<![CDATA[ Tribuna Hoje - O portal de notícias que mais cresce em Alagoas ]]> <![CDATA[Cerimônia de formatura do curso Papel no Varal Escola é realizada]]> A Secretaria de Estado da Educação (Seduc), por meio do Centro de Artes e Medições Culturais (Camec), e o Instituto Lumeeiro, promoveram na terça-feira (23) o encerramento do curso de formação “Papel no Varal Escola”. O evento ocorreu no Camec (antiga escolinha de Artes) e contou com muita leitura poética por parte dos professores concluintes do curso e de alunos, além de canções da MPB conduzidas pelo cantor Ivo Bulhões.

O projeto Papel no Varal teve início em 2009, com o intuito de levar a poesia para o grande público, num varal de sisal. Além de levar o tradicional sarau para as unidades de ensino, o “Papel no Varal Escola” pretende formar professores da rede estadual, estimulando-os a inserir a poesia no cotidiano do ambiente escolar e a  formar novos leitores. Esta é a segunda edição do curso.

O sarau poético contou com cem poemas que foram pendurados num varal de sisal, onde professores e alunos tiveram a oportunidade de escolher um ou mais poemas para realizarem a leitura.

Nova perspectiva

A estudante Vitória Régia subiu ao palco para ler o poema “Viagem ao universo das águas”, de Jurandir Mamede. "Estou achando bastante interessante, pois é uma oportunidade de conhecer diversos poemas e estimular a leitura de forma dinâmica", diz a estudante da 2ª série do ensino médio da Escola Estadual Moreira e Silva.

Ivana Vanderlei, professora de língua portuguesa da mesma escola, fala que o projeto permite aos professores trabalhar o incentivo à leitura de forma diferenciada. "O projeto é muito interessante, pois nos dá a oportunidade de trabalhar de uma maneira nova com os alunos e fazer com que eles tenham o contato com a leitura de forma mais dinâmica", afirma.

Erik Meneses, professor da Escola Estadual de Ensino Básico Paulo Jorge (Escola de ressocialização), também destaca os benefícios do curso. "Esta formação agrega mais conhecimento e uma base curricular maior para os professores, além de oportunizar a transmissão desse conhecimento para os alunos", frisou o professor.

Novas formações

O coordenador do projeto Papel no Varal Escola, Ricardo Cabus, informou que pretende realizar pelo menos uma formação por mês do projeto para os professores. "Esse formato de curso para os professores tem nos trazido um retorno positivo, bastante significativo para professores e alunos, por se tratar de uma forma lúdica de trabalhar com leitura de qualidade, onde o aluno aprende se divertindo. O Instituto Lumeeiro está à disposição para continuar realizando os saraus poéticos nas escolas", afirmou Cabus.

]]>
<![CDATA[Inscrições abertas para o concurso Volkswagen "Talento Design 2017"]]> A Volkswagen inicia nesta semana as inscrições do concurso “Talento Design”, que oferece aos vencedores a oportunidade de estagiar por um ano no departamento de Design da Volkswagen em São Bernardo do Campo (SP), vivenciando e participando do dia a dia dos profissionais que desenvolvem os automóveis da marca.

As inscrições foram abertas nesta segunda-feira 22 de maio e podem ser realizadas até o dia 02 de julho – o estudante deverá fazer o download da ficha cadastral pelo site www.volkswagen.com.br/design e encaminhá-la, preenchida e com um memorial descritivo do projeto, para o e-mail talentovwdesign@volkswagen.com.br.

O concurso destina-se aos estudantes universitários, maiores de 18 anos, matriculados em 2018 no último ano do curso de: Desenho Industrial com habilitação em Projeto de Produto e/ou Programação Visual; ou Design de Produto; ou Design Gráfico; ou Design de Interiores e Acabamentos; ou Moda; ou Arquitetura em Instituições de Ensino Superior registradas no Ministério da Educação (MEC).

O tema da 19ª edição do evento é “Visões do Amanhã”, que desafia os candidatos a imaginar como será um novo modelo Volkswagen que valorize a conexão do homem com a natureza e com a tecnologia em um futuro próximo.

Shape Design e Color&Trim

O “Talento Design” oferece quatro vagas de estágio em duas modalidades: Shape Design (três vagas) e Color&Trim (uma vaga). A categoria Shape Design é a área do design que desenvolve novos conceitos estéticos do produto, aliando-os diretamente com sua funcionalidade e a integração com os anseios do consumidor.

Os profissionais de Color&Trim cuidam sobretudo de potencializar a inter-relação de usuário e automóvel. Entre suas atividades estão o desenvolvimento de cores e acabamentos para externos e internos, elaborar figurinos para bancos, revestimentos, logotipos e apliques gráficos e texturas para diferentes superfícies.

Na primeira etapa do concurso, serão selecionados 20 projetos de Shape Design e 10 de Color&Trim, cujos autores farão uma visita à fábrica da Volkswagen, onde passarão por entrevistas e provas de aptidão. Do grupo inicial, serão escolhidos 10 finalistas de Shape Design e cinco de Color&Trim, que no dia 10 de outubro farão defesa final de seus projetos e a apresentação dos protótipos.

Para informações sobre a Volkswagen do Brasil, acesse: www.imprensavw.com.br

]]>
<![CDATA[Ação na área de graduação faz crescer diplomação na Ufal]]> Por em prática uma plataforma de trabalho para incrementar a área de graduação na Universidade Federal de Alagoas trouxe os primeiros reflexos positivos para o crescimento de diplomados na instituição. Mas o aumento não seria possível se não houvessem ações para também fazer crescer a Taxa de Sucesso na Graduação (TSG), que registrou 88,85% em 2016, um salto qualitativo em relação aos três últimos anos: em 2013 foi de 40%; em 2014, registrou 46%; e de 48,20% em 2015.

A Taxa é um dos indicadores definidos pelo Tribunal de Contas da União (TCU), aplicada para explicitar problemas ou dificuldades no processo de formação na Universidade, apontando estudantes com condições de diplomação, além de desempenhar um importante papel na construção da Matriz Orçamentária. Esse indicador é calculado pela relação entre os alunos diplomados e os ingressantes, ou seja, em relação ao número de alunos ingressos quantos conseguiram finalizar o seu curso. Geralmente, a partir dos resultados da TSG pode-se perceber a existência de problemas como evasão ou retenção nos cursos.

Para a pró-reitora de graduação da Ufal, Sandra Paz, a ação exitosa, que consta no recente Relatório de Gestão, é fruto de um trabalho coletivo desempenhado por setores atuantes na área (acadêmicos e técnicos) em consonância com a plataforma de trabalho da atual gestão envolvendo Prograd e DRCA, Fórum dos Colegiados de Cursos, Direções de Unidades e as Coordenações de Cursos

Ela reforça que ações empreendidas para tornar a instituição socialmente referenciada têm como foco a melhoria da qualidade do ensino voltada à qualificação profissional e intelectual: “A positividade obtida é resultado de um trabalho coletivo, democrático, transparente no qual se destaca o papel social da Universidade, especificamente da instituição alagoana junto à sociedade de uma forma geral e do Estado, de forma particular. A ação exitosa traz excelência acadêmica e oportuniza aos graduados alcançarem outros níveis superior de formação”, enfatizou Sandra Paz.

]]>
<![CDATA[Vice-reitor recebe deputada para discutir acessibilidade na Ufal]]> O Vice-reitor da Ufal, José Vieira, recebeu, na última sexta-feira (19), a deputada estadual Jó Pereira para discutir políticas públicas que permitam uma melhor acessibilidade dos alunos na Universidade. Foram abordados temas como a melhoria e gratuidade no transporte intermunicipal, reajuste nas linhas e horários dos transportes e a possibilidade de novas residências universitárias.  

O debate foi classificado como importante pelo vice-reitor, pois garante a inclusão dos estudantes. “É necessário criar políticas para que os alunos possam entrar, mas também permanecer na Universidade. O objetivo é que a gente tenha cada vez mais pessoas que concluam os cursos”, declarou.

O principal ponto discutido foi em relação aos transportes públicos que deslocam os alunos que moram em outros municípios, pois existem prefeituras que não disponibilizam condução e alguns alunos não têm como arcar sozinhos com os custos das passagens. Com isso, Jó Pereira lembrou que “a meia passagem ou até a gratuidade do transporte intermunicipal é um direito já proporcionado, mas é preciso buscar a regulamentação”, explicou ela.

Vieira ressaltou que este trabalho é em prol dos estudantes. “O foco é garantir um sistema mínimo de transporte, que garanta o acesso de estudantes a esse espaço [universidade], de forma que o aluno não fique vulnerável”, afirmou ele. “É necessário também a criação de políticas preventivas para amenizar acidentes e políticas de transporte para atender todas as demandas dos municípios. A Universidade precisa provocar esse debate, e estar à disposição”, acrescentou.

Foram discutidas também propostas de criação de outras residências universitárias, para evitar o deslocamento diário de diversos alunos. Além de contar com a ajuda de um valor mensal aos residentes, pois de acordo com José Vieira, existe ainda a problemática de que “muitos alunos que estão fora do seu município voltam para a casa porque não tem como se manter na Universidade”, mesmo tendo a residência como moradia.

Durante a conversa, foi frisada a importância de ampliar os parceiros, onde não haja somente a participação da Universidade, mas de outros órgãos, como o Estado, as prefeituras dos municípios envolvidos na problemática; a Agência Reguladora de Serviços Públicos (Arsal), a Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT), além da participação de outras instituições de ensino que recebem estudantes de outras localidades. “É preciso sensibilizar e mostrar que isso é um problema de todos”, lembra a deputada.

Foi sugerido pela deputada uma audiência pública para dar início aos trabalhos. “Precisamos alargar o debate e assim teremos focos e prioridades de atuação”. A ação foi vista como a melhor forma de socializar, tomar direcionamentos e achar resoluções para os problemas apresentados. “Além disso, é de extrema importância ter o apoio do ministério público, pois este está em todos os municípios e pode fiscalizar e cobrar o cumprimento da função de cada órgão”, complementou ela.

“É necessário levantar dados e traçar demandas, para vermos quem podem ser os responsáveis para nos ajudar na resolução desses problemas”, afirmou José Vieira, como meta dos próximos encontros marcados para debater o assunto.

]]>
<![CDATA[Concursos públicos oferecem cerca de 26 mil vagas]]> Três concursos públicos de órgãos federais estão com inscrições abertas para cerca de 26 mil vagas. Confira abaixo os detalhes e as instruções para se candidatar a essas oportunidades. 

Marinha

As inscrições do concurso público para 29 vagas no Quadro Técnico do Corpo Auxiliar (CP-T) seguem até o dia 29 de maio e podem ser feitas pelo site www.ensino.mar.mil.br. A taxa é de R$ 110.

As oportunidades são para as especialidades de comunicação social (2), direito (4), educação física (2), estatística (2), informática (6), meteorologia (2), oceanografia (2), pedagogia (3), psicologia (2), serviço social (2) e segurança do tráfego aquaviário (2).

Na Marinha Mercante, são 285 vagas para Admissão às Escolas de Formação de Oficiais do Centro de Instrução Almirante Graça Aranha (Ciaga), no Rio de Janeiro, e do Centro de Instrução Almirante Braz de Aguiar (Ciaba), em Belém. São 170 vagas para o Ciaga e 115 para o Ciaba.

As inscrições devem ser feitas até 8 de junho pelo site www.ciaga.mar.mil.br. A taxa é de R$ 60.

Exército 

Em três editais, há um total de 1.100 vagas para os cursos de formação de sargentos. Os candidatos devem ter nível médio completo ou cursar o 3º ano.

As inscrições devem ser feitas até o dia 12 de junho pelo site www.esa.enisno.eb.br. A taxa é de R$ 80.

Há também 440 oportunidades para a Escola Preparatória de Cadetes (EsPCEx), para o curso de Formação e Graduação de Oficiais de Carreira da Linha de Ensino Militar Bélico. São 400 vagas destinadas para o sexo masculino e 40 para o sexo feminino. 

As inscrições terminam em 20 de junho e devem ser feitas pelo site www.espcex.ensino.eb.br. A taxa é de R$ 90.

IBGE

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) segue com as inscrições abertas do processo seletivo para 24.984 vagas temporárias de níveis fundamental e médio. 

As oportunidades são para atuar no Censo Agropecuário 2017. Do total das oportunidades, 5% são reservadas para pessoas com deficiência e 20% para negros.

As inscrições podem ser feitas até 23 de maio pelo site www.fgv.br/fgvprojetos/concursos/ibge-pss. A taxa é de R$ 39,50 para nível médio e R$ 22 para nível fundamental.

]]>
<![CDATA[Estudante do Sesi é destaque mundial em concurso de Matemática]]> A Escola Sesi Industrial Abelardo Lopes, unidade localizada na Cambona, em Maceió, entrou para a elite mundial das competições de Matemática. O aluno do 8º ano Dimitri Tavares Oliveira, de 12 anos, é um dos medalhistas de ouro do “Concurso Canguru sem Fronteiras 2017”, promovido pela Associação Canguru Sem Fronteiras (AKSF, em francês).

Este ano, foram seis milhões de inscritos em todo o mundo. Na competição, estudantes dos 7 aos 18 anos, em seis diferentes categorias etárias, resolvem 24 ou 30 testes de múltipla escolha em 90 minutos (ou mais, dependendo do país participante). A prova foi realizada na terceira semana do último mês de março, nas próprias unidades de ensino onde os jovens estudam.

Tido como aluno exemplar, que costuma ir além do que é exigido em sala de aula, Dimitri confessa que o aprendizado em classe foi suficiente para fornecer uma base no assunto. “O nível de ensino do Sesi contribuiu bastante [para a conquista da medalha], a didática e as demonstrações, além do Laboratório de Matemática, onde eu descobri como calcular a área de um triângulo, por exemplo”, relata.

O garoto confessa que seu forte é equação, mas que aceita desafios. “A prova tinha não só questões de Matemática pura, com números etc., como também questões de Geometria que, na minha concepção, foram as mais complicadas”, avalia Dimitri.

Orgulhosa, a professora de Matemática do 8º ano, Cristiane Siqueira de Macedo Nobre, ressalta o esforço de Dimitri, que considera “muito interessado”. O desempenho dele, conta a docente, o credenciou a se inscrever na prova mundial. “A ideia de participar da competição surgiu a partir do trabalho com a equipe. Temos aqui um grupo de Matemática e trabalhamos com questões contextualizadas, questões de olimpíadas e de vários testes a nível mundial, mesmo”, explica.

“É uma questão de habilidade que ele sabe usar. Existem alunos que focam em Física ou em Matemática. Já o Dimitri tem dons em diversas áreas: ele é um ótimo jogador de xadrez também, muitos professores o elogiam em outras matérias, então, isso é um diferencial”, afirma o professor Urandy Carlos, que coordena as olimpíadas científicas na Escola Sesi Industrial Abelardo Lopes.

A unidade de ensino, avalia o professor, consegue estimular o desenvolvimento das habilidades de seus alunos. “Nós temos, hoje, um treinamento diferenciado para alunos de Matemática, Física, Astronomia, Astronáutica, Foguetes... Temos também um programa de Robótica que vem recebendo diversos elogios. Não sabemos mais onde vamos parar, sabemos que vamos crescer e muito”, afirma Urandy.

]]>
<![CDATA[Senac firma parceria com instituição canadense para uso de plataforma digital]]> O Senac firmou parceria com a instituição de ensino Canadian College e passa a oferecer uma turma de inglês básico que utiliza a metodologia SMRT English (Student Media Relevant Training),  por meio da qual os alunos utilizam as ferramentas google a fim de favorecer o aprendizado dentro e fora de sala, fazendo uso de informações disponíveis na Internet.

As aulas contam com diversos recursos tecnológicos e o conteúdo pode ser acessado de qualquer dispositivo móvel, por meio de um programa específico, o que otimiza o tempo, dispensa o uso de livros, e torna a aula ainda mais interativa e envolvente.

Outra vantagem da metodologia é a redução do tempo do curso. Por meio dela, os alunos concluem o nível básico da língua inglesa em apenas seis meses de aulas. O curso Beginner’s English será realizado no período de 6 de junho a 21 de dezembro, com aulas às terças e quintas-feiras, das 19h às 22h, na Unidade Fernandes Lima do Senac. As matrículas já estão abertas. Vagas limitadas! Mais informações: (82) 2122.7950. 

]]>
<![CDATA[Professores participam de cerimônia de conclusão do curso do Papel no Varal Escola]]> A Secretaria de Estado da Educação (Seduc), por meio do Centro de Artes e Medições Culturais (Camec), e o Instituto Lumeeiro promovem nesta terça-feira (23) o encerramento do curso de formação “Papel no Varal Escola”. A solenidade acontece às 15h, no Camec (antiga Escolinha de Artes).

O projeto Papel no Varal teve início em 2009, com o intuito de levar a poesia para o grande público num varal de sisal. Além de levar o tradicional sarau para as unidades de ensino, a ação pretende inserir a poesia no cotidiano do ambiente escolar e incentivar a formação de novos leitores.

Esta é a segunda edição do curso, em qual os professores foram capacitados para desenvolver atividades do projeto nas escolas onde estão lotados, com suporte do Instituto Lumeeiro.

Para marcar a conclusão do curso, os professores realizam um Sarau do Papel no Varal, que contará com cem poemas pendurados num varal de sisal e que serão lidos no palco pelos professores. O evento contará ainda com a participação musical do cantor Ivo Bulhões.

 

 

]]>
<![CDATA[Educação prisional ganha destaque em comunidade acadêmica da Ufal]]> A educação prisional ganha cada vez mais espaço na academia, sendo tema de debates e estudo. Na última quinta-feira (18), representantes da Secretaria de Estado da Ressocialização e Inclusão Social (Seris) se reuniram com acadêmicos da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) para apresentar dados do ensino nos presídios em Alagoas.

Durante a reunião, a gerente de Educação, Produção e Laborterapia, Andrea Rodrigues, e a supervisora de Educação, Genizete Tavares, responderam a uma pesquisa desenvolvida pela universidade intitulada: ‘Políticas Públicas para a Educação no Sistema Prisional: da Legislação às Ações Implementadas no Estado de Alagoas’.

Nesta semana, dois feitos na educação prisional foram alcançados: a criação de uma disciplina eletiva no curso de Pedagogia, a partir do segundo semestre deste ano, chamada ‘Políticas Públicas para Educação em Prisões’, com carga horária de 40 horas/aula; e a criação de um grupo de pesquisa chamado ‘Educação em Prisões’. As propostas foram aprovadas com unanimidade pelo colegiado da Ufal.

Para a gerente de Educação, Produção e Laborterapia, Andrea Rodrigues, isso reflete o trabalho que é realizado no sistema prisional e destaca sua importância. “Atingimos dois feitos importantíssimos. Foi uma grande conquista, pois sempre tivemos deficiência na mão de obra de professores que vinham no sistema por desconhecerem essa realidade. Mas, agora, dentro da universidade, terão conhecimento da realidade na educação em prisões”, disse.

Maria da Conceição Valença da Silva é professora adjunta do Centro de Educação da Universidade Federal de Alagoas. A docente, que possui doutorado em Educação, foi responsável por apresentar as propostas aceitas pelo colegiado.

Para ela, a educação prisional não tem recebido a devida atenção. “A Constituição estabelece que é direito de todo e qualquer cidadão o acesso à educação. As pessoas que estão privadas de liberdade têm esse direito, e é dever do Estado garanti-lo. Não só no Brasil, mas em muitos países não se tem dado a devida atenção à implantação de iniciativas que contribuam para a formação de pessoas que estão em situação de privação de liberdade”, falou.

“Não entendemos educação como processo de assistência, mas como processo de formação e humanização do sujeito. A falta de estudo e pesquisa acerca da educação no sistema prisional é notória e a discussão requer cada vez mais a ampliação e aprofundamento”, concluiu a pesquisadora.

Início do ano letivo

Em abril teve início o ano letivo nos presídios. Com o tema ‘Cordelizando a educação no sistema prisional’, o projeto visa fomentar a cultura do cordel no cárcere. Este ano, 503 reeducandos terão aulas nos segmentos de Educação de Jovens e Adultos (EJA) e ensino superior pela modalidade a distância, pela Universidade Norte do Paraná (Unopar).

Além da educação, outra preocupação da Seris é profissionalizar os internos. Por meio de parcerias com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), Universidade Federal de Alagoas (Ufal) e Instituto Federal de Alagoas (Ifal), a Ressocialização mantém os apenados preparados para construir um futuro digno desempenhando serviços de qualidade.

]]>
<![CDATA[Polícia Militar promove visita de estudantes ao Cisp de Cajueiro]]> Aproximar a comunidade da Polícia Militar de Alagoas e fazê-la conhecer melhor os trabalhos desenvolvidos. Esse foi o intuito dos militares da 4ª Cia. Independente, que recepcionaram estudantes na sexta-feira (19), no Centro Integrado de Segurança Pública (Cisp) de Cajueiro, entregue dia 17 deste mês, pelo governador Renan Filho e o secretário de Segurança Pública, Lima Junior.

Segundo o comandante da unidade, major Braga Braz, é de suma importância essa familiarização. “A ação não foi simplesmente para apresentar a estrutura, mas aproveitamos a oportunidade para mostrar os trabalhos desenvolvidos e quebrar barreiras entre as comunidades e a Polícia Militar. Temos que fazer a nossa parte e mostrar às pessoas que a polícia é parceira e que podem contar conosco”, ressalta o comandante da 4ª Cia.

Na oportunidade, os sargentos PM Eldino Santos e Carlos Livramento, além dos soldados PM Cícero Santos, Djerson Bezerra e Laine Teixeira, deram orientações sobre o uso de entorpecentes e suas complicações. Crianças e adolescentes conheceram também ferramentas importantes trabalhadas dentro da Segurança Pública e que têm auxiliado às polícias, como o Disque-Denuncia 181 e o serviço de chamadas de emergência, o 190.

“Nossos policiais difundiram o 181 e mostraram sua importância. E, de forma preventiva, elas ficaram cientes da gravidade em passar trotes para o número disponibilizado para acionar a polícia em situação de emergência”, explica o major Braga Braz.

O secretário Lima Junior reconhece o valor da iniciativa e entende como uma porta aberta para maiores resultados.

“A sociedade precisa mesmo estar mais próxima da polícia e vice-versa. É preciso que as pessoas assimilem que polícia é parceira e está para nos servir. O método preventivo, por meio de orientações, é louvável, com mais um ponto positivo que é o de tornar essas crianças e adolescentes multiplicadoras das informações adquiridas”, declara o secretário de Segurança Pública.

]]>