<![CDATA[ Tribuna Hoje - O portal de notícias que mais cresce em Alagoas ]]> <![CDATA[Advogado de federação aponta Atlético-PR como culpado por clássico adiado]]> A polêmica deste domingo ficou por conta do clássico entre Atlético-PR e Coritiba – e a bola nem chegou a rolar. Após a briga com a Federação Paranaense por falta de acordo na transmissão da partida pelo Youtube, ambos os clubes atacaram a entidade máxima de futebol do estado. Nesta segunda-feira, quem se defendeu foi a Federação, por meio de seu advogado.

“Eu acho um grande desrespeito com os torcedores que estavam no estádio, que se descolaram para assistir ao jogo. Mas a culpa, a responsabilidade, é toda do Atlético-PR. A Federação encaminha em todos os jogos oficiais do Campeonato Paranaense seus delegados e observadores, e esta equipe foi barrada por eles. O Atlético-PR, segundo o relatório, conseguiu colocar estes jornalistas não credenciados por outra porta. Verificado isto, foi imediatamente um aviso à arbitragem, e ela solicitou que estes profissionais fossem retirados do campo”, explicou Emerson Fukushima, em entrevista à Fox Sports.

O ex-presidente do Furacão e atual presidente do conselho deliberativo do clube, Mário Celso Petraglia, opôs-se ao suposto monopólio que diz ter no futebol, além de aproveitar para encorajar outras equipes a fazerem o mesmo. A atitude, inclusive, foi elogiada por Paulo Autuori, que falou com a imprensa após a confusão. O advogado tentou esclarecer o caso.

“O regulamento tem que ser cumprido, as regras têm que ser cumpridas. Não há possibilidade, no nosso entendimento, de se criar um ‘jeitinho brasileiro’ para deixar entrar. A regra é igual para todos os clubes”, afirmou.

Fukushima, ainda, garantiu não ser a transmissão pela web, via Youtube, o problema do jogo. O advogado fez questão de reiterar que a culpa foi toda do clube mandante, pois os profissionais que fariam a transmissão não estavam credenciados.

“Em momento algum foi dito que não poderia ser transmitido pela web. Era só uma questão de ‘corpo estranho’ dentro de campo. Porque se durante a partida o árbitro verificar que há pessoas estranhas dentro do campo, ele automaticamente suspende a partida, para o cronômetro para tirar esta pessoa, como quando há uma invasão em campo”, disse.

No final da entrevista, o advogado defendeu a Federação Paranaense a partir da regra de credenciamento, pela qual, segundo ele, o Furacão tentou violar.

“Houve uma intransigência por parte do Atlético-PR porque eles queriam violar a regra. Todos os clubes do Campeonato Paranaense têm que pedir [o credenciamento]. Com todo respeito, também acho um absurdo, mas a responsabilidade total é do Atlético-PR”, finalizou.

]]>
<![CDATA[Vítima de racismo, brasileiro critica rivais que não pediram para parar]]> Alvo de mais um episódio de discriminação racial no futebol, o brasileiro Everton Luiz, que defende o Partizan Belgrado (Sérvia), criticou a atitude dos jogadores do Rad, que não pediram para que os torcedores do clube parassem com cânticos preconceituosos durante o jogo entre os dois times neste domingo. O duelo pela 22ª rodada do Campeonato Sérvio, realizado no estádio do Rad, foi marcado pelas ofensas ao atleta brasileiro, que deixou o gramado chorando.

Após o apito final, o brasileiro desabafou e fez um gesto para os torcedores adversários. O que gerou uma reação de atletas do Rad, que partiram para cima do brasileiro, o que gerou uma confusão generalizada no gramado. Durante a confusão, Everton Luiz recebeu cartão amarelo pela reação.

Everton Luiz Partizan Belgrado (Foto: AFP)

- Durante todo o jogo, os torcedores estavam me xingando, me chamando de macaco, imitando (macaco). E quando chegando mais da torcida, eu escutava mais alto ainda. Acabou tendo a confusão, porque fiz gesto obsceno, já estava muito bravo . E bravo também com os jogadores. Ninguém teve a atitude de falar para eles pararem. Continuava e ninguém pediu para parar. A não ser o juiz, que viu e falou para que se pedisse para parar pelo alto-falantes. Mas mesmo assim continuaram. Foi muito triste o que aconteceu - afirmou Everton Luiz em entrevista ao programa "Redação SporTV".

O atacante disse que foi a primeira vez que foi alvo de preconceito durante um jogo na Sérvia e afirmou que recebeu a solidariedade da direção do Partizan Belgrado, um dos times mais populares da Sérvia.

- Todo mundo me apoiou. Os torcedores, o clube. Estão tomando providências para ver o que pode acontecer. Me disseram até que eu poderia ser punido. Mas estão vendo o que pode acontecer.

Everton Luiz, 28 anos, iniciou a carreira em 2009 na Ponte Preta. No mesmo ano, foi contratado pelo Palmeiras, mas acabou não sendo aproveitado no clube. Após passagens pelo Marília, Bragantino e CRB, atuou em 2013 no México, pelo San Luis. No mesmo ano, defendeu o Criciúma, sua última equipe no Brasil. Desde 2014 atua na Europa. Antes de chegar ao Partizan no ano passado, atuou na Suíça, pelo Lugano e Saint Gallen.

]]>
<![CDATA[Jadson participa de boa parte de jogo-treino e Corinthians fica no 0x0]]> A presença do meia Jadson foi a principal novidade de um jogo-treino que o Corinthians realizou com o Água Santa na manhã desta segunda-feira, no CT Joaquim Grava. Em processo de recondicionamento físico, o jogador que retornou do Tianjin Quanjian, da China, atuou por pouco mais de um período e não conseguiu contribuir para tirar o 0 a 0 do placar.

Poupando os jogadores que escalou na vitória por 1 a 0 sobre o Grêmio Osasco Audax, o técnico Fábio Carille escalou a seguinte equipe na primeira parte da atividade: Caíque; Léo Príncipe, Pedro Henrique, Vilson e Moisés; Paulo Roberto, Jadson, Fellipe Bastos, Maycon e Marlone; Jô.

Como tem ocorrido no Campeonato Paulista, esse Corinthians foi mais presente no ataque do que o Água Santa, porém enfrentou muitas dificuldades para criar jogadas de perigo. Jadson tentou solucionar o problema com enfiadas e lançamentos – o melhor deles para o lateral direito Léo Príncipe, que cruzou mal na sequência –, mas, ainda assim, a bola pouco chegava a Jô.

Na defesa, o Corinthians só foi ameaçado quando Pedro Henrique e Vilson vacilaram e permitiram o avanço dos atacantes do Água Santa, que não aproveitaram. Ainda fora de forma – deverá ter condições de reestrear oficialmente apenas contra o Santos, em 5 de março –, Jadson não colaborou com a marcação.

O meia, no entanto, encarregou-se de todas os lances de bola parada do time, mesmo com Fellipe Bastos em campo. Hoje contestado por alguns torcedores, o volante que deverá herdar a vaga de Camacho (foi liberado para ir ao Rio de Janeiro em função da morte do pai, Anízio, em um acidente com o elevador de casa) contra o Palmeiras era quem tinha a incumbência de bater faltas e escanteios no Corinthians.

No final do primeiro tempo, Carille ainda procurou confundir a defesa do Água Santa, mandando Jadson para a ponta esquerda e Marlone para a direita. Não adiantou. No intervalo, ele conversou rapidamente com o armador, que decidiu manter em campo também em parte da segunda etapa.

No tempo final, novamente sem grandes emoções, Carille formou a seguinte equipe: Caíque; Mantuan, Warian, Pedro Henrique e Stiven Mendoza; Cristian, Jadson (Luidy), Rodrigo Figueiredo, Marciel e Bruno Paulo; Pedrinho. O meia Guilherme, com dores no joelho direito, não foi acionado pelo treinador.

A definição do time titular que será utilizado contra o Palmeiras, na noite de quarta-feira, em Itaquera, ocorrerá no treinamento da tarde de terça-feira. Quem enfrentou o Audax fez apenas um leve trabalho regenerativo no dia da reapresentação do Corinthians.

]]>
<![CDATA[Moisés rompe dois ligamentos do joelho esquerdo e para por seis meses]]> O meia Moisés, do Palmeiras, rompeu dois ligamentos do joelho esquerdo: o cruzado anterior e o colateral medial. O prazo estipulado para retorno é de pelo menos seis meses. Ele está fora do Paulista e abre vaga para o atacante Borja ser inscrito.

Moisés se machucou durante jogo contra o Linense, no último domingo, em Araraquara. Ele recebeu uma entrada forte do volante Zé Antônio, da equipe de Lins, torceu o joelho e, imediatamente, caiu no gramado chorando e pedindo substituição. Ainda no intervalo da partida, foi levado para São Paulo, onde foi submetido ao exame que detectou a lesão.

A lesão de Moisés abre a possibilidade de o Verdão inscrever Borja no Paulista. Para isso, o clube precisa encaminhar um laudo médico à Federação Paulista de Futebol atestando que o meia não poderá mais atuar no estadual, cuja final está marcada para o dia 30 de abril. A FPF, nesse caso, permitiria a troca.

No momento, Borja ainda não está sequer regularizado. Seu contrato será registrado ainda nesta semana.

]]>
<![CDATA[Flamengo vence o Madureira e pega o Vasco na semifinal]]> O Flamengo foi a Volta Redonda na tarde deste domingo para encarar o Madureira no duelo de invictos do Grupo B da Taça Guanabara, primeiro turno do Campeonato Carioca. Jogando com sua equipe titular, o Rubro-Negro não teve dificuldades para golear a equipe suburbana por 4 a 0. Diego, Guerrero, Mancuello e Lucas Paquetá fizeram os gols do jogo.

Com a vitória, o Flamengo fechou a fase classificatória com 100% de aproveitamento em cinco jogos, e, líder do Grupo B, vai encarar o Vasco da Gama, segundo do Grupo C, na semifinal do próximo sábado, em local ainda não definido. Antes, a equipe tem compromisso pela Primeira Liga no meio de semana, diante do Ceará, em Fortaleza.

O Madureira fechou o turno em segundo lugar e vai encarar o Fluminense na outra semifinal da Taça Guanabara, também no sábado, em Volta Redonda.

O Jogo – O primeiro tempo em Volta Redonda foi de amplo domínio do Flamengo. O Madureira, invicto na competição até este domingo, contrariou as expectativas, adotou uma postura muito defensiva e apenas esperou o adversário. O volume de jogo do Fla foi tal que, com 25 minutos de jogo, já haviam sido cobrados 15 escanteios para a equipe da Gávea.

No primeiro escanteio da partida, Mancuello cobrou pela direita e Réver dividiu de cabeça. A bola acertou o travessão e saiu em novo escanteio. Mancu desta vez tentou o gol olímpico, mas Rafael Santos salvou.

Aos 20, foi a vez de Diego tentar a cobrança direta do escanteio e, novamente, Rafael Santos impediu o gol.

O goleiro do Madureira se destacou mais uma vez aos 26. Pará avançou pela direita e levantou na área, Mancuello ajeitou de cabeça para Guerrero e o peruano concluiu de primeira para o gol, mas Rafael Silva salvou o Madura.

O Fla seguia dominando mas o Madureira era uma equipe bem postada em campo, até que aos 44 Alex Moraes segurou Diego, levou o segundo amarelo e foi expulso. Na sequência, Diego brigou por uma bola no ataque, ela espirrou pelo alto e a zaga devolveu para ele, que ajeitou e mandou um balaço no ângulo sem chance para o arqueiro adversário.

O Madureira surpreendeu ao retornar do intervalo querendo buscar o empate e quase conseguiu logo aos 3 minutos. William Arão errou um passe no meio e deu de presente para o adversário. Julio César recebeu na esquerda e levantou no segundo pau, Esquerdinha subiu livre e testou no travessão.

A equipe então abandonou a postura defensiva e foi em busca do empate, mas se abriu e acabou punida. Aos 19, Trauco viu Guerrero se movimentando na frente e, do campo de defesa, lançou o conterrâneo em profundidade. o atacante ganhou do marcador na corrida, entrou na área e bateu certeiro no canto esquerdo.

Após o pique para fazer o gol, o peruano sentiu a coxa e precisou ser substituído por Felipe Vizeu. O jovem atacante do Fla fez ótima jogada pela esquerda aos 22, foi ao fundo e tocou para trás. Mancuello, livre, mandou para o fundo da rede e fez o terceiro.

Com a vitória praticamente assegurada, o Fla continuou jogando fácil e chegou ao quarto gol aos 35. Lucas Paquetá, que havia entrado na vaga de William Arão, lançou Mancuello, mas Rafael Santos saiu do gol para cortar o passe. A bola voltou para Paquetá, que foi rápido e encobriu o goleiro do Madureira.

]]>
<![CDATA[Internacional leva gol contra no fim e segue sem vencer no Gaúcho]]> O Internacional parece não conseguir se livrar da má fase que se apoderou do clube desde a metade do ano passado. Após buscar uma virada com gols de Brenner e ter boas chances de definir a vitória contra o Passo Fundo, fora de casa, neste domingo, a equipe viu o volante Eduardo Henrique marcar um gol contra aos 47 minutos do segundo tempo e não conseguiu sua primeira vitória no Campeonato Gaúcho de 2017.

Com o 2 a 2, o Colorado fica com apenas três pontos conquistados em quatro rodadas da competição, a um da zona de rebaixamento do Estadual, mesmo com os duelos da quarta jornada sendo completados apenas na segunda-feira. O time do interior, por sua vez, chega a quatro e se mantém na disputa por uma das vagas na próxima fase.

Na próxima rodada, os comandados de Antonio Carlos Zago terão pela frente o complicado confronto diante do Brasil de Pelotas, no sábado de Carnaval, 25 de fevereiro, às 19h30 (de Brasília), no Beira-Rio. O Galo do Planato, por outro lado, sai de seus domínios e terá pela frente o Juventude, no estádio Alfredo Jaconi, no mesmo dia, mas às 17h.

Domínio dos anfitriões e gol “manjado”

O time do Passo Fundo pareceu não tomar conhecimento da grandeza do Internacional no primeiro tempo da partida disputada no Vermelhão da Serra. Mostrando um time ofensivo e que marcava os porto-alegrenses no seu campo de ataque. Organizados pelo meia Xaro, os mandantes conseguiram impor seu ritmo e logo conseguiram o gol inaugural.

Em jogada alertada durante a semana por Zago, que ressaltou a todo momento a qualidade de Xaro em bater na bola, o meia do Passou Fundo cobrou falta pela esquerda e achou Rodolfo Mol na grande área. Impedido, o defensor cabeceou no contrapé de Danilo Fernandes e abriu o placar após a arbitragem não perceber a irregularidade no lance.

Depois do tento, os anfitriões controlaram a posse de bola e não deixaram o Inter crescer em busca do empate, principalmente pela pouca produção da dupla de volantes Anselmo e Charles. Isolado na frente, Brenner deixou o campo rumo aos vestiários reclamando da pouca posse bola colorada.

Virada na marra e empate no vacilo

O Colorado ganhou um presente logo a um minuto de bola rolando na etapa final, quando Maicon fez falta boba em Roberson, dentro da área, e o juiz marcou pênalti. Com categoria, Brenner deslocou o goleiro e conseguiu um importante empate, tranquilizando a equipe para o restante do duelo.

Com mais clareza na hora de tocar a bola, os visitantes chegaram naturalmente à virada. Após cruzamento da esquerda para a área, Brenner disputou bola com os dois zagueiros adversários e acabou ficando com a redonda na sua frente, sem marcação. Com calma, ele bateu no canto direito de Fernando Júnior, que não conseguiu fazer a defesa.

Animado pelo 2 a 1, o Inter ainda foi prejudicado pela arbitragem, que não anotou pênalti claro em Seijas, aos 42 minutos, e acabou mostrando sua fraqueza nos lances finais. Em nova bola alçada na área, Eduardo Henrique ganhou a disputa e tocou de cabeça, mas acabou mandando para trás. Danilo Fernandes, que saía do gol achando que o companheiro afastar, acabou encoberto e viu a bola cair lentamente na rede colorada.

]]>
<![CDATA[Botafogo vira sobre o Boavista e se despede do Carioca com vitória]]> Após levar dois gols, os comandados de Jair Ventura acordaram e conseguiram a virada, fechando o placar em 3 a 2. Pedro Botelho e Marcelo Nicácio colocaram o Boavista em vantagem, mas Fernandes, duas vezes, e Leandrinho, deram a vitória aos cariocas.

Com o resultado, o Botafogo fechou o primeiro turno em 3º lugar no Grupo B, com sete pontos em cinco jogos. Já o Boavista, treinado por Joel Santana, ficou em 5º lugar com somente quatro.

O jogo – Botafogo e Boavista fizeram um primeiro tempo muito ruim em Saquarema, com muitos erros de passes. Fora das semifinais da Taça Guanabara e de olho na partida da próxima quarta-feira, Jair Ventura escalou um time de reservas neste domingo, mas os suplentes não mostraram grande motivação e permitiram que o time da casa saísse na frente.

Aos 27, Maicon recebeu na direita e avançou em direção a área. O lateral driblou Igor Botelho e cruzou rasteiro na diagonal. A bola cruzou a área e Pedro Botelho empurrou para o gol vazio.

Quatro minutos depois, escanteio para o Boavista pela direita e a bola foi alçada na área. Bate rebate de cabeça e sobrou para Marcelo Nicácio, na linha da pequena área, completar de voleio para o fundo da rede. Boavista 2 a 0.

O Bota acordou depois dos gols e diminuiu aos 39 numa bela jogada. Fernandes penetrou e recebeu por cobertura na área pela esquerda, cortou para dentro e chutou no cantinho direito de Felipe, que não conseguiu chegar para fazer a defesa.

Antes do fim da etapa inicial, quase o empate em cobrança de falta de Dudu Cearense, mas a bola passou rente ao travessão.

A bronca de Jair Ventura deve ter sido dura no intervalo, pois o Alvinegro voltou para o segundo tempo a todo vapor. Ao contrário do que vinha apresentando até então, a equipe Alvinegra estava ligadíssima e chegou ao empate com 3 minutos de bola rolando.

Leandrinho tabalhou na intermediária e lançou Vinícius Tanque na esquerda da área, ele tocou de calcanhar para trás e Rodrigo Lindoso abriu para a entrada de Fernandes do outro lado. O volante não perdoou e fuzilou a rede.

O Boavista parou em campo e o jogo se tornou um ataque contra defesa. Aos 18, veio o gol da virada. Fernandes levantou da direita, a zaga rebateu de cabeça e a bola sobrou nos pés de Leandrinho. O meia tocou e a a bola desviou na perna do marcador, enganando o goleiro Felipe. Bota 3 a 2.

Sem poder de reação, o Boavista continuou assistindo o Botafogo jogar e quase ampliar aos 44. Dudu Cearense enfiou para Sassá avançar livre pela direita. O atacante entrou na área mas chutou em cima do goleiro e perdeu grande chance.

]]>
<![CDATA[Clubes brigam com Federação e bola não rola no Atletiba]]> Um Atletiba que entra para história sem acontecer. Inconformados por não poderem jogar com transmissão particular na internet, Atlético Paranaense e Coritiba se recusaram a jogar pela quinta rodada do Campeonato Paranaense 2017, na Arena da Baixada. O domingo, aliás, começou muito confuso e trágico.

Nas ruas de Curitiba, confusão entre torcedores dos dois times e um coxa-branca morto por tiro efetuado pela Polícia Militar nas proximidades do Couto Pereira. Na Arena, depois de hino executados, torcedores acomodados e jogadores prontos para a bola rolar, ordens da Federação Paranaense impediram o início da partida. Tudo por conta da transmissão particular gratuita dos clubes pelo Youtube, em acordo feito pelos dois times que não assinaram com a televisão detentora dos direitos.

O técnico Paulo Autuori foi o primeiro a chamar seus jogadores e tirar o time de campo. Na lateral do gramado, dirigentes – que não queriam abrir mão de transmitir por sua conta – comissões técnicas e imprensa tentando entender o que aconteceria. Nas arquibancadas, gritos de vergonha e discussão em alguns setores. No centro do gramado, o trio de arbitragem, esperando por novas ordens da FPF, aguardava.

O time atleticano retornou ao gramado para evitar alguma decisão de WO antes de outra definição. Nos bastidores, muita conversa entre os dois clubes, tentando não ceder por não concordarem com o atual modelo de cessão de direitos. O policiamento também mostrava preocupação e tentava intermediar as conversar.

Depois de 30 minutos de espera, quem deixou o gramado foi o time do Coritiba. Mas, logo voltaram, intercalados com jogadores do Furacão, mostrando a união entre os clubes, de mãos dadas no círculo central, recebendo o aplauso das arquibancadas, deixando a pressão toda para a Federação.

O presidente do Atlético-PR, Luiz Sallim Emmed, criticou a falta de bom senso da FPF. “O presidente da Federação não tem a sensibilidade de sentir o que está acontecendo aqui. Tanto Atlético por decisão institucional, tanto Coritiba, não vamos permitir que se recue a transmissão. O árbitro está obedecendo ordens, mas é a autoridade máxima da partida. E temos condições de ter jogo. É uma ideia absurda desse presidente. Vamos quebrar essa barreira de uma transmissão única de algumas redes. Não dá para ficar nesse tempo de coisa, basta. Não podemos ficar reféns e ideias estreitas, como está acontecendo agora.

A Federação Paranaense vai se manifestar apenas após consultar seu corpo jurídico, já que não houve partida, mas os times estavam em campo para atuar, o que poderia não configurar um WO. A confusão deve ter muitos desdobramentos nos próximos dias.

]]>
<![CDATA[Jogando com portões fechados, CSA e CRB empatam em clássico]]> Em jogo válido pela sexta rodada do Campeonato Alagoano, CSA e CRB fizeram uma partida com portões fechados (por determinação do STJD) no Estádio Rei Pelé neste domingo (19). O jogo terminou empatado em 1 a 1 e foi o primeiro clássico do futebol alagoano com portões fechados da história.

O Galo abriu o placar no final do primeiro tempo. Aos 43 minutos, Diego bateu escanteio, o zagueiro Gabriel mandou a bola na trave e, na sobra, Flávio Boaventura mandou para o gol. 1 a 0 para o CRB.

O Azulão reagiu aos 10 minutos da segunda etapa do jogo. Rayro cruzou da esquerda, a zaga do CRB se atrapalhou e Cleyton, livre, empatou o jogo no Rei Pelé.

Com o resultado, o Galo se mantém na liderança do Grupo A, com 11 pontos, e o CSA caiu para o segundo lugar do Grupo B, agora com 14 pontos.

]]>
<![CDATA[Ônibus do Sport é recebido a pedradas no Arruda antes de clássico no Recife]]> A delegação do Sport foi hostilizada em sua chegada ao Arruda, palco do confronto com o rival Santa Cruz, marcado para acontecer a partir das 17h30 (de Brasília) deste sábado, pelo Campeonato Pernambucano. O ônibus do Leão foi atingido por pedras, copos e outros objetos jogados pela torcida adversária na entrada do estádio, segundo o clube visitante.

Em sua conta oficial no Twitter, o Sport divulgou imagens das janelas quebradas após o ataque. No entanto, a blindagem evitou que os vidros fossem literalmente quebrados e que os membros da comissão rubro-negra feridos.

Para o clássico deste sábado, o Sport entrará em campo com Magrão; Samuel Xavier, Ronaldo Alves, Durval e Mansur; Rithely, Ronaldo, Diego Souza, Everton Felipe e Rogério; Leandro Pereira.

Já o Santa Cruz está escalado com Julio Cesar; Vítor, Jaime, Bruno Silva e Roberto; Elicarlos, David e Thomás; André Luis, Everton Santos e Pitbull.

Após três rodadas do Hexagonal do Título, o Sport é o líder, com sete pontos ganhos. O Santa Cruz, por sua vez, figura na terceira posição, com cinco pontos.

]]>