a delegacia da cidade e encontra-se à disposição da justiça.

]]>
<![CDATA[SSP de Alagoas apresenta oito suspeitos de homicídios presos na semana passada]]> A Secretaria de Segurança Pública de Alagoas (SSP-AL) apresentou em entrevista coletiva na Sala de Situação da sede do órgão, no Centro de Maceió, oito homens detidos suspeitos de envolvimento com crimes de homicídio. As prisões ocorreram na semana passada e foram oito apresentados. Seriam nove, porém um deles foi transferido para o presídio do Agreste durante o remanejamento de reeducandos durante o final de semana.

A secretária de Políticas da SSP, Luci Mônica, afirmou que a apresentação de suspeitos de homicídio funciona como efeito preventivo. São crimes que demandam uma maior carga de trabalho para as polícias e a prisão mostra que o trabalho da Segurança Pública é constante.

Além dela, participaram da coletiva o delegado Fábio Costa, da Homicídios, e o coronel Neivaldo, representando o Comando do Policiamento da Capital (CPC).

O primeiro detido foi Adriano dos Santos Mendes, de 33 anos, vulgo ‘Onze’. É suspeito de homicídio de Luiz Carlos Victor dos Santos, de 34 anos, cometido em quatro de janeiro de 2013 no povoado Resina, município de Brejo Grande, em Sergipe. O crime foi cometido com golpes de barra de ferro na cabeça da vítima. A prisão foi realizada em 30 de dezembro de 2016 na Mangabeiras.

José Hildemar da Cruz Reis, vulgo ‘Baiano’, de 37 anos, foi apresentado pelo envolvimento com o homicídio do reeducando Jonathan Marques Tavares na Casa de Custódia, o Cadeião, na quinta-feira (12). Ele foi identificado através das câmeras de videomonitoramento do sistema prisional.

Silas da Silva Oliveira, de 28 anos, foi um dos detidos em operação deflagrada em Rio Novo na semana passada. Foi cumprido um mandado de prisão expedido pela 17ª Vara Criminal em seu desfavor por conta de vários homicídios. Ele também teria envolvimento com uma organização criminosa e com o tráfico de drogas no bairro de Rio Novo.

Isaque Martins de Medeiros, de 35 anos, foi preso em flagrante em Rio Largo. Ele é suspeito de esfaquear José da Silva Alves, de 22 anos, no bar ‘Cantinho da Lu‘, no bairro da Forene, localizado entre Maceió e Rio Largo. A arma do crime, uma faca peixeira de cabo branco foi apreendida na casa de Isaque. A faca ainda estava com vestígios de sangue.

Darlan Alves Pereira, de 27 anos, e Adriano da Silva, de 26 anos foram detidos em três de janeiro deste ano em cumprimento a mandado de prisão temporária. Apenas Darlan foi apresentado, já que Adriano havia sido transferido para o presídio do Agreste. A dupla é suspeita de matar a tiros Edson dos Santos Cavalcante, vulgo ‘Chinha’, quando este se encontrava na porta de sua residência em 14 de setembro de 2015. A intenção da dupla era matar Daniel Barbosa da Silva, que também estava no local e ficou ferido. Daniel teria acusado um dos suspeitos do homicídio pelo crime de roubo.

Uesley Manuel Santos Silva, de 20 anos, vulgo ‘Luquinhas’ foi detido suspeito de homicídio ocorrido em 19 de julho de 2016 no campo do Barcelona, no Benedito Bentes. Ele e mais quatro pessoas teriam executado Marcos dos Santos Oliveira por causa de uma dívida com o tráfico. O responsável pela boca da fumo na região, identificado como ‘Edvan’ teria sido o mandante.

Leandro Torres da Silva, de 26 anos, teve mandado de prisão cumprido em seu desfavor. Ele é suspeito de vários homicídios, entre eles a morte de um taxista em agosto do ano passado.

Pedro Gaspar da Silva Filho foi detido em diligência da Delegacia de Homicídios. Ele alegou no dia que não era traficante e nem portava seu RG. Com base em informações de que ele andava armado e era integrante do tráfico, ele foi conduzido para a Central de Flagrantes. Lá foi confirmado que Pedro era foragido do estado de Goiás por homicídio.

]]>
<![CDATA[Homem é executado com tiros no ombro esquerdo e na cabeça em Rio Novo]]> No final da noite de domingo (15), mais um homicídio foi registrado na capital alagoana, desta vez no bairro de Rio Novo. A vítima foi um homem de 27 anos, morto próximo ao depósito de construção ‘Rio Novo Construções’.

Identificado como Salustiano Emilio Teixeiro, ele foi encontrado já sem vida por uma guarnição do 4º Batalhão de Polícia Militar. Salustiano foi atingido por três tiros, sendo dois na cabeça e um no ombro esquerdo.

O 4º BPM acionou o Instituto de Criminalística e o Instituto de Medicina Legal para os procedimentos necessários.

A Delegacia de Homicídios também esteve presente e deve investigar o caso.

]]>
<![CDATA[Estado movimenta 600 reeducandos no Complexo Penitenciário em megaoperação]]> Mais uma megaoperação integrada foi concluída com êxito no Complexo Penitenciário, situado em Maceió. No domingo (15), agentes penitenciários se articularam com policiais e bombeiros militares para movimentar 600 reeducandos e reforçar a segurança em todos os presídios alagoanos.

Durante o procedimento, 540 internos dos Presídios de Segurança Máxima, Baldomero Cavalcanti e Casa de Custódia da Capital foram transferidos para Penitenciária de Segurança Máxima. A operação foi mais uma diretriz do Governo do Estado para preservar a integridade física dos servidores, reeducandos e visitantes.

Pela Secretaria da Ressocialização e Inclusão Social (Seris), participaram da ação integrada agentes penitenciários das unidades prisionais, do Grupamento de Escolta, Remoção e Intervenção Tática (Gerit), do Centro de Monitoramento Eletrônico de Presos (CMEP) e do serviço de inteligência.

A Secretaria da Segurança Pública também teve um papel fundamental no procedimento com os trabalhos dos militares do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), Grupamento Aéreo, Pelotão de Operações Policias Especiais (Pelopes), Batalhão de Polícia de Radiopatrulha (BPRp), Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças (Cefap), além do Corpo de Bombeiros.

Ao final da operação, o secretário da Ressocialização, tenente-coronel PM Marcos Sérgio de Freitas, destacou o empenho das forças de segurança para manutenção da ordem nos presídios.

“Esta é mais uma prova de que o Estado está empenhado em manter o controle de todos os presídios. E a integração dos agentes penitenciários com os militares têm sido fundamental para promoção da Justiça no cumprimento das penas”, finaliza o secretário Marcos Sérgio.

]]>
<![CDATA[Autoridades confirmam 26 mortes durante motim em presídio do Rio Grande do Norte]]> Em coletiva a imprensa no início da noite deste domingo (15), após um dia de inspeção na Penitenciária Estadual de Alcaçuz, na região metropolitana de Natal, as autoridades de segurança pública do Rio Grande do Norte informaram que 26 pessoas – não 27, como noticiado mais cedo – foram mortas durante um motim que começou no sábado (14).

A rebelião - resultante de uma briga entre integrantes de facções criminosas rivais que cumprem pena na unidade - aconteceu no pavilhão 4 da penitenciária, quando detentos do pavilhão 5, que são mantidos separados, escaparam e deram início ao confronto. O motim foi contido no começo da manhã de hoje (15). Houve mobilização de todas as forças policiais do estado para conter o conflito, evitando que se espalhasse para outros pavilhões.

O secretário estadual da Justiça e da Cidadania, Walber Virgolino da Silva Ferreira, disse que o cenário no interior de Alcaçuz após a rebelião era de barbárie, com as estruturas muito danificadas e corpos mutilados. Dois corpos foram carbonizados, um semicarbonizado e todas as outras vítimas foram decapitadas.

O diretor do Instituto Técnico-Científico de Polícia (ITEP) , Marcos Brandão, informou que os 26 corpos foram acondicionados em sacos próprios e levados para uma carreta refrigerada sob o cuidado da polícia militar. “Amanhã começam os trabalhos de necrópsia e identificação”, informou. Ele não deu prazo para a identificação das vítimas, mas informou que as famílias de detentos que estiverem em busca de informações devem ir até o ITEP, e não ao presídio de Alcaçuz.

O secretário estadual de Segurança Pública e Defesa Social, Caio César Marques Bezerra, disse que durante a tarde as forças policiais, incluindo autoridades, soldados e peritos, entraram na penitenciária para realizar a contagem dos presos, a análise da extensão dos danos estruturais e avaliar a quantidade de vítimas mortas e feridas. Também foram feitas revistas nas celas e apreendidas armas caseiras. Um detento fugiu durante a rebelião, mas foi encontrado rapidamente.

Sobre as medidas para evitar um novo massacre, o secretário Virgolino disse que forças de segurança estão na unidade e o policiamento foi reforçado para a noite. “O período noturno exige mais cuidado para evitar que grupos rivais entrem em conflito. A vigilância foi reforçada dentro do presídio, nas guaritas e nos arredores da unidade.”, disse. Ele também informou que homens da Força Nacional estão reforçando a proteção do perímetro da unidade.

O secretário de segurança informou que amanhã haverá uma nova inspeção no presídio pelas forças policiais, incluindo tropa de choque e outras, que vão entrar de novo no local em busca de armas brancas que possam ter sido usadas nas execuções.

A Polícia Civil disse que esta semana serão instaurados os inquéritos para investigar as mortes.

Transferências

Sobre a transferência de líderes da rebelião para outros presídios, o secretário Bezerra disse que elas vão acontecer se houver necessidade, mas que ainda é cedo para se ter uma posição oficial. “As transferências serão realizadas de acordo com o resultado das investigações e vão ocorrer se for necessário”, falou.

 

]]>
<![CDATA[Dez detentos fogem de presídio na região metropolitana de Belo Horizonte]]> Dez detentos fugiram do Presídio Regional de Ibirité, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, na madrugada deste domingo (15). O 48º Batalhão da Polícia Militar de Minas Gerais está atuando nas buscas pelos fugitivos, mas até às 16h20 nenhum deles havia sido localizado.

A fuga aconteceu por volta das 3h. Não há registro de mortos ou feridos. Também não houve rebelião no presídio. Os dez foragidos compartilhavam a cela com outros três detentos que não quiseram participar da fuga. Eles serraram as grades do local e usaram uma corda feita de cobertores e lençóis para escapar.

A PM encontrou uniformes usados pelos detentos nos arredores da unidade. Os nomes dos foragidos ainda não foram divulgados.

]]>
<![CDATA[Copacabana sedia protesto contra a morte de PMs no Rio]]> A praia de Copacabana, mais uma vez, foi palco de uma manifestação contra a morte de policiais militares no Rio de Janeiro. Dessa vez, o protesto foi organizado pela entidade SOS Polícia e reuniu cerca de 50 manifestantes, incluindo filhos de militares, e levou para a areia cruzes, bonecos caídos na praia vestidos com fardas de PMs manchadas de vermelho, simulando sangue e cartazes e faixas com as frases Também somos vítimasRio de Janeiro em Luto, e outras, pedindo mudanças na legislação penal.

Neste domingo (15), houve a décima primeira morte de policial militar só este ano no Rio. O  2º sargento Cristiano da Anunciação Macedo foi baleado em São João de Meriti, Baixada Fluminense. De acordo com a Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro (PMERJ),  Macedo tinha 40 anos,  estava há 18 anos na corporação e deixou esposa.

A PMERJ disse em nota que testemunhas contaram que o sargento foi atingido ao tentar separar uma briga. No mesmo momento, um homem e uma mulher também foram baleados. O homem morreu no local e a mulher está internada no PAM. A Polícia Civil informou que foi instaurado um procedimento para apurar as mortes do policial militar e de Wallace dos Santos Pires.

Para o 1º tenente da PM Nilton da Silva Pereira, que está em reserva remunerada e participou da manifestação na Praia de Copacabana, as mortes sucessivas de PMs têm ocorrido por causa da certeza de impunidade dos criminosos. “O marginal, hoje, que comete um delito parece ter a certeza de que vai se manter em liberdade. O sistema prisional hoje já não intimida. Porque se intimidasse, ele não cometeria estes crimes contra nós policiais ou contra qualquer cidadão comum”, disse.

Ele defendeu mudanças na legislação, com punição mais rígida, e se mostrou contrário ao regime de progressão da pena. “Infelizmente, tem um entendimento que a regra hoje é a liberdade. A prisão é a exceção, porque o sistema prisional não está funcionando adequadamente”, apontou.

Policiais em perigo

O tentente Pereira destacou que o sistema de proteção do policial em serviço tem falhas e que os equipamentos também são precários, com falta de manutenção nos armamentos e nos veículos da polícia, inclusive com falta de combustível. Ele disse que atualmente, quando o policial está de folga, evita passar por locais de conflito. “Hoje não tem mais condição do policial andar sozinho. A gente, na  vida civil, evita áreas de confronto, áreas perturbadas”, afirmou.

“Esta falta de estrutura compromete não só o serviço, mas também a vida psicológica do policial, porque se ele não tiver ali com todos os recursos possíveis do Estado para defender a sociedade, ele mesmo não está protegido. Como é que vai proteger a sociedade?”

Outra reclamação do tenente é com relação à falta de apoio às famílias de policiais aposentados. Ele disse que, mesmo inativo, quando se depara com uma situação de assalto, por exemplo, o policial inativo instintivamente reage. Mas se, por acaso, vier a morrer neste caso, a família não recebe assistência e não tem “direito a qualquer seguro, qualquer indenização”

Ele conta que o policial aposentado, mesmo na inatividade, tem porte de arma e vai defender o cidadão, porque o instinto vai lhe levar a fazer isso. “Mas se [o policial aposentado] vier a sofrer sequelas, ele é abandonado pelo Estado. Tem companheiros em cadeiras de rodas”, completou.

 

]]>
<![CDATA[Oplit detém dois jovens suspeitos de roubo na parte baixa da capital]]> Agentes da Operação Policial Litorânea Integrada (Oplit) detiveram na noite de sábado (14), dois suspeitos de roubo na parte baixa da capital. Luan Patric da Silva, de 19 anos, e José Rodrigo Alves Lopes da Silva, 22 anos, conhecido como “Anão”, foram detidos na região do Stella Maris, no bairro da Jatiúca, após assaltar uma senhora.

Segundo o coordenador da Oplit, policial civil Alfredo Presser, a dupla foi localizada quando a equipe estava em rondas pela região e recebeu informações que eles tinham acabado de cometer o roubo.

“Iniciamos a perseguição à moto imediatamente, conduzida por eles, que só vieram parar cerca de 2 km do local do crime, após o condutor perder o controle do veículo”. Disse Alfredo Presser.

Moto usada pelos suspeitos durante o roubo (Foto: Ascom / PC-AL)

O coordenador da Oplit disse ainda que segundo as vítimas, “Anão” foi quem deu voz ao assalto e mostrou-se bastante agressivo, pulando da moto ainda em movimento para o cometimento do delito.

Durante a ação, o aparelho celular roubado foi recuperado e devolvido à vítima.

Aparelho celular recuperado e devolvido à vítima (Foto: Ascom / PC-AL)

Após os dois terem sido detidos, foram conduzidos à Central de Flagrantes II, localizada no Complexo de Delegacias Especializadas (Code), onde foram autuados pelo delegado plantonista e estão à disposição da Justiça.

]]>
<![CDATA[Segurança Pública reforça prevenção no sistema prisional e clima é tranquilo]]> Por medida de precaução, a Secretaria de Segurança Pública mais uma vez em parceria com a Secretaria de Ressocialização, enviou tropa para o sistema prisional. Na manhã deste domingo (15), viaturas do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), da Radiopatrulha (Rp) e os helicópteros Falcão 2 e Falcão 3 amanheceram o dia de prontidão em Maceió.

O reforço policial é uma forma de garantir ações mais rápidas em situação emergencial, embora os presídios de Alagoas não tenham esboçado plano de rebelião ate o momento. Enquanto as unidades especializadas se posicionam no entorno dos presídios e circulam internamente, os Falcões captam imagens que possam flagrar qualquer movimentação suspeita.

A preocupação do secretário de Ressocialização, tenente-coronel Marcos Sergio, é a de justamente engessar qualquer ação violenta em massa dentro das unidades prisionais e a SSP sempre se coloca à disposição, como ressalta o secretário Lima Júnior.

"Estaremos sempre unindo forças e somando em quaisquer situações. A SSP e Seris são parceiras e não mediremos esforços para ajudar, seja na prevenção ou quando o momento exigir ação imediata. Nossos homens estão preparados para todas as missões. Esperamos que em Alagoas seja mantida a ordem no sistema, mas estamos vigilantes  ajudando aos companheiros da Seris’, afirma o secretário.

(Foto: Ascom / SSP-AL)

No Agreste, o presídio também recebe atenção policial reforçada e o apoio aéreo do helicóptero Falcão 4. A Segurança Pública esclarece que, mesmo com o apoio dado ao sistema prisional, as escalas de patrulhamento nas ruas é mantida normalmente.

Já de acordo com o secretário da Ressocialização e Inclusão Social, tenente-coronel PM Marcos Sérgio de Freitas, a medida representa mais uma atitude planejada do Governo do Estado para manter o controle das unidades prisionais e eliminar qualquer possibilidade risco.

“Estamos empenhados, trabalhando diuturnamente e adotando todas as medidas necessárias para evitar motins, rebeliões e qualquer tipo de instabilidades nos presídios. Não iremos cessar nossas ações. Trata-se de um trabalho de prevenção permanente”, destaca o secretário Marcos Sérgio.

]]>
<![CDATA[Ônibus é assaltado no bairro do Bom Parto e adolescente de 17 anos é apreendido]]> No início da madrugada deste domingo (15), duas pessoas não identificadas assaltaram um ônibus da linha Ufal/Ponta Verde, prefixo 3604, pertencente à empresa São Francisco, no bairro do Bom Parto.

A dupla praticou o crime e fugiu. Uma guarnição do 4º Batalhão de Polícia Militar foi informada do delito e iniciou buscas aos suspeitos.

Um menor com 17 anos idade foi apreendido pela guarnição. Morador da Chã de Bebedouro, ele não estava portando arma de fogo, mas estava com um relógio que pertencia a um dos passageiros do coletivo assaltado.

O adolescente foi encaminhado à Central de Flagrantes I e teve um ato infracional por roubo confeccionado em seu desfavor.

]]>