<![CDATA[ Tribuna Hoje - O portal de notícias que mais cresce em Alagoas ]]> <![CDATA[Carro e van colidem na AL-105 e motorista morre em São Luiz do Quitunde]]> Um grave acidente na noite desta segunda-feira (24) no município alagoano de São Luiz do Quitunde deixou uma vítima fatal e feridos. Uma van colidiu com um carro de passeio na AL-105. O motorista do carro não resistiu aos ferimentos do acidente.

Segundo o 6º Batalhão da Polícia Militar (6º BPM), o motorista do carro faleceu após o acidente. Equipes do Corpo de Bombeiros e do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foram acionadas ao local, porém nada puderam fazer pela vida do condutor do veículo, ainda não identificado. O motorista da van ficou preso às ferragens, foi socorrido e levado para o Hospital Geral do Estado (HGE).

Ainda segundo os policiais, os passageiros da van não ficaram feridos com gravidade e tiveram apenas escoriações. O veículo de passeio ficou totalmente destruído após o acidente. Já a van ficou com a parte frontal destruída.

O 6º BPM disse que ainda não há informações sobre a causa do acidente. O Instituto de Criminalística e o Instituto de Medicina Legal foram acionados para perícia e recolhimento do corpo da vítima.

]]>
<![CDATA[Prefeito chama a polícia para conter manifestação de professores]]> Mesmo debaixo de muita chuva, os professores da rede municipal de ensino, em Arapiraca, realizam, na manhã desta segunda-feira (24), mais uma mobilização pelas ruas da cidade, para cobrar da prefeitura a reposição salarial de 7,64%.

Por volta das 7h30, os trabalhadores da Educação tentaram entrar no prédio do Centro Administrativo Municipal, localizado no bairro Santa Edwiges, mas foram impedidos pelos guardas municipais e viaturas do Pelotão de Operações Policiais (Pelopes) do 3º Batalhão Militar de Arapiraca.

Os seguranças decidiram colocar cadeados nos portões, o que gerou um clima de insatisfação entre os servidores que chegavam para trabalhar no prédio.

Neste momento, o clima é de aparente calma do lado de fora do Centro Administrativo de Arapiraca.  

Desde o início do mês de maio que que os trabalhadores da Educação do município estão em greve. A categoria cobra a reposção de 7,64%, de acordo com a data-base vencida em abril deste ano, e a prefeitura apresentou, no mês de junho, uma proposta de 2,33% de reposição salarial, mas as duas partes não chegaram a um acordo.

Há cerca de duas semanas, o desembargador Alcides Gusmão coordenou uma audiência de conciliação no Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ/AL), em Maceió, sem, contudo, encontrar uma solução para o impasse.

A greve é a mais longa da história de Arapiraca. A expectativa é de que o TJ/AL se pronuncie ainda esta semana, acerca da legalidade ou não do movimento dos trabalhadores da Educação de Arapiraca. 

]]>
<![CDATA[Delmiro Gouveia recebe primeira Feira da Reforma Agrária]]> No Sertão de Alagoas, a cidade de Delmiro Gouveia recebe nos próximos dias 25 e 26, a primeira edição da Feira da Reforma Agrária. Organizada pelo MST, a Feira deve reunir uma variedade de produtos vindos de vários acampamentos e assentamentos da Reforma Agrária de todo o estado. A Feira acontecerá na praça de eventos, no centro da cidade.

De acordo com Débora Nunes, da coordenação do MST, a realização da Feira em Delmiro Gouveia é mais uma importante iniciativa de fazer o diálogo com a sociedade sobre a importância da Reforma Agrária, além de comercializar a produção dos trabalhadores e trabalhadoras rurais Sem Terra.

“Durante os dois dias de Feira a população delmirense terá a oportunidade de consumir uma diversidade de alimentos produzidos livres de agrotóxicos e comercializados por um preço abaixo do mercado convencional”, afirma Nunes. “Na Feira da Reforma Agrária, o consumidor compra seu produto direto das mãos de quem o produziu, eliminando a figura do atravessador e garantindo essa possibilidade de adquirir um produto saudável por um preço justo”.

Dezenas de trabalhadores e trabalhadoras Sem Terra ocupam a praça de eventos com a diversidade da produção do campo a partir das primeiras horas da manhã da terça-feira (25), além dos camponeses da região, também são esperados produtos vindos das roças de outras partes do estado.

“Teremos nos próximos dias uma verdadeira prestação de contas com a sociedade. Aqui no Sertão temos vários assentamentos e acampamentos, vamos materializar com a nossa produção nesses dias de Feira a necessidade e a importância da realização da Reforma Agrária, que produz vida e alimenta a mesa de quem também está na cidade”, reforçou Débora, que também integra o Setor de Produção do MST.

A iniciativa do MST em realizar as Feiras em diversos municípios do estado, como Arapiraca, Junqueiro e São Luiz do Quitunde nos anos anteriores, surge da necessidade de estreitar o diálogo com a população nas regiões onde estão localizadas várias áreas da Reforma Agrária, possibilitando, a partir das Feiras, intensificar a relação entre campo e cidade.

Em 2017 o MST inicia sua agenda de feiras em Alagoas com a realização da edição no Sertão, ainda estão previstas feiras em outras regiões, além da feira estadual, em Maceió, que completa 18 edições em setembro.

Além da comercialização da produção dos assentamentos e acampamentos, a Feira também contará com atrações culturais na noite do dia 25.

]]>
<![CDATA[Ventos derrubam postes e povoado fica isolado no Agreste]]> As fortes chuvas que vêm caindo na Região Agreste provocaram estragos na zona rural do município de Girau do Ponciano, a 150 km de Maceió.

Na madrugada deste domingo (23), os moradores do Povoado Canafístula do Cipriano, na zona rural do município, tiveram um grande susto com a queda de dois postes de iluminação pública.

Por conta disso, o acesso à localidade ficou interditado, deixando os moradores isolados e sem energia elétrica.

Os postes caíram nas proximidades da Escola Estadual Enoque de Barros, na localidade que tem cerca de cinco mil moradores.

Na manhã deste domingo, uma equipe da Eletrobrás foi acionada para fazer os reparos na rede de iluminação e retirar os postes do meio da estrada.

]]>
<![CDATA[Ação de reflorestamento ontabiliza mais de 30 mil mudas semeadas em Alagoas]]> Juazeiro, angico de caroço, catingueira, ipês roxo e amarelo. Mais de 30 mil mudas de espécies florestais nativas da Caatinga e da Mata Atlântica contribuem para recuperar áreas degradadas das regiões Agreste e Sertão do Baixo São Francisco alagoano. A ação é resultado de parceria entre a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) e o Centro de Referência em Recuperação de Áreas Degradadas do Baixo São Francisco (Crad/Ufal), unidade que atua na realização de pesquisas e na capacitação de pessoal, como parte do Programa de Revitalização da Bacia do Rio São Francisco, coordenado pelo Ministério do Meio Ambiente.

Iniciado há seis anos, o plantio das mudas de espécies nativas tem o objetivo de contribuir para a recuperação da biodiversidade e para a melhoria da qualidade de vida e das condições de convivência com o semiárido do estado. As espécies possuem as características necessárias de resistência e de adaptação morfológica e fisiológica que garantem sua sobrevivência mesmo em períodos de secas extremas.

Entre as mudas utilizadas na ação estão ainda a craibeira, a pata de vaca e o pau ferro, além de cactáceas, como coroa de frade, mandacaru e xique-xique. Como destaque das ações do centro, foi firmada, em 2015, parceria com uma empresa de mineração – dando origem ao projeto de extensão Triunfo Ambiental, cujo objetivo é desenvolver atividades de educação ambiental e de recuperação de áreas degradadas, principalmente recompondo áreas de propriedade da própria empresa, com o plantio de espécies de plantas nativas. Entre as ações desenvolvidas no projeto destacam-se coleta e beneficiamento de sementes, preparo de substrato, educação ambiental com crianças e com a população local.

A parceria também rendeu a produção de outras 15 mil mudas para dar suporte às ações de recuperação ambiental. As espécies são semeadas no viveiro de plantas nativas da Pedreira Triunfo, localizado na vila Aparecida, zona rural de Arapiraca.

“Está na missão da Codevasf o desenvolvimento da região das bacias dos rios onde atua e a preservação desses biomas. Os centros de referência são fruto de uma parceria bem sucedida entre as universidades federais e o governo federal, que atrai outros parceiros com objetivos em comum. Toda essa ação conjunta produz frutos muito positivos para o meio ambiente e para os cidadãos”, afirma Inaldo Guerra, diretor de Revitalização das Bacias Hidrográficas da Codevasf.

 Modelos de recuperação

Entre as ações, o Crad/Ufal também realiza coleta de sementes e produz mudas para implantação de áreas usadas para estudo de modelos de recuperação da Caatinga. Foram implantadas áreas nos municípios alagoanos de Santana do Ipanema, Girau do Ponciano, Arapiraca e Igreja Nova.


“Além disso, foram doadas mudas para trabalhos de recuperação de áreas em outros municípios fora da bacia do rio São Francisco”, ressalta o professor José Vieira, coordenador do centro. Segundo ele, o Crad/Ufal tem fornecido mudas para atividades esporádicas de educação ambiental em diferentes municípios de Alagoas e na própria universidade.

Apoio à pesquisa

O Crad/Ufal, criado em 2007 em Arapiraca (AL), é um centro de pesquisa e extensão que envolve pesquisadores da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) e da Universidade Federal de Sergipe (UFS). “Temos produzido e difundido conhecimento, além de promover a conscientização sobre a importância da recuperação, preservação e manutenção dos recursos ambientais (flora e água, principalmente) como fonte geradora de saúde, trabalho e renda”, explica o coordenador do centro.

Numa área de 1,7 hectare, no Campus Arapiraca, o centro desenvolve, desde 2010, diversos trabalhos de pesquisa com espécies vegetais nativas junto com alunos de graduação (Agronomia e Biologia) e de pós-graduação (Mestrado em Agricultura e Ambiente).

Para o desenvolvimento das atividades, foram investidos recursos da Codevasf, da Ufal e de parceiros na construção de um viveiro para plantas nativas, miniauditório ao ar livre e área de convivência para recepcionar visitantes, principalmente estudantes.

Revitalização em foco

A estruturação dos Crads objetiva promover a recuperação de áreas degradadas na bacia do rio São Francisco e proteger a diversidade biológica e os recursos naturais. Por meio do Programa de Revitalização da Bacia do Rio São Francisco, a Codevasf tem implantado os Crads em parceria com os ministérios do Meio Ambiente e da Integração Nacional e com as universidades federais de Brasília (UnB), de Lavras (Ufla-MG), do Vale do São Francisco (Univasf-PE), de Alagoas (Ufal), de Minas Gerais (UFMG/Unimontes-Janaúba/UFVJM), do Oeste da Bahia (Ufob-Barreiras) e Rural de Pernambuco (UFRPE/UAST-Serra Talhada).

A atuação dos Crads visa ao desenvolvimento de modelos de recuperação em áreas demonstrativas, à definição e documentação de procedimentos para facilitar a replicação de ações de recuperação e à promoção de cursos de capacitação de recursos humanos.

“O principal objetivo desses centros é desenvolver modelos para recuperação de áreas degradadas, promover a capacitação para a formação de recursos humanos e disseminar práticas de recuperação e desenvolvimento sustentável como produção de mudas, plantio, tratos silviculturais e capacitação, dentre outros”, afirma o engenheiro florestal da Codevasf, Camilo Cavalcante de Souza.

“O apoio da Codevasf tem sido fundamental para estruturação dos centros oferecendo instalações adequadas para a produção de conhecimento e desenvolvimento dos modelos de recuperação, o que ganha relevância especial neste momento de crise hídrica”, destaca.

A proposta é implantar sete centros de recuperação de áreas degradadas. Destes, cinco já foram implantados: Crad/UnB-Cerrado, em Brasília; Crad/Ufla-Transição Cerrado e Mata Atlântica, em Arcos (MG); Crad/Univasf-Caatinga, em Petrolina (PE); Crad/Ufal-Transição Caatinga e Mata Atlântica, em Arapiraca (AL); e Crad/UFMG-Mata Seca, em Janaúba (MG).

]]>
<![CDATA[Em menos de 24 horas, Polícia Civil recupera motocicleta roubada]]> Policiais civis do 86º Distrito Policial (86º DP), comandados pelo delegado Renivaldo Batista, recuperaram na sexta-feira (21), no município de São Sebastião, uma motocicleta que foi roubada na noite do dia anterior, quinta-feira 20, em Arapiraca.

A ação foi realizada imediatamente quando os agentes observaram a reação dos acusados ao avistarem a viatura policial, e empreenderem fuga, indo para um canavial.

Algum tempo depois a equipe do 86º DP, localizou a motocicleta, que se encontrava no bairro Gado Bravo, em São Sebastião.

Assim que a motocicleta foi recuperada, os policiais a investigaram e constataram que ela tinha sido subtraída de um vigilante da unidade de emergência de Arapiraca.

“Ao ser informado que localizamos seu automóvel, e seus documentos, a vítima ficou muito agradecida porque não tinha seguro, e já marcou para vir reaver seu bem aqui na delegacia distrital”, concluiu o delegado.

Material recuperado na ação (Foto: Ascom / PC-AL)

]]>
<![CDATA[DH apresenta aumento de mais de 500% na conclusão de inquéritos em Arapiraca]]> Os dados estatísticos da Delegacia de Homicídios de Arapiraca (DHA) apresentam que, na segunda maior cidade de Alagoas, foram concluídos de janeiro à junho de 2017, 150 inquéritos policiais, contra 22 no mesmo período do ano passado, um aumento de 582%.

Os números passados pelo delegado Everton Gonçalves, titular da DHA, apresentam ainda aumento de 50% na confecção de Boletins de Ocorrência como também maior número de mandados de prisão, busca e apreensão e inquéritos concluídos no primeiro semestre deste ano, quando comparado com o mesmo período de 2016.

De janeiro à junho deste ano, 99 BO’s foram confeccionados e foram feitas solicitações ao Judiciário, que resultaram no cumprimento de 28 mandados de prisão. Em 2016, foram confeccionados 66 boletins de ocorrência, e cumpridos cinco mandados de prisão

Além da conclusão do número de inquéritos houve também aumento quanto a identificação do autor do crime, sendo 11  inquéritos concluídos com autoria no ano de 2016. Já em 2017 este número subiu para 82, com um aumento de mais de 500%.

O delegado Everton Gonçalves, titular da Delegacia de Homicídios de Arapiraca afirmou que o resultado se deve ao firme trabalho investigativo e de inteligência da Polícia Civil, o que tem contribuído decisivamente para reduzir os crimes de homicídios no município, somando-se a isto, algumas ações realizadas de forma integrada com as demais forças de segurança.

]]>
<![CDATA[65ª edição do Baile da Chita reúne gerações e movimenta economia de Paulo Jacinto]]> O baile mais tradicional do estado já tem data e hora marcada, será realizado sábado, 29 de julho a partir das 23h no Clube Cultural Recreativo Paulojacintense (CRPJ). O evento é a manifestação cultural mais importante no calendário da cidade. Em 2015, o Baile da Chita recebeu o Título de Patrimônio Imaterial Histórico e Cultural de Alagoas. O evento foi criado há 65 anos e até hoje vem promovendo o desenvolvimento socioeconômico, político e cultural de Paulo Jacinto, região agreste de Alagoas.

E os moradores da cidade já estão ansiosos e se preparando para celebrar a festa. Os menos de oito mil habitantes não veem a hora de se vestir de chita e rever os filhos da terra que voltam à cidade nessa época para participar da tradição.

‘’Existe essa euforia, porque é o nosso referencial. O baile é a nossa identidade cultural. “Está sobrevivendo até hoje e foi por causa dele que nos tornamos independente politicamente. Como todos já sabem a principal causa da criação do baile foi à emancipação política, pois na época o povoado conhecido como Lourenço de Baixo que pertencia a Victória (atual cidade de Quebrangulo) já estava bem desenvolvido e os moradores sentiam a necessidade de se tornarem independentes politicamente. Então, moradores do povoado liderados por Josefa Barbosa ou Zefinha Barbosa como era conhecida, se reuniram para traçar e sugerir ideias que desse para ganhar dinheiro e tornar a vila um município”, esclareceu Valney Erik, pesquisador e ex-secretário de cultura.

ENCONTRO DE GERAÇÕES

O baile da Chita se transformou em um evento familiar onde acontece um encontro de gerações. A festa já formou muitos casais que até hoje estão juntos e frequentam o baile, como é o caso de Andréia Suzie Almeida e Fabiano, que se conheceram no baile de 2001 e estão juntos até hoje.

“Conheci Fabiano no baile. Ficamos e estamos juntos há 16 anos. Desde então, vamos todos os anos e agora com nosso filho de 15 anos. É um evento familiar”, contou Andréia.

Baile da Chita na década de 1950 (Foto: Paulo Henrique Vasconcelos / Arquivo - Cortesia)

O estudante Weverton Rodrigues, natural de Paulo Jacinto, mas que reside em Maceió contou que vai todos os anos com a família e sempre tenta seguir a tradição e ir  trajado de chita. “Vou todos os anos com minha família. É o melhor evento do estado, sem dúvida. É tradição”, expôs.

COMEÇO

Segundo a história contada por vários moradores mais antigos da cidade, tudo começou após várias reuniões, onde Josefa Barbosa (Conhecida como Zefinha), José Aurino de Barros (In memorian), e outros, discutiram o que fazer para pagar o advogado, foi quando a própria Josefa teve a ideia de realizar um baile no povoado. Depois de tudo planejado, surgiu o nome de ‘’Baile da Chita’’, segundo os professores e pesquisadores da cidade, a chita era um tecido da época que tinha um grande poder de comercialização, então os organizadores resolveram dar origem a está referência.

Nos preparativos para o primeiro baile, Josefa teve a ideia de colocar uma rainha, uma vez que o baile seria realizado após os festejos juninos, no mês de julho. A rainha era eleita através dos fundos adquiridos, a que mais arrecadasse dinheiro na venda de rifas e bingos seria a eleita. Todos esses acontecimentos se deram por volta da década de 50.

ECONOMIA LOCAL

No período da festa, a movimentação na cidade aumenta. Gerando mais renda para o comércio local.  “Nessa época a gente ganha mais. Desde junho tivemos encomendas. E tenho certeza que até o baile vai dobrar. Vem muita encomenda por aí”, disse Cícera Monteiro, coordenadora da Associação das Costureiras de Paulo Jacinto.

2017

Este ano o Baile da Chita completa 65 anos de tradição. Os responsáveis pela a organização do evento afirma que os preparativos estão sendo realizados e que os frequentadores não vão se arrepender de participar. “O público vai dançar com a Orquestra High Society e Fabrício do Acordeon e Trio Pé de Serra. As vendas de ingressos individuais e mesas já iniciaram e estamos com mais de 90% vendidas. As mesas para os sócios custam R$130,00, não sócios R$150,00. Já os individuais para sócios é R$30,00 e não sócio R$35,00,” informou o presidente do CRPJ José Barros.

Preparativos da festa já estão a todo vapor; decoradores já confeccionam os adereços que vão dar charme e cor à ambientação do clube (Foto: Ascom / Paulo Jacinto)

Fleury Filho um dos organizadores e sobrinho da idealizadora do evento disse que todos os anos o público supera a expectativa. “O local cabe 900 pessoas. Vendemos todas as mesas, 170 em 2016. Esse ano a expectativa é vender todo de novo. A uma semana do baile já estamos com mais de 90% vendidas”, contou.

REGISTRO DE MEMÓRIA

Até hoje existem várias versões sobre o baile da Chita, mas nas pesquisas para o Trabalho de Conclusão de Curso - TCC: Baile da Chita, um registro de memória, de autoria dos jornalistas Lucas França e Roberison Xavier, consta que durante todos esses anos a festa deixou de ser realizada em apenas um ano. Em 1978, por causa da morte do então prefeito da cidade José Correia Fontan. Já em 1989, depois de uma forte enchente que inundou a cidade semanas antes da festa, o baile foi adiado e realizado no mês de setembro. Outra inundação, no ano de 2010, adiou a edição mais uma vez. Apesar da tragédia a população não deixou de realizar a tradicional festa. Em 2014, também não houve o baile da Chita em ambiente fechado, mas foi realizado na Praça de Eventos Josefa Barbosa, aberto ao público.

Musicalidade e escolha da rainha representa continuidade da tradição

A musicalidade também se tornou importante. Na época, Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira estavam fazendo sucesso com a composição Propriá, que carinhosamente ficou conhecida como Rosinha de Propriá pelos paulojacintenses, por se tornar a chamada de abertura do evento. Luiz Gonzaga estava de passagem pela região Nordeste e ao saber que sua música era considerada a chamada de abertura do baile, em agradecimento e por convite do senhor José Aurino de Barros na época prefeito nomeado em 1953 ele fez questão de realizar um show na cidade já emancipada. Até hoje a música Propriá, ainda é tocada pelas bandas e orquestras convidadas, na abertura do baile.

ETERNAS RAINHAS

Hoje, à rainha do baile não é mais escolhida através de arrecadação de fundos. Elas são escolhidas através do voto direto dos associados do CRPJ, da diretoria responsável pela organização do evento ou por uma mesa julgadora que analisam as candidatas. Todas têm que obedecer alguns requisitos, como boa “conduta”, ser simpática, bonita, idade entre 15 e 18 anos, e ser natural da cidade ou residir no município.

A escolha das rainhas sempre gerou certa polêmica. Isso porque segundo os moradores as escolhidas sempre pertenciam à família de sobrenome de destaque ou pertenciam a uma classe social mais elevada.

Escolha da rainha no baile de 2008 (Foto: JC Alves / Cortesia)

Renicacia Moreira, moradora da cidade ressalta que a escolha das rainhas deve ser feita de forma democrática e diz que todos tem o direito de opinar. “Em minha opinião esse ano foi bom porque podemos mostrar que ao contrário de anos anteriores à rainha foi escolhida pela vontade do povo. Antes, só era rainha quem era da classe média. Acho justa a participação da população na escolha da jovem que representará a festa”, concluiu.

E por falar em rainha, a representante deste ano já foi escolhida, a estudante Erika Vasconcelos, 18 anos, foi eleita através do voto direto dos associados do CRPJ e contou para reportagem da Tribuna Independente, como foi ser eleita.

“Toda menina que reconhece a grandeza da tradição, cresce com o desejo de se tornar rainha do Baile. Não só pelo prestigio que recebe no dia da festa, mas pelo valor de representar uma tradição. E eu levo a tradição comigo. Contei para pessoas de todo país, através do meu canal no Youtube, a história do baile e como tudo aconteceu”, disse Erika Vasconcelos.

Erika está sendo chamada na cidade como a representante do povo. A jovem concorreu com outras quatro candidatas. “Trabalhar com o público é importante, porque sempre fui muito insegura. O canal veio como uma maneira de me libertar de tudo. E o que me deixa ainda mais realizada é ver meninas que assim como eu, que não são confiantes com o seu cabelo cacheado, com o seu corpo fora dos padrões, se inspirarem em mim e digam: ‘’você me ajuda. Através de você eu assumi meu cabelo” Assim, também está acontecendo agora. Depois de ter sido escolhida como a rainha de 2017, ouço das conterrâneas que se sentem mais seguras de participar. Porque durante muitos anos foi posto um padrão de beleza, um padrão financeiro e familiar para esse título, entristecendo quem o tem como um sonho. Ser rainha vai além da beleza física. Ser filha de doméstica e servidor público não é vergonha, que bom que o povo está pensando assim. A Tradição é de todos.  Sinto-me lisonjeada por ser chamada de rainha do povo. Farei jus ao meu título e levarei Paulo Jacinto e sua história aonde quer que eu vá’’, concluiu a rainha.

Além do baile, programação traz atrações culturais e shows musicais gratuitos

Para acompanhar a festa privada que acontecerá no CRPJ, a prefeitura da cidade vai realizar uma festa gratuita com mostra de saberes populares, apresentações culturais e shows com grandes nomes da música regional. Os festejos acontecem nos dias 29 e 30 de julho.

Escolhida rainha do baile desta edição, Erika Vasconcelos está sendo chamada de a representante do povo (Foto: Victor Menezes / Cortesia)

Na programação, além de nomes como Luan Estilizado, Raphael & Gabriel, Forrozão das Antigas e Ana Lôbo, vai ter espaço garantido para os músicos da terra no palco de shows representados pela Banda Aero5 e pelo vaqueiro cantador Maciel Valente.

Então, quem resolver passar o final de semana na cidade vai conferir muito mais que o Baile e as apresentações musicais noturnas em praça pública. Durante o dia, a agenda festiva traz ainda apresentações culturais diversas, mostra de artes visuais e outros saberes populares, sempre a partir das 15h, na Praça de Eventos Zefinha Barbosa e adjacências.

“A Festa da Chita é nossa referência cultural máxima. Imagine uma cidade que nasceu de um baile, de uma festa realizada por iniciativa popular. Foi assim que nasceu nossa cidade, antes Vila pertencente ao município de Quebrangulo”, explica a secretária de Cultura, Turismo e Comunicações de Paulo Jacinto, Clarissa Veiga.

Ela conta que este ano a Prefeitura envolve diretamente a população na construção da festa. “O projeto de cenografia, assinado pela designer Christie Pedra, vai fazer as estampas do tecido que dá nome a festa brotarem pela cidade. Donas de casa, artesãs, decoradores e voluntários diversos trabalham na elaboração dos artefatos que vão decorar o Clube Cultural e Recreativo para o tradicional Baile, bem como enfeitar a cidade para receber o público da nossa grande festa”, conta.

Para o prefeito, Marcos Lisboa, realizar a 65ª Festa da Chita, foi um desafio para a gestão. “Graças à parceria com o governo do Estado, vamos conseguir presentear o paulojacintense e seus visitantes com uma festa em grande estilo. Nosso objetivo é que nesses quatro anos possamos reviver os grandes Festivais da Chita que realizamos em outros anos à frente da gestão municipal”, explana.

Baile da Chita (Foto: Lucas França / Arquivo)

Lisboa explica ainda que, em sua 65ª edição, a Festa da Chita volta a trazer programação para todas as idades. “Dividimos o sítio do evento em dois espaços distintos, o ‘Família’ tem programação a partir das três horas da tarde com mostra de arte, artesanato e comidas típicas; enquanto no ‘Espaço Festa’, o público vai conferir e interagir com bandas de fanfarra, coco de roda, quadrilhas juninas, forró pé de serra e muito mais. À noite os grandes shows começam a partir das vinte e três horas”, diz.

SEGURANÇA E APOIO

Para manter o clima de tranquilidade típico da cidade e garantir a segurança na Festa, o prefeito ampliou a já recorrente parceria com a Polícia Militar de Alagoas e garantiu efetivo policial extra junto ao Governo do Estado. “O governador Renan Filho tem sido parceiro do município em todos os momentos, garantindo obras de infraestrutura básicas fundamentais aos nossos cidadãos, segurança e apoio na realização da nossa mais tradicional festa”, atesta o prefeito.

A Festa da Chita contará com estrutura de apoio, bombeiros civis, ambulâncias e equipe médica de plantão para atendimento imediato em casos de emergência.

Uma tenda de serviços será montada para campanhas de saúde e do serviço de assistência social do município. Atrelada a essa iniciativa soma-se a distribuição de preservativos e a realização de um aulão de zumba no palco da Praça Multieventos.

Confira a Programação Completa

(Imagem: Divulgação)

DIA 29

ESPAÇO FAMÍLIA

15h ÀS 22h

Culinária Tradicional

Artesanato

Artes visuais e Outros Saberes

Mostra Degustativa do Cardápio Oferecido na Merenda Escolar do Município

ESPAÇO FESTA

CULTURA NA PRAÇA - A PARTIR DAS 15 HORAS

Grande Encontro de Bandas de Fanfarra

Coco de Roda

Aulão de Zumba

Forró Pé de Serra, participação especial de Estudantes Repentistas

Exposição dos Alunos da EJA do Município e dos Alunos do Ensino Médio da Escola Estadual.

SHOWS MUSICAIS - A PARTIR DAS 21 HORAS

Raphael e Gabriel

Ana Lôbo

Maciel Valente

Shows na 57ª edição da festa (Foto: Reprodução)

DIA 30

ESPAÇO FAMÍLIA

15h ÀS 22h

Culinária Tradicional

Artesanato

Artes visuais e Outros Saberes

ESPAÇO FESTA

CULTURA NA PRAÇA - A PARTIR DAS 15 HORAS

Capoeira

Grande Encontro de Quadrilhas

Quadrilha Vila Forró

Junina Capim Canela

Forró Pé de Serra, participação especial de Estudantes Repentistas

SHOWS MUSICAIS - A PARTIR DAS 21 HORAS

Banda Aero5

Forrozão das Antigas

Luan Estilizado.

]]>
<![CDATA[Agricultores são beneficiados com máquinas e governo reforça parceria com prefeito]]> A onda de mendigar junto às usinas pedindo trator ou ter que alugar esse tipo de maquinário ao preço de R$ 160 por hora, a fim de preparar a terra para o plantio, ao que parece, agora acabou entre as cerca de 800 pessoas cadastradas no Programa da Agricultura Familiar no município de Messias. Pessoas que geralmente se sacrificavam com dinheiro próprio para depender de máquinas. É que na sexta-feira (21), o prefeito Jarbinhas (PSDB) e seu vice, Luiz Emílio receberam uma comitiva liderada pelo governador Renan Filho, oportunidade em que o senador Renan Calheiros fez a entrega de três tratores agrícolas, totalmente equipados, com os mais diversos tipos de instrumentos para o preparo da terra, cuja ação chegou justamente para beneficiar o homem do campo, sobretudo de forma gratuita, por meio da Prefeitura.

Frota automotiva vai garantir melhorias no campo, Saúde e Conselho Tutelar

“Esses tratores fazem parte de uma Emenda Parlamentar que conquistamos junto ao senador Renan Calheiros. Aliás, eu teria solicitado apenas um, mas esse grande homem achou por bem acrescentar mais dois, numa emenda que também conta com uma possante caminhonete e um carro Gol que vão servir na área de Saúde, além de um carro Air Cross para o Conselho Tutelar e mais 360 itens de mobílias que vão atender ao Conselho Tutelar e algumas unidades de Saúde”, comentou o prefeito Jarbinhas, bastante emocionado, principalmente pelo fato de administrar um município que hoje é referência nacional, conforme avaliação do Sebrae/AL,  no que se refere às políticas de incentivo ao Programa da Agricultura Familiar. 

Prefeito Jarbinhas comandando a entrega das chaves dos tratores, junto com Renan Filho, Renan Calheiros e o diretor da Emater, Carlos Dias

O governado Renan Filho enalteceu a administração de Jarbinhas, citando o trabalho sério que é adotado em Messias, razão de ser um município hoje organizado em todos os aspectos; sobretudo honrando o compromisso com o servidor, fornecedores e tocando obras constantemente. “Vamos investir em torno de 2 milhões de reais no serviço de abastecimento d’água de Messias, onde aqui, será a cidade-piloto quanto aos investimentos que a Casal fará em todo o Estado. Quero anunciar também a implantação de uma escola em tempo integral e a construção do Centro Integrado de Segurança Pública [CISP]” garantiu o governador, prometendo retornar à cidade em setembro já para assinar as ordens de serviço,  oportunidade em que acontecerá a Emancipação Política. 

Solenidade reuniu centenas de pessoas e convidados especiais

“Sinto-me honrado em servir ao prefeito Jarbinhas; e sempre tenho dito: o que estiver ao meu alcance eu quero fazer, porque sei que estou lidando com uma pessoa organizada e capacitada para atuar em qualquer parte da política do Brasil” argumentou o senador Renan Calheiros.  

Comitiva liderada pelo governador sendo recepcionada pelo prefeito Jarbinhas e o vice, Luiz Emílio

Além do governador Renan Filho e do senador Calheiros, o evento reuniu diversas autoridades; entre elas, o secretário de Agricultura, Álvaro Vasconcelos; o diretor-presidente da Emater, Carlos Dias; o superintendente regional da Agricultura, Alain Correia; o presidente da Conab, Eliseu; o deputado estadual, Davi Davino; o prefeito de Murici, Olavo Neto; o prefeito de Joaquim Gomes, Adriano Barros; além de vereadores e secretários do município. 

Esse grupo de agricultores atua na Fazenda Prazer (Usina Bititinga). São membros do MLST. Plantam: macaxeira, milho, feijão, batata, abacaxi entre outros produtos que são comercializados na região. A Fazenda conta com 120 famílias cadastradas no Programa da Agricultura Familiar. “A gente alugava um trator para uma hora de aração, ao preço de 160 reais. Eu, por exemplo, tive que precisar de seis horas seguidas este ano, o que daria 960 reais, mas o dono do trator deixou por 900” disse seu José Antônio, que em meio aos amigos comemorava nesta sexta-feira a chegada dos maquinários que agora vão servir a todos de graça

Jarbinhas (centro) entre os proprietários de veículos durante a doação de um terreno para a construção da sede da Associação dos Transportadores Complementares de Messias

Governador, deputado Davino, Prefeito Jarbinhas e o senador Calheiros, presenciando um caminhão carregado de mobília para a Saúde e Conselho Tutelar

]]>
<![CDATA[Operação da PM com apoio do Gecoc apreende 40 quilos de drogas em Junqueiro]]> Guarnições da Polícia Militar, com o apoio do Grupo Estadual de Combate às Organizações Criminosas, apreenderam cerca de 40 quilos de entorpecentes, durante a madrugada deste sábado (22), no município de Junqueiro.

Militares abordaram um veículo Agile/GM, cor vermelha, e encontraram 40 tabletes de drogas, sendo 34 de maconha e seis de crack, pesando ao todo, 40 quilos. Jonatha José Pedro da Silva Santos , 24 anos; e Aderlanio Santos do Carmo, 18 anos, foram presos em flagrante.

O automóvel estava vindo do Estado de Sergipe e foi abordado em um trecho da BR 101, por viaturas do Batalhão de Polícia de Radiopatrulha (BPRp), graças aos levantamentos do Serviço de Inteligência (P2) da Polícia Militar, que monitorou todo o caminho da droga até chegar em Alagoas.

Além do BPRp, também participou da ação a 1ª Companhia de Polícia Militar/Independente (CPM/I). Os presos e o material apreendido foram conduzidos para a Delegacia Regional de São Miguel dos Campos.

A operação realizada no dia de hoje é um desdobramento de uma outra ação, realizada no último dia 07, na cidade de Porto Real do Colégio, na qual foi apreendido mais de 100 quilos de maconha.

]]>