<![CDATA[ Tribuna Hoje - O portal de notícias que mais cresce em Alagoas ]]> <![CDATA[Diego inicia transição ao gramado e Conca é liberado para estrear pelo Fla]]> Os torcedores do Flamengo receberam duas grandes notícias nesta segunda-feira. Prestes a completar seis semanas fora dos gramados após a lesão sofrida no confronto contra o Atlético-PR pela Libertadores, Diego começou sua transição para os gramados. A outra novidade positiva envolve Dario Conca, que encerrou sua preparação física e está pronto para estrear com a camisa rubro-negra.

Enquanto os titulares contra o Atlético-GO trabalharam na academia e o restante do grupo enfrentava os jovens das categorias de base do Flamengo, Diego deu algumas voltas no gramado e posteriormente realizou uma atividade básica com bola.

“O atleta Diego, conforme previsto por nós, começa hoje o trabalho de transição no campo. Ele se encontra sem for, assintomático e vai iniciar essa fase para que possa estar o mais breve possível treinando com o grupo”, disse o chefe do departamento médico rubro-negro Marcio Tannure.

Já Dario Conca, grande reforço do Flamengo para a atual temporada, está cada vez mais próximo de, enfim, fazer sua estreia pelo clube. Apesar de ter chegado à Gávea em janeiro, o argentino até então havia se limitado à sua recuperação da lesão no joelho esquerdo. Vindo de empréstimo do Shanghai SPG, o meia aguarda agora uma oportunidade do técnico Zé Ricardo.

“O Conca, como vocês já devem ter visto há algum tempo, não está mais no departamento médico. Ele já treina normalmente com o grupo, estando liberado assim que a comissão técnica achar necessário”, completou o Dr. Marcio Tannure.

Se Diego e Conca são os responsáveis pelas boas notícias rubro-negras desta segunda-feira, as informações envolvendo Donatti são completamente diferentes. O zagueiro argentino se machucou, assim como Diego, na primeira partida contra o Atlético-PR na Libertadores e sua panturrilha ainda inspira cuidados. Ele segue na fisioterapia e ainda não há uma previsão de retorno.

]]>
<![CDATA[Dorival escala Santos com Hernández e Copete contra o Sporting Cristal]]> O Santos está definido para enfrentar o Sporting Cristal nesta terça-feira, às 21h45 (de Brasília), na Vila Belmiro, pela última rodada da fase de grupos da Libertadores. Vladimir Hernández vai substituir Lucas Lima, lesionado. Copete entrará na vaga de Bruno Henrique, suspenso.

O técnico Dorival Júnior esboçou a escalação em atividade tática nesta segunda-feira, no CT Rei Pelé. Victor Ferraz volta a ficar à disposição após ser poupado por conta de dores no joelho direito contra o Coritiba, no último sábado. Thiago Maia retorna de suspensão automática.

Hernández é atacante de origem, mas tem treinado como um armador. A comissão técnica enxerga nele as características para ser um meia. Copete volta a atuar no ataque depois de ser improvisado na lateral-esquerda.

O Peixe vai enfrentar o Cristal com Vanderlei, Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, David Braz e Zeca; Renato, Thiago Maia e Vladimir Hernández; Vitor Bueno, Copete e Ricardo Oliveira.

]]>
<![CDATA[Advogado da Chape crê em negligência da Conmebol no 'Caso Luiz Otávio']]> A Chapecoense corre contra o tempo para regularizar sua situação na Conmebol. Acusada de ter escalado o zagueiro Luiz Otávio irregularmente no duelo contra o Lanús pela Libertadores, uma vez que o defensor foi suspenso por três jogos, a equipe catarinense protocolou sua defesa nesta segunda-feira, no entanto, ainda tenta que uma audiência com a presença das partes seja realizada para que o caso possa ser esclarecido.

Luiz Otávio foi expulso na partida contra o Nacional, do Uruguai,no último dia 27 de abril, pela quarta rodada do Grupo 7 da Libertadores. Na partida seguinte, contra o Lanús, o clube foi informado que o zagueiro não poderia entrar em campo, pois tinha sido punido com três jogos de suspensão, no entanto, como não havia recebido qualquer tipo de email oficial da Conmebol, bancou a escalação do jogador.

Contratado pela Chapecoense para este caso, o advogado Mário Bittencourt, o mesmo que livrou o Fluminense do rebaixamento em 2013, explicou o motivo pelo qual o clube escalou o zagueiro e mostrou insatisfação com o modo de condução do processo.

“A gente, na verdade, está indo para uma linha de defesa que a Chapecoense foi induzida ao erro pela Conmebol. Para vocês entenderem, estou fazendo essa defesa em conjunto com o Dr. Marcelo Amorety, e ele fez uma consulta na véspera do jogo da Recopa Sul-Americana, quando a Conmebol informou que o atleta [Luiz Otávio] deveria cumprir suspensão automática já na Recopa, e não na Libertadores. Neste mesmo dia eles alegam que enviaram também o resultado do julgamento do atleta com três jogos de suspensão, só que mandaram para um outro e-mail”, disse Bittencourt em entrevista ao programa Redação SporTV.

“Eles [Conmebol] alegam que enviaram um e-mail, que não foi para o e-mail do advogado da Chapecoense. A Chape não acusou o recebimento desse e-mail, aí na hora do jogo o delegado da partida, sete dias depois do que supostamente tinham informado, apresenta no celular o resultado que o jogador estaria fora do jogo contra o Lanús. A Chapecoense pede para trocar esse jogador e o delegado não autoriza. Na dúvida, a Chapecoense colocou o jogador no jogo e não há irregularidade, já que ela não foi informada”, completou o jurista.

Ao contrário dos julgamentos no Brasil, em que o clube apresenta a defesa e comparece pessoalmente à audiência, no âmbito sul-americano o procedimento é bem diferente. A Conmebol exige que uma defesa seja protocolada e enviada à entidade para que possa haver o julgamento, sem necessidade de defesa oral. Insatisfeito com esse formato, o advogado Mário Bittencourt crê que uma audiência presencial seja fundamental para um julgamento justo.

Um dos maiores adversários da Chapecoense neste caso é o tempo. A Conmebol exigiu que a defesa fosse protocolada até às 13h (de Brasília) desta segunda-feira, diferente do horário que costuma adotar para esse procedimento (18h). Como o jogo contra o Zulia pela Libertadores acontece nesta terça, há uma grande tensão e incerteza sobre o futuro da equipe na competição continental.

]]>
<![CDATA[Inter e Valdívia entram em consenso sobre saída, mas ofertas ainda não agradam]]> Nenhuma proposta agradou até agora. A não ser que ocorra uma reversão de expectativas, contudo, o restante da temporada de Valdívia será fora do Beira-Rio. Jogador e Inter entendem que será importante a mudança de ares para o meia-atacante recuperar o futebol que o fez ter destaque em 2015, até se lesionar em amistoso pela seleção olímpica.

Valdívia passou por uma cirurgia no joelho esquerdo no final daquele ano – apesar da lesão, terminou 2015 como o goleador colorado, com 19 gols. Retornou aos gramados em meados do ano passado, ainda descontado, com o Inter já correndo risco de rebaixamento. Apesar de lampejos, não conseguiu repetir a regularidade. O time caiu e ele acabou perdendo espaço.

Nada que tenha diminuído o assédio. Valdívia é um dos jogadores com mais mercado do grupo de Antônio Carlos Zago. O vice de futebol, Roberto Melo, é sincero. Diz que, caso chegue um interessado que faça uma proposta do agrado, vai liberar o jogador.

– Desde o início do ano, alguns clubes demonstraram interesse. Conversamos com o jogador e ele também pensa que talvez seja bom sair. Estamos analisando. Até o momento, não chegou proposta ao nosso contento. Ele ainda é jogador do Inter. Confiamos no potencial dele, mas, talvez, sair seja o melhor – afirma.

Atualmente, o meia-atacante se recupera de um desconforto muscular na coxa esquerda. Não foi relacionado para os jogos contra Palmeiras, pela Copa do Brasil, e também para o duelo contra o ABC, no último sábado, pela Série B. No grupo principal desde 2013, soma 149 partidas, com 28 gols marcados. Seu vínculo vai até dezembro de 2020.

A ideia da direção é emprestá-lo para que volte à vitrine. Em um novo clube (que bancará todos os vencimentos), ganharia a sequência que não consegue mais ter no Beira-Rio. De quebra, poderia despertar interesse do mercado europeu.

Neste ano, Valdívia quase fechou com o Corinthians. A transação só não se concretizou porque Giovanni Augusto, que seria envolvido na troca, não quis jogar em Porto Alegre. O Inter, depois, disse que o Corinthians mentiu na negociação. O que foi rebatido pelo clube paulista.

O Cruzeiro também manifestou interesse, mas saiu do negócio por não querer participar de um leilão com o Atlético-MG. O Galo, por sua vez, é o time que parece mais próximo de um acerto. Os mineiros tentaram duas negociações: queriam Valdívia em troca de abatimento do débito que o Inter tem em relação às contratações de Réver e Eduardo Henrique, ou em uma troca pelo zagueiro Erazo. Ambas acabaram rechaçadas. O clube mineiro, contudo, segue atrás do jogador.

 

]]>
<![CDATA[Desde 2012 grandes do Rio não venciam em uma mesma rodada de Brasileirão]]> ?A 2ª rodada do Campeonato Brasileiro 2017 reservou algo que os torcedores cariocas haviam se desacostumado a ver: os quatro grandes times da cidade vencendo simultaneamente. O fato não acontecia desde a 7ª rodada do Brasileirão de 2012. 

Nesta rodada, o Flamengo superou o Atlético-GO por 3 a 0, no Serra Dourada. Já o Vasco recebeu o Bahia em São Januário, e venceu por 2 a 1. Às 16h foi a vez do Fluminense visitar o Atlético-MG e buscar um 2 a 1 no placar. O último carioca a entrar em campo foi o Botafogo, triunfando sobre a Ponte Preta, por 2 a 0, em partida que foi disputada no Nilton Santos. 

Já em 2012, o Rubro-Negro venceu o mesmo Atlético-MG. O duelo foi disputado no Engenhão, porém com um placar muito mais apertado: 3 a 2. A Ponte estava novamente envolvida na rodada, mas dessa vez frente ao time de São Januário, que também fez 3 a 2, jogando no Rio. O Tricolor superou o Náutico, em Pernambuco, por 2 a 0 enquanto o Botafogo alcançou resultado maiúsculo contra o Corinthians, no Pacaembu: 3 a 1.

Vale lembrar que nos campeonatos de 2014, 2015 e 2016, Botafogo, Flamengo, Fluminense e Vasco não estiveram juntos na Série A, já que nas competições de 2014 e 2016, o Cruz-Maltino estava na Série B, enquanto em 2015 o representante do Rio na segunda divisão era o Glorioso. 

]]>
<![CDATA[Em alta após título, David Luiz celebra convocação: "Amo jogar pelo meu país"]]> Foi uma semana de comemorações para David Luiz. Campeão antecipado do Campeonato Inglês com o Chelsea, o zagueiro foi titular na vitória por 5 a 1 sobre o Sunderland no domingo, na festa do título. E, para completar, ainda foi convocado pela primeira vez por Tite na última sexta-feira para os amistosos com a Austrália e Argentina, em junho. O jogador comemorou bastante a sua volta à Seleção e espera manter o bom momento que vem vivendo.

– Eu lutei muito para ter essa oportunidade de voltar à seleção. Eu amo jogar pelo meu país, e agora é tentar dar continuidade no trabalho dentro daquilo que eu fiz em toda a temporada – celebrou David Luiz.

No domingo, David Luiz completou 400 jogos desde que chegou à Europa para defender o Benfica. Somando ainda suas passagens por Paris Saint-Germain e Chelsea, o zagueiro tem um grande aproveitamento, de 70% dos pontos conquistados por suas equipes quando esteve em campo. E, em boa fase no Chelsea, ele revela que teve uma conversa com o técnico Antonio Conte antes da decisão de retornar à Inglaterra.

- Conte me ligou e falou que precisava de um jogador como eu. Vim para tentar ajudá-lo e consegui. Na verdade, o mérito é coletivo. O segredo para o título foi o trabalho. Trabalho sério, com dedicação e honestidade. Foi isso o que fizemos (...) É um momento especial, projetei isso quando saí do Paris Saint-Germain. Não era uma decisão fácil, tinha uma vida maravilhosa, com muitos amigos e títulos, mas decidi ir atrás do meu sonho no Chelsea e consegui realizá-lo.

Já classificado para a Copa de 2018, o Brasil volta a campo no início de junho para dois amistosos. A Seleção vai enfrentar Argentina e Austrália, nos dias 9 e 13 de junho, respectivamente, em Melbourne.

]]>
<![CDATA[CR7 marca e Real Madrid conquista título espanhol]]> Depois de cinco temporadas em branco, o maior campeão da Espanha voltou para o topo do futebol nacional. Neste domingo, o Real Madrid conquistou seu 33º título do Campeonato Espanhol, ao vencer o Málaga, fora de casa, pelo placar de 2 a 0, com gols de Cristiano Ronaldo e Benzema.

Os olhares dos fãs de futebol estavam divididos. De um lado, o Real Madrid visitava o Málaga e precisava de apenas um empate para garantir o título. Do outro, o Barcelona precisava fazer a lição de casa contra o Eibar e ainda torcer por um tropeço do clube da capital espanhola. No fim, melhor para o Real, que levantou seu 33º título na história e abriu ainda mais vantagem sobre o arquirrival.

Os galácticos ainda podem repetir um feito que não acontece desde 1958. A última vez que o Real conquistou o “doblete” – Liga dos Campeões e Espanhol -, no mesmo ano foi na década de 50, com Alfredo Di Stéfano como maior estrela. Agora, cabe a Cristiano Ronaldo, eleito o melhor do mundo em quatro oportunidades, comandar os galácticos em mais uma conquista.

Com o tento marcado neste domingo, CR7 chegou a 25 gols no Campeonato Espanhol. A próxima parada dos galácticos é a final da Liga dos Campeões, no dia 03 de junho, em Cardiff, no País de Gales, contra a Juventus.

CR7 decide no início do jogo – A tensão e a dúvida que pairava sob o estádio do Málaga logo se foi. Com apenas um minuto e quarenta de jogo, o maior artilheiro da história do Real Madrid tratou de falar “estou aqui”. O meia Isco, que vem jogando um grande futebol, deu uma enfiada de bola sensacional para Cristiano Ronaldo, que dominou, driblou o goleiro e balançou as redes, marcando mais um gols importantíssimo para os galácticos.

Após o gol, o Real, que precisava apenas de um empate, deixou que o Málaga crescesse no jogo. O clube, apoiado por seus torcedores, passou a atacar com mais jogadores no campo ofensivo. Aos 21 minutos, o goleiro costa-riquenho Keylor Navas fez uma das maiores defesas do campeonato. Em cobrança de falta de Keko, Navas voou para dar um tapa com a mão direita e salvar os merengues.

Se Navas salvou o Real, Kameni, goleiro do Málaga, fechava o gol pelo lado dos anfitriões. Após bola levantada na área, CR7 ficou com a redonda, deu grande drible e soltou uma paulada de perna esquerda, mas viu o arqueiro defender com categoria. E os merengues ainda sofreram outras boas investidas até o final da partida, mas contou novamente com Navas.

Festa no La Rosaleda – Os galácticos voltaram menos acomodados ao segundo tempo, e voltaram a produzir no setor ofensivo. Depois de algumas investidas do Málaga, o Real colocou a cabeça no lugar e sacramentou a vitória. Em jogada característica dos merengues, após bola levantada na área, o zagueiro Sergio Ramos chegou com liberdade e finalizou na trave, a bola rebateu e sobrou limpa para o centroavante Karin Benzema, que chutou de primeira e marcou o segundo gol do jogo.

Os jogadores do Málaga não desistiram da partida e mesmo com 2 a 0 contra, buscavam jogadas de ataque e mostravam que venderiam caro a derrota. Quando conseguiam passar pela forte defesa do Real, no entanto, voltavam a esbarrar no goleiro costa-riquenho em noite inspirada.

Com tranquilidade, o Real apenas trocou passes no meio-campo e esperou o apito final do juiz para comemorar o 33º título da história do clube, soberano no futebol espanhol.

Barça bate na trave – Diferente do que aconteceu na Liga dos Campeões, o Barcelona não conseguiu uma remontada, neste domingo. Os catalães receberam a visita do Eibar e suaram para vencer por 4 a 2, em jogo com dois pênaltis.

Três pontos atrás do Real, o Barça precisava fazer a lição de casa e ainda torcer para um tropeço do Real, que visitava o Málaga. No entanto, nem uma coisa nem outra. O estrelado time de Lionel Messi e Neymar não conseguiu superar o rival e ainda viu Cristiano Ronaldo garantir a vitória e o título dos merengues.

Mesmo jogando no Camp Nou, o Barça não começou bem a partida e sofreu gol logo cedo. Aos seis minutos, a zaga catalã vacilou e deixou o meio-campista Inui livre para chutar cruzado e abrir o placar.

Com o revés sofrido, o Barcelona precisou se organizar em campo para buscar o empate.Apesar de pressionar no ataque, o estrelado time do Barça pouco conseguiu produzir, e, quando chegava com perigo, pecava nas finalizações.

Irreconhecível em campo, o Barça sofreu o segundo gol. Em rápido contra-ataque, Inui recebe na entrada da área e bate de primeira, com a perna esquerda, acertando o ângulo de Ter Stegen, que nada conseguiu fazer. No entanto, na sequência, o Eibar se complicou e marcou gol contra com Juncá, após finalização de Neymar: 2 a 1.

O Barça, após uma injeção de ânimo ainda teve chance de empatar a partida. O árbitro marcou pênalti após Alba cair sozinho dentro da grande área. Na cobrança, Lionel Messi acabou parando no goleiro e desperdiçou grande chance.

Melhor na partida, os catalães finalmente conseguiram balançar as redes. Após muita insistência, Luis Suárez aproveitou desvio na cobrança de escanteio e, no segundo pau, desviou para empatar a partida.

Na sequência, Neymar caiu na área e o árbitro viu pênalti. Mesmo com reclamação dos jogadores do Eibar, o juiz manteve a irregularidade e, na cobrança, Messi converteu: 3 a 2. Messi, antes do final do jogo, ainda finalizou a conta com um golaço, após bela arrancada: 4 a 2.

]]>
<![CDATA[Corinthians conquista o seu primeiro triunfo diante do Vitória]]> O Corinthians conquistou o seu primeiro triunfo no Campeonato Brasileiro na tarde deste domingo, na Fonte Nova. Mesmo sem empolgar, o time dirigido por Fábio Carille se recuperou do empate em casa com a Chapecoense na estreia ao derrotar o Vitória por 1 a 0, com gol marcado pelo centroavante Jô no segundo tempo.

O resultado levou o Corinthians aos 4 pontos ganhos, na parte superior da tabela de classificação. Por sua vez, o Vitória, que vinha de um empate por 0 a 0 com o Avaí na Ressacada, permaneceu com apenas 1.

As duas equipes voltarão a entrar em ação pela competição nacional no próximo fim de semana. No sábado, o Vitória buscará a sua reabilitação contra o Coritiba, no Barradão. No dia seguinte, o ainda invicto Corinthians enfrentará o Atlético-GO, no Serra Dourada.

O jogo – Embora os dois times tivessem notórias dificuldades de criação, o Vitória foi um pouco mais incisivo nos primeiros minutos de partida, com o apoio dos seus torcedores. Chegou a reclamar de um pênalti de Fagner, por um toque de mão na bola que o árbitro Péricles Bassols interpretou como legal.

Em ritmo lento, o Corinthians demorou a dar uma resposta à moderada força ofensiva do Vitória. O time visitante recorria a inversões de jogo e a lançamentos longos para compensar a sua falta de inventividade, o que não era suficiente para fazer o goleiro Fernando Miguel suar o uniforme.

Após meia hora de partida, o Corinthians enfim incomodou. Jô recebeu a bola na ponta direita, entrou na área e chutou em cima de Fernando Miguel. Na sobra, Romero ainda ajeitou para Rodriguinho carimbar a marcação na finalização. O lance de perigo animou momentaneamente a torcida alvinegra.

Do outro lado, o Vitória tentou recuperar terreno com velocidade e, vez ou outra, conclusões de longa distância. Não assustou o goleiro Cássio dessa forma, porém, ainda assim, seguiu para o vestiário aplaudido por sua torcida.

Para justificar a empolgação, Petkovic cobrou dos seus comandados uma transição mais rápida da defesa ao ataque no segundo tempo. Foi o Corinthians, contudo, que colocou a bola na rede poucos minutos após retornar do intervalo. Lançado por Jadson do lado esquerdo da área, Romero passou para Maycon completar para a rede. A jogada acabou anulada por impedimento do paraguaio.

O ímpeto do Corinthians até melhorou a partir de então, apesar de agora oferecer mais espaços para o Vitória. Na expectativa de aproveitá-los, Petkovic trocou Cleiton Xavier pelo argentino Pisculichi antes de ver Maycon desperdiçar grande oportunidade de gol, quase da marca do pênalti, com um arremate para fora.

Fábio Carille também resolveu entrar em ação. Chamou Marquinhos Gabriel para ir a campo, mas resolveu manter o ataque como estava após Balbuena se machucar. Léo Santos substituiu o paraguaio e passou a formar uma dupla de zaga caseira com Pedro Henrique.

Como o panorama do jogo não mudou, Carille recorreu a Marquinhos Gabriel aos 26 minutos, na vaga de Maycon. Petkovic rebateu com a alteração do aplaudido Rafaelson, que já o havia irritado com uma série de falhas técnicas, pelo jovem Jhemerson.

E o Corinthians levou a melhor depois das mexidas. Aos 30, Jadson enfiou bem a bola para Marquinhos Gabriel, que seguiu o exemplo e acionou Jô, mais à frente. O centroavante avançou pelo lado esquerdo da área e concluiu na saída de Fernando Miguel para tirar o zero do placar.

A desvantagem fez Petkovic gastar a sua última ficha com a entrada de Euller no posto de Uillian Correia. Bastante satisfeito com o 1 a 0, o Corinthians recuou nos últimos minutos, contando com o reforço de Paulo Roberto no lugar de Jadson, e conseguiu inibir as investidas do Vitória.

]]>
<![CDATA[Atlético-MG pressiona, mas perde em casa para o Fluminense]]> O Fluminense foi um duro adversário para o Atlético, em confronto na tarde deste domingo, no Independência, em duelo válido pela 2ª rodada do Campeonato Brasileiro. A vitória por 2 a 1, em pleno Horto, foi conquistada com duas boas chegadas, ainda no primeiro tempo, e erros de Marcos Rocha.

A dupla Richarlison e Henrique Dourado infernizaram a vida da defesa alvinegra que falhou. No primeiro lance, Rocha foi pego desprevenido, nas suas costas, e tentou chegar no adversário, mas fez pênalti. Dois minutos depois, Henrique – que tinha feito o gol de pênalti – cruzou e o camisa 2 do Atlético sequer tentou pegar a bola, dando a Richarlison a facilidade da finalização.

O Galo ainda descontou com Gabriel, minutos após sofrer os dois tentos. E buscou em toda segunda etapa o empate e a virada, conseguindo criar chances, mas desperdiçando as chances.

O Atlético recebe a Ponte Preta, no próximo domingo, em Belo Horizonte, às 11h (de Brasília). O Fluminense terá o clássico contra o Vasco, em São Januário, no sábado, às 19h.

O jogo

O Galo aproveitou seu campo para iniciar bem o jogo. Até os 11 minutos, para se ter uma ideia, o domínio era absoluto da equipe alvinegra.

Cazares recebia atenção especial dos jogadores do Fluminense. O atleta cresceu de rendimento nas últimas partidas e isso preocupou o técnico Abel Braga que dedicou marcação para parar o técnico camisa 10.

No jogo era claro que o Fluminense chegou a Belo Horizonte para se defender e depois buscar o ataque. E funcionou. Aos 36, quando o Atlético era superior em campo, Richarlison recebeu na frente, e precisou ser alcançado por Marcos Rocha. O ala alvinegro, no entanto, fez falta dentro da área. Na cobrança de pênalti, Henrique Dourado fez o tento que lhe coloca na artilharia do Campeonato Brasileiro.

Dois minutos depois, o Fluminense fez mais um. Dourado fez cruzamento pela direita e encontrou Richarlison. O atacante aproveitou o erro de Marcos Rocha para desviar de cabeça e colocar dentro das redes.

O Atlético, porém, correu atrás do resultado. Aos 40, Cazares fez a cobrança de escanteio e encontrou o zagueiro Gabriel dentro da área. De cabeça ele, sem sair do chão, sem marcação, colocou no fundo das redes.

No minuto seguinte, ainda sem comemorar ou sentir seu tento, o Atlético chegou mais uma vez. Cazares recebeu a bola no meio e soltou um forte chute. A bola ganhou altura, mas desceu e Cavalieri precisou se esticar todo para defender.

A primeiro tempo terminou com o Fluminense pedindo para o árbitro acabar. O Galo pressionava em busca do empate e isso assustava a equipe carioca.

Segundo tempo

O Atlético voltou bastante superior no segundo tempo. O Galo tomava a atitude principal da partida e o Fluminense ficava esperando os donos da casa e continuavam saindo somente com o contra-ataque.

O Atlético abusou de perder gols nos primeiros minutos. Primeiro com Fred. O atacante recebeu na área, sozinho, chutou, mas a bola passou por cima. Depois com Maicosuel. O meia também ganhou na área e já estava quase na pequena área quando finalizou, mas a bola passou por cima.

Nos últimos minutos, Elias ainda perdeu uma chance na cara do gol, só com Cavalieri na sua frente. A decepção ficou clara em cada olhar alvinegro, por causa dos grandes erros que causaram a derrota.

]]>
<![CDATA[Grêmio vence Atlético-PR fora de casa e lidera o Brasileiro]]> Atlético Paranaense e Grêmio se enfrentaram, neste domingo, na Arena da Baixada, em partida válida pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro. Após um primeiro tempo morno, o Grêmio voltou matador para a segunda etapa e garantiu a vitória por 2 a 0.

O tempo frio e o dia chuvoso ditaram o ritmo da partida. O Atlético-PR terminou o primeiro tempo com 60% de posse de bola e apenas quatro finalizações a gol. Enquanto isso, o Grêmio, mesmo com time titular, não esteve bem no setor ofensivo, mas não sofreu perigo. Já no segundo tempo, Luan e Barrios marcaram ainda no início e definiram o placar favorável. Perto do fim da partida, o goleiro Grohe sofreu dois cartões amarelos, e o vermelho em seguida, por enrolar para bater o tiro de meta.

Com a vitória, o Imortal chegou a seis pontos e assumiu a liderança momentânea do Campeonato Brasileiro. O clube gaúcho pode ainda ser ultrapassado por Ponte Preta e Cruzeiro, que entram em campo ainda neste domingo. Já o Atlético Paranaense segue sem pontuar na competição e encontra-se na zona de rebaixamento.

Primeiro tempo morno – O primeiro tempo da partida fez jus ao tempo embaçado em Curitiba. As duas equipes pouco produziram e mais se estudaram em campo. Em 45 minutos, poucas chances claras de gol, e 60% de aproveitamento do Furacão.

Mesmo com mais tempo de bola nos pés, os jogadores do Atlético não conseguiam realizar as jogadas em velocidade e pecavam no último passe. Enquanto isso, o Grêmio se defendia como podia e abria mão do ataque, esperando um contra-ataque fatal – que não aconteceu.

O principal lance do primeiro tempo foi a não marcação de um pênalti em chute do meia Rossetto, que acertou a bola no braço do zagueiro Kannemann dentro da área. Com o jogo truncado, quatro cartões amarelos foram apresentados na primeira etapa, sendo dois para cada time.

Grêmio mata o jogo – O Grêmio retornou para o segundo tempo com uma outra postura e foi recompensado com um gol relâmpago. Aos dois minutos, Ramiro lançou para a área e Barrios tentou dominar, mas a bola sobrou limpa para o atacante Luan marcar seu primeiro gol no Brasileirão: 1 a 0.

O jogo esquentou e o Atlético-PR passou a atacar com mais homens a frente, dando o contra-ataque ao Imortal. Após uma boa chegada de Pablo, que finalizou por cima do gol, o Furacão sofreu mais um baque na partida. Em rápido toque de bola, Ramiro descolou cruzamento para o centroavante Lucas Barrios, que deu um lindo toque de calcanhar e fez o segundo gol do Imortal.

Mesmo com 2 a 0 no placar, o Grêmio passou a adotar postura defensiva e abdicar do ataque. Aos 30 minutos, o time gaúcho se complicou. O goleiro Marcelo Grohe, que já tinha cartão amarelo por ter feito cera em jogo, voltou a demorar para bater o tiro de meta e recebeu o cartão vermelho, deixando o Grêmio com um jogador a menos e forçando Renato Gaúcho a colocar o goleiro reserva Léo em campo.

Com um jogador a mais em campo e com um goleiro “frio” do outro lado, o Furacão fez uma verdadeira blitz no ataque. Primeiro, foi a vez de Nikão, cara a cara com o arqueiro, finalizar pra cima. Na sequência, Douglas Coutinho foi cortado por Geromel.

]]>