<![CDATA[ Tribuna Hoje - O portal de notícias que mais cresce em Alagoas ]]> <![CDATA[Sérgio Cabral é condenado a 45 anos de prisão na Operação Calicute]]> O juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal do Rio de Janeiro, condenou nesta quarta-feira (20) o ex-governador do Estado Sérgio Cabral (PMDB) a 45 anos e dois meses de prisão no âmbito da Operação Calicute, um desdobramento da Lava Jato.

A pena foi calculada com base nos crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e associação criminosa.

Neste processo, a denúncia contemplava "a existência de gigantesco esquema criminoso no âmbito da Petrobras", descoberto por meio de colaboração premiada entre a PGR (Procuradoria-Geral da República) e executivos das empreiteiras Andrade Gutierrez e Carioca Engenharia .

Por meio do esquema, as empreiteiras combinavam os preços das licitações (cartel) para fraudar as obras de "construção ou reforma dos estádios que sediariam as partidas da Copa do Mundo de 2014, inclusive o estádio do Maracanã".

Esta é a segunda vez que Cabral é condenado pela Justiça Federal. Em junho, o juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, determinou a pena de 14 anos e 2 meses de prisão em regime fechado na operação Lava Jato, por causa dos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro.

Mulher de Cabral

A mulher do ex-governador também foi condenada nesta ação. Adriana Ancelmo pegou 18 anos e três meses de prisão pelos crimes de lavagem de dinheiro e associação criminosa.

]]>
<![CDATA[Trabalhadores dos Correios iniciam greve; empresa diz que serviço está normal]]> Os trabalhadores dos Correios entraram em greve na noite de terça-feira (19), com adesão de 28 dos 31 sindicatos vinculados à Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios, Telégrafos e Similares (Fentect). É a segunda greve realizada este ano.

Os estados que não aderiram ao movimento (Acre, Rondônia e Roraima) têm assembleias previstas até amanhã (21) e a perspectiva da Fentect é que eles participem da paralisação.

De acordo com os Correios, a paralisação é parcial e não afeta os serviços da empresa. “Até o momento, todas as agências, inclusive nas regiões que aderiram ao movimento paredista, estão abertas e todos os serviços estão disponíveis”, informou nota enviada pela empresa.

Nos locais onde houve paralisação, a empresa já colocou em prática o Plano de Continuidade de Negócios, de forma a “minimizar os impactos à população”. Ainda por meio de nota, os Correios informam que a greve está concentrada na área de distribuição e que um levantamento parcial feito na manhã de hoje (20) indicou que 93,17% do efetivo total da empresa está presente e trabalhando – o que, segundo os Correios, corresponde a 101.161 empregados.

O processo de negociação entre empresa e trabalhadores já dura cerca de 50 dias, segundo a Fentect, que reivindica reajustes salariais de 8%. “Até agora a empresa não apresentou nenhuma proposta no âmbito econômico. O único retorno que temos está relacionado à retirada de direitos como assistência médica, indenizações por acidente de trabalho e suspensão de férias", disse à Agência Brasil a diretora de Comunicação da Fentect, Suzy Cristiny. Ela esclareceu que a empresa só está autorizando as férias quando está perto de elas se tornarem compulsórias, "em geral no 23º mês trabalhado”.

Nas negociações, foi aventada a possibilidade de instaurar um banco de horas, em que a jornada poderia variar conforme a demanda de trabalho. A proposta desagrada aos trabalhadores "porque, além de resultar no não pagamento de horas extras, provocará situações como a dispensa de trabalhadores em horários de menor movimentação para, depois, serem cobradas as reposições", avaliou Suzy.

A empresa, no entanto, nega ter proposto o corte dos benefícios e disse que o que está em jogo é um processo de negociação. De acordo com a assessoria de imprensa, os Correios apresentaram uma proposta de manter o último acordo coletivo vigente até o final do ano. A data-base é de agosto mas, segundo a empresa, como é nesse período que as do acordo coletivo se acentuam, não caberia, em sua opinião, qualquer tipo de paralisação até se esgotar a prorrogação.

A Fentect avalia que o prolongamento das negociações pode favorecer a privatização da empresa. “Querem favorecer uma paralisação para jogar a população contra os trabalhadores dos Correios, por conta da piora do serviço prestado. Com isso, em um segundo momento, querem criar um cenário favorável à privatização da estatal”, argumentou a dirigente da Fentect.

A estatal tem alegado prejuízos financeiros (de R$ 2,1 bilhões em 2015 e de R$ 2 bilhões no ano passado) para promover ajustes. No ano passado, foi anunciado um plano de demissão voluntária e o fechamento de agências para reduzir os gastos. O governo estuda mudanças no modelo de negócios da empresa, que podem envolver a privatização, abertura de capital ou manutenção do sistema atual, mas com quebra de monopólio.

Para Suzy, esse déficit seria provocado por meio de alterações contábeis ou de rubricas. Ela cita como exemplo os gastos previstos para o pagamento de previdência complementar e plano de saúde de aposentados. “Há o prazo de cerca de 20 anos para o pagamento de cerca de R$ 8 bilhões com esses gastos. Para forçar esse déficit, eles contabilizam esses valores como se tivessem de ser pagos em cinco anos, entre 2014 e 2019. O pior é que, caso a empresa seja privatizada, não haverá a obrigatoriedade de usar esses recursos para este fim”, disse Suzy.

A assessoria dos Correios afirma que a análise da Fentect "não procede". “O que está sendo feito é uma tentativa de revitalizar a empresa para, dessa forma, evitar a privatização”, diz a nota.

]]>
<![CDATA[Bombeiros Mirins recebem kits e instruções sobre higiene bucal]]> Quarenta alunos do Projeto Bombeiro Mirim participaram, nesta terça-feira (19), de uma palestra sobre higiene bucal. A ação ocorreu no Estádio Rei Pelé, no bairro Trapiche, em Maceió, e foi promovida pela Assessoria de Saúde Bucal da Secretaria de Estado de Saúde (Sesau).

Durante a ação os alunos receberam também um kit com escova, pasta de dente e fio dental. De acordo com o odontólogo da Sesau, Eraldo de Andrade, a higienização correta é importante para a saúde geral do indivíduo e para a qualidade de vida de todos.

“O uso correto de produtos de higiene e a técnica correta para escovação, evita problemas na gengiva, nos dentes e mau hálito”, explicou o dentista da Sesau. Ele lembrou que visitas periódicas ao dentista são essenciais para a prevenção e controle de problemas mais graves.

 “Todos devem realizar visitas periódicas ao profissional de odontologia. É uma forma de assegurar a saúde e o aparecimento de doenças capazes de deixar marcas e sequelas”, destacou.

Presente ao evento, o aluno Luiz Fernando da Silva, de 16 anos, elogiou a iniciativa e revelou que aprendeu com o palestrante. “Já sabia de algumas coisas e outras aprendi hoje. O conhecimento é a melhor forma para garantirmos nossa saúde bucal”, salientou o aluno.

Já o subtenente Clezivaldo Cavalcante, que é o coordenador do Projeto Bombeiro Mirim, lembrou que os alunos atuam como multiplicadores do conhecimento. “Cada criança e adolescente que tem acesso a essa informação passa para seus colegas e familiares, ampliando o alcance da palestra”, reforçou o oficial.

]]>
<![CDATA[‘Cura gay’: o que de fato disse o juiz que causou uma onda de indignação]]> Uma polêmica decisão judicial causou nesta segunda-feira uma onda de indignação — e de memes — nas redes sociais. No último dia 15, o juiz Waldemar Cláudio de Carvalho, da 14ª Vara do Distrito Federal, concedeu uma liminar que, na prática, torna legalmente possível que psicólogos ofereçam pseudoterapias de reversão sexual, popularmente chamadas de cura gay.

Não foram poucos os que, em protesto, acusaram o magistrado de ser homofóbico e de ter dito que a homossexualidade é doença. Na verdade, o Carvalho não chega a defender explicitamente a cura gay e nem derruba uma resolução do Conselho Federal de Psicologia (CFP) que, desde março de 1999, proíbe sua prática. Ele inclusive deixa claro em seu texto que, ao analisar o caso, adotou como premissa o posicionamento da Organização Mundial da Saúde de que "a homossexualidade constitui uma variação natural da sexualidade humana, não podendo ser, portanto, considerada como condição patológica". (Leia aqui a decisão)

Entretanto, o juiz contraditoriamente determina que o órgão altere a interpretação de suas normas de forma a não impedir os profissionais "de promoverem estudos ou atendimento profissional, de forma reservada, pertinente à (re)orientação sexual, garantindo-lhes, assim, a plena liberdade científica acerca da matéria, sem qualquer censura ou necessidade de licença prévia".

As regras que o magistrado faz referência estão na Resolução 01/99 do Conselho Federal de Psicologia, que determina que "os psicólogos não exercerão qualquer ação que favoreça a patologização de comportamentos ou práticas homoeróticas, nem adotarão ação coercitiva tendente a orientar homossexuais para tratamentos não solicitados". Também pede, entre outros pontos, que os profissionais contribuam "para uma reflexão sobre o preconceito e o desaparecimento de discriminações e estigmatizações contra aqueles que apresentam comportamentos ou práticas homoeróticas".

Para o juiz Carvalho, tais normas "não ofendem os princípios maiores da Constituição". Mas, "se mal interpretados", podem resultar em que se considere "vedado ao psicólogo realizar qualquer estudo ou atendimento relacionados à orientação ou reorientação sexual", uma vez que a Constituição "garante a liberdade científica bem como a plena realização da dignidade da pessoa humana, inclusive sob o aspecto da sexualidade". Assim, sem suspender os efeitos da resolução, ele determina que os profissionais possam "estudar ou atender àqueles que voluntariamente venham em busca de orientação acerca de sua sexualidade, sem qualquer forma de censura, preconceito ou discriminação".

O que diz o contexto histórico do processo

A liminar concedida por Carvalho atende, de forma parcial, a uma ação movida contra o CFP por Rozangela Alves Justino, que pedia a suspensão das regras do órgão. Psicóloga de formação e missionária, como define em seu blog, seu registro profissional foi cassado em 2009 porque ela oferecia pseudoterapias para curar a homossexualidade masculina e feminina. Naquele ano, às vésperas de seu julgamento, ela chegou a dizer que pessoas têm atração pelo mesmo sexo "porque foram abusadas na infância e na adolescência e sentiram prazer nisso". Também afirmou que "o movimento pró-homossexualismo tem feito alianças com conselhos de psicologia e quer implantar a ditadura gay no país". Por fim admitiu: "Tenho minha experiência religiosa que eu não nego. Tudo que faço fora do consultório é permeado pelo religioso. Sinto-me direcionada por Deus para ajudar as pessoas que estão homossexuais".

Em nota, o CFP diz que vai recorrer da decisão e argumenta que "o que está em jogo é o enfraquecimento da Resolução 01/99 pela disputa de sua interpretação, já que até agora outras tentativas de sustar a norma, inclusive por meio de lei federal, não obtiveram sucesso". O órgão ainda acrescenta que o "Judiciário se equivoca ao desconsiderar a diretriz ética que embasa a resolução, que é reconhecer como legítimas as orientações sexuais não heteronormativas, sem as criminalizar ou patologizar".

Reações das redes

A indignação nas redes sociais vem sendo massiva desde a tarde desta segunda-feira, quando a decisão foi divulgada. Milhares de usuários vêm utilizando as hashtag #TrateSeuPreconceito e #HomofobiaNãoÉDoença para expressar sua insatisfação com a decisão, enquanto outros preferiram os memes e o humor para lidar com a questão. Já importantes artistas, como as cantoras Anitta e Preta Gil ou a atriz Taís Araújo, publicaram vídeos para falar sobre o tema. Anitta, por exemplo, pediu para que pais não obriguem seus filhos a buscar tratamento. Além disso, uma manifestação foi convocada para a próxima sexta-feira, em São Paulo. No Facebook, mais de 3.000 pessoas confirmaram presença e outras 15.000 demonstraram interesse.

 

 

No entanto, alguns usuários e páginas no Facebook apoiaram a decisão do juiz Carvalho e ainda criticaram a abordagem da imprensa sobre o tema.

 

Enquanto o processo judicial segue seu curso, muitas pessoas já temem as consequências da liminar do juiz Carvalho. Como pode ser visto abaixo:

 

A 'cura gay' no Brasil

Além do Brasil, apenas o Equador e Malta proíbem expressamente a cura gay, uma pseudoterapia que associações psiquiátricas de todo o mundo consideram ineficazes e prejudiciais. Entretanto, a Resolução 01/99 do Conselho Federal de Psicologia e o entendimento do Conselho Federal de Medicina de que a homossexualidade não é uma doença nunca impediram que diversos grupos, sobretudo ligados a igrejas evangélicas, pregassem soluções milagrosas ou terapêuticas para extirpar a homossexualidade. Presentes no Congresso, esses grupos tentam mudar a legislação através do recente projeto de lei 4931/2016, apresentado deputado Ezequiel Teixeira (PTN-RJ). Ele tem como objetivo acabar com a punição ao psicólogo que que tratar o paciente com "transtorno de orientação sexual" e garantir o "direito à modificação da orientação sexual em atenção a Dignidade Humana"

 

]]>
<![CDATA[PM é preso por matar atleta da seleção de hóquei por ciúmes da namorada]]>

O soldado da Polícia Militar Jarbas Colferai, de 23 anos, foi preso por matar o atleta Matheus Garcia Vasconcelos Alves, de 24, em São Vicente, no litoral de São Paulo. Inicialmente, as investigações apontavam para o latrocínio (roubo seguido de morte), mas a Polícia Civil concluiu que foi um crime passional, uma vez que o atirador tinha ciúmes da namorada, que matinha contato com a vítima.

Matheus morreu após ser baleado na nuca na noite de segunda-feira (18). Ele foi encontrado ainda com vida na Rua Nicolau Guirão Perez, no Centro da cidade. O atleta morreu a caminho do Hospital Municipal. Na mão dele, havia um carregador de celular, mas o aparelho não foi encontrado pela polícia na ocasião.

Por meio de nota, a Polícia Civil confirmou que, após 12 horas de investigação, conseguiu identificar o soldado da PM como o responsável pelo crime. "O Comando da Polícia Militar foi acionado e apresentou o soldado à delegacia, lavrando-se os procedimentos legais". Foi solicitada sua prisão temporária.

As reais motivações e as circunstâncias da execução ainda não foram divulgadas oficialmente pela Polícia Civil, que confirma que o policial confessou o crime. O soldado permanece detido na carceragem da Delegacia Sede da cidade, onde aguarda definição do pedido de prisão pelo Poder Judiciário.

Velório

O corpo do atleta Matheus Garcia é velado em um cemitério em Santos, também no litoral de São Paulo, nesta terça-feira (19). O atleta jogava hóquei e chegou a integrar a Seleção Brasileira, disputando campeonatos no exterior. Familiares e amigos se reúnem desde o início da tarde.

"Todos no Inter somos uma grande família. Assim como o Matheus, todos são muito felizes. Ele era muito feliz", disse o conselheiro do Clube Internacional de Regatas de Santos, Emilio da Silva Junior.

Segundo Emílio, ao se destacar na quadra do Inter, onde praticava o esporte desde pequeno, ele conseguiu chegar à Seleção. "Ele foi se destacando aos poucos, até conseguir essa oportunidade. Estou muito triste com tudo o que aconteceu", disse. Familiares do jovem não quiseram falar com a imprensa.

Mais cedo, o presidente da Confederação Brasileira de Hóquei e Patinação, Moacir Júnior, disse que a perda é irreparável. "Não dá para imaginar uma coisa dessas. O menino sempre teve muito talento. Eu tenho um filho de 25 anos, da idade dele, e é difícil. Nós decretamos luto e vamos homenageá-lo".

Moacir contou que, no último sábado (16), estava mexendo nos uniformes da Seleção quando encontrou uma camiseta com umas costuras fora do padrão. "Na hora, fiquei bravo. Demorei três minutos para tirar aquilo ali. Mas depois descobri que era do Matheus. Ele era pequeno de tamanho, mas um grande jogador".

Além de decretar luto por três dias, Matheus vai ser lembrado em um trófeu, que será criado no Campeonato Brasileiro Sub-20 de Hóquei, que ocorrerá em novembro, em Santos. "É o mínimo que a gente pode fazer por ele. A camiseta dele eu vou enquadrar. Antes não tivesse tirado a costura", desabafou.

O crime

De acordo com informações da Polícia Militar, Matheus foi abordado no Centro de São Vicente. As informações iniciais apontavam que ele seria vítima de latrocínio, que é o roubo seguido de morte, mas a Polícia Civil apurou que foi execução. Na mão dele havia um carregador de celular, mas o aparelho não foi achado.

Matheus foi encaminhado às pressas para o Hospital Municipal de São Vicente, por volta das 22h, mas já chegou morto ao local. Ele morava em Santos e cursava Publicidade e Propaganda na Universidade Santa Cecília (Unisanta). Um suspeito chegou a ser detido durante a madrugada, mas acabou liberado mais tarde.

]]>
<![CDATA[Atleta britânica que sumiu em rio no Amazonas foi vítima de latrocínio]]> A Polícia Civil do Amazonas confirmou, à 14h28 desta terça-feira (19), que a atleta britânica Emma Kelty que desapareceu no Rio Solimões, no Amazonas, foi vítima de um latrocínio - roubo seguido de morte. Desde o mês passado ela viajava de caiaque, em uma jornada que começou no Peru. Dois suspeitos do crime foram identificados, um deles é adolescente.

O Governo Britânico informou ao G1, nesta terça-feira, que está em contato com as autoridades e "dando apoio à família da britânica que morreu no Brasil".

O delegado-geral da instituição, Frederico Mendes, informou, por meio da assessoria, que o adolescente, de 17 anos, apreendido em Codajás, a 240 Km de Manaus, suspeito de envolvido no latrocínio, deu detalhes sobre o crime.

Outros seis indivíduos, que já foram identificados pela Polícia Civil e estão sendo procurados, também participaram do crime.

Conforme a polícia, o adolescente relatou, em Termo de Declaração, que a britânica estava acampando na Ilha do Boieiro, localizada em frente à Comunidade Lauro Sodré, em Coari, 363 Km da capital, quando foi abordada por dois infratores. Em seguida, outros cinco indivíduos chegaram ao local, dentre eles o adolescente. A mulher teve dinheiro e pertences roubados pelo grupo. Não há informações se a mulher reagiu à ação.

Caiaque encontrado no Amazonas (Foto: Divulgação / Marinha)

O adolescente informou, ainda segundo a Polícia Civil, que a britânica foi atingida por tiros de espingarda calibre 20, com o cano serrado, e depois os infratores jogaram o corpo da mulher no Rio Solimões.

"Os sete infratores tentaram vender os objetos roubados da vítima, dentre eles dois aparelhos celulares, um tablet e uma câmera GoPro, em comunidades dos municípios de Codajás e Coari", disse a polícia.

Os seis indivíduos já foram identificados e tiveram os mandados de prisão e de busca e apreensão representados à Justiça da Comarca de Coari, informou a polícia.

A Marinha do Brasil e o Corpos de Bombeiros Militar do Amazonas continuam as buscas para tentar localizar o corpo da esportista. Os dois órgãos refizeram o trajeto percorrido por ela nas proximidades de onde o adolescente apontou que o grupo teria jogado o corpo da vítima.

Últimas postagens

"Uma mudança dramática em apenas um dia, mas o rio é assim mesmo. Cada quilômetro é diferente, e só porque uma área é ruim não significa que...".

Esta é a última postagem, no Twitter, da atleta britânica que desapareceu no rio Solimões. Foi ao ar na madrugada de quarta-feira, 13 de setembro. A atleta usava a rede social para documentar a viagem pela região.

A britânica foi desestimulada a seguir o trajeto sozinha. Chegou a fazer piada da situação em um tuíte no último dia 10: "Em Coari ou perto (a 100 quilômetros acima do rio) meu barco será roubado e eu serei assassinada. Legal".

Segundo escreveu em um blog, o plano era descer o rio "sem apoio ou assistência". A postagem foi feita em 9 de agosto, quando ela ainda estava em Iquitos, no Peru. No fim do texto, disse que estava ciente das dificuldades, mas que não tinha nenhum arrependimento.

Entenda o caso

Na quarta-feira, dia 13, por volta das 22h, uma empresa ligou para o Comando do 9° Distrito Naval (Com9ºDN) informando que o localizador de emergência da britânica, que estaria realizando canoagem esportiva no Rio Solimões, havia sido acionado. Na manhã de quinta-feira, dia 14, a Marinha do Brasil iniciou as buscas. Já na tarde de sexta-feira, dia 15, alguns objetos que seriam da mulher, como roupas, sapatos e o caiaque foram encontrados na Comunidade Lauro Sodré.

No último domingo, dia 17, a Marinha do Brasil encaminhou os objetos ao 6º Distrito Integrado de Polícia (DIP), onde foi realizado o Auto de Exibição dos materiais. Na 78ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP), que fica em Codajás, foi instaurado um Inquérito Policial (IP).

Marinha faz buscas em área compreendida entre os municípios de Codajás e Coari (Foto: AVG/Rede Amazônica)

]]>
<![CDATA['Foi assustador', diz sobrevivente de barco 'sugado' em represa que secou em Franca]]>

O auxiliar de serviços gerais Nilson Salles ainda se surpreende com as cenas de tensão que viveu na última sexta-feira (15), quando se viu prestes a ser sugado pelo buraco de uma represa que se esvaziou em Franca (SP).

O acidente aconteceu depois que as comportas, abertas para que fosse medida a vazão do reservatório no clube Castelinho, não puderam ser fechadas por um galho enroscado. Na tentativa de salvar os peixes, Salles e o pedreiro Elias Pádua entraram com uma canoa, sem esperar que ela também seria puxada pela força da água. No fim, eles conseguiram ser resgatados por um guindaste.

"Realmente foi assustador, na hora lá eu não pensava em outra coisa, so tentei não deixar a canoa virar, porque a canoa até não podia ir embora, mas se a gente caísse lá a gente teria ido embora", relata.

Com o escoamento sem controle, praticamente toda a água escoou para o Córrego do Espraiado, que corta o município, revelando toda a sujeira acumulada no fundo, em função do descarte de resíduos na região. Três dias depois do ocorrido, na segunda-feira (18), as comportas foram fechadas novamente, na expectativa de que o espelho d'água fique cheio novamente.

"A beleza da represa era a nossa menina dos olhos, mas agora vamos trabalhar, pra cima do Ministério Público e da Prefeitura pra ver de que forma podemos recuperar", disse o gerente do clube, Esílton Tavares dos Reis.

Um inquérito em andamento desde 2013 apura problemas no escoamento da represa. "Não houve dano ambiental nenhum, a não ser a evidência de que há um problema técnico na barragem que precisa ser corrigido", afirmou o promotor Fernando Martins.

'Não podia sair'

Salles ainda exibe nos braços os arranhões resultantes do esforço que fez para evitar que o barco em que ele estava não virasse. Os vãos da comporta, segundo ele, não eram grandes o bastante para que o barco entrasse, mas tinham espaço de sobra para levá-los com a correnteza.

"Precisava fazer força pra canoa não virar, porque a gente não podia sair de dentro da canoa, não tinha como fazer nada. Você olhava o barranco, todo mundo gritando ali, mas você não entendia o que eles estavam falando, porque o barulho da água era muito forte", diz.

O funcionário afirma que, no desespero, viu seu colega esboçar uma tentativa de deixar a embarcação, mas o fez desistir, com medo de que aquilo pudesse piorar as coisas. Pouco depois de continuarem no barco, eles foram resgatados por um guindaste.

Ministério Público

De acordo com o promotor do Meio Ambiente, Fernando Martins, apesar das imagens que impressionaram, não foram constatados danos ambientais na área da represa.

Segundo ele, o acidente revela um problema técnico em relação às suas condições de escoamento, associadas aos dejetos que são despejados na região. O caso é alvo de um inquérito desde 2013.

"Alguns peixes que morreram são exóticos, tilápias, ou invasores, carpas, exóticas também, que a rigor não poderiam estar num ambiente natural. São espécies invasoras, isso não causa dano ambiental", explica.

Represa esvazia

Peixes morreram e um barco com dois funcionários foi parar dentro de um buraco após a maior represa de Franca (SP) se esvaziar devido a uma falha nas comportas no final da tarde de sexta-feira (15). Toda a movimentação foi registrada em imagens.

Os funcionários do Clube Castelinho, onde fica o reservatório, haviam entrado às pressas com a embarcação para tentar salvar os peixes que ficaram retidos na lama, depois que a água começou a escoar sem controle para o Córrego do Espraiado.

As estruturas de contenção tinham sido abertas para que fosse medida a vazão da Represa do Castelinho, mas não foram fechadas devido a um galho, segundo a direção, e a maior parte da água escoou.

O vídeo mostra que o barco dos funcionários foi parar justamente sobre o ponto de vazão, que abriu um buraco no meio da lama. Os encarregados foram resgatados por um guindaste e não se feriram.

]]>
<![CDATA[Estacão das flores tem início na próxima sexta-feira (22)]]> A primavera, estação do ano marcada pelas flores, terá início às 17h02 (horário de Brasília) da próxima sexta-feira, dia 22 de setembro, e terminará em 21 de dezembro de 2017, quando se iniciará o verão. A primavera é uma época em que ocorre o florescimento de diversas plantas, devido à reprodução de muitas espécies de árvores. Sendo assim, trata-se de um período em que a natureza fica ainda mais bela, com flores coloridas e perfumadas. A astronomia diz que a estação ocorre no equinócio de setembro (momento do ano em que o dia e a noite possuem a mesma duração, ou seja, 12 horas cada).

De acordo com o Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Cptec/Inpe), com a chegada da primavera, há uma mudança no regime de chuvas e temperaturas na maior parte do Brasil. Nas regiões Centro-Oeste e Sudeste, as chuvas passam a ser mais intensas e frequentes, marcando o período de transição entre a estação seca e a chuvosa. Durante o período, iniciam-se as pancadas de chuva no final da tarde ou noite, devido ao aumento do calor e da umidade que se intensificam gradativamente no decorrer desta estação. Em algumas ocasiões, podem ocorrer raios, ventos fortes e queda de granizo.

Na Região Sul, há poucas alterações nos totais mensais de chuva, sendo o regime praticamente uniforme ao longo de todo o ano. Entretanto, aumenta a ocorrência de raios e de sistemas que provocam grande quantidade de chuva em períodos relativamente curtos. No trimestre setembro, outubro e novembro, a maior parte da Região Nordeste encontra-se na sua estação seca, exceto no sul dos estados do Piauí, Maranhão e no oeste da Bahia. No centro-sul da Região Norte, o período chuvoso inicia-se nos meses de outubro e novembro, com o aumento gradativo das pancadas de chuva e trovoadas.

Ainda segundo o Cptec/Inpe, na primavera, as temperaturas aumentam gradativamente nas Regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste. No Brasil Central, as temperaturas máximas podem atingir valores muito elevados em função da forte radiação solar e da maior frequência de dias com céu claro. No entanto, neste período, ainda podem ocorrer incursões de massas de ar frio intensas e que podem causar declínio acentuado da temperatura no centro-sul do país. Nas regiões Norte e Nordeste, há pouca variação de temperatura ao longo do ano.

 

]]>
<![CDATA[Polícia prende suspeitos de atirar no jornalista Alexandre Farias]]> Foram presos três dos cinco suspeitos de atirar no jornalista Alexandre Farias em Caruaru, Agreste de Pernambuco. De acordo com a Polícia Civil, as prisões ocorreram após um tiroteio na tarde desta segunda-feira (18) no sítio Maniçoba, na zona rural do município. Um quarto suposto criminoso foi morto a tiros durante o confronto, conforme informou a polícia.

Ainda segundo a Polícia Civil, o quinto suspeito fugiu e, até a publicação desta matéria, não foi localizado. A troca de tiros entre policiais e os criminosos durou cerca de 15 minutos. Os suspeitos foram presos após a polícia receber uma denúncia.

Equipes da Polícia Civil e Militar se dirigiram até uma casa da zona rural e foram atendidos por uma mulher, que informou que não havia mais ninguém no local. Após ouvirem barulhos, os policiais entraram na residência e trocaram tiros com os supostos criminosos.

Os suspeitos devem ser encaminhados à Delegacia de Polícia Civil de Caruaru.

Estado de saúde

O estado de saúde de Alexandre é grave, mas estável, de acordo com os médicos. A equipe médica realizou procedimentos cirúrgicos na madrugada do domingo (17) e convocou uma coletiva de imprensa na manhã desta segunda (18). No segundo dia de internação, ele segue na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), sedado e em coma induzido.

De acordo com o médico Guilherme Delduque, o quadro clínico de Alexandre continua grave, mas se mantém estável. "Ele encontra-se hemodinamicamente estável. Continua sedado em ventilação mecânica e respirando com ajuda de aparelhos. As funções renais, cardíacas e hepáticas estão funcionando de forma adequada", afirma.

O neurocirurgião Carlos Kleir informou que a parte neurológica do ator e jornalista também está estável. "Em relação a parte neurológica, ele persiste estável. Acabamos de realizar uma nova tomografia. A cirurgia deu uma descompressão agradável, a hidrocefalia está tratada e existe redução no edema também. Mas, ainda é cedo avaliar um progresso. É esperar. As melhores respostas só daqui no mínimo 48 horas", pontuou.

Entenda o caso

O apresentador do ABTV 2ª edição, da TV Asa Branca, foi vítima de uma bala perdida na noite do sábado (16) no bairro Alto do Moura, em Caruaru. O ator e jornalista tinha apresentado o telejornal e, quando saiu, foi jantar em um supermercado da cidade. Ele ia para a casa dele quando foi atingido por um disparo na cabeça. De acordo com informações da Polícia Militar, assaltantes estavam em um carro roubado quando houve perseguição e troca de tiros.

Na fuga, os bandidos ainda atropelaram os socorristas do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que estavam em uma ocorrência no local. Uma das auxiliares de enfermagem foi atingida.

Alexandre Farias foi socorrido em estado grave para o Hospital Regional do Agreste (HRA) e em seguida transferido para hospital Unimed, também em Caruaru.

]]>
<![CDATA[Assaltante esfaqueia bebê de três meses por causa de celular em São Paulo]]>

Por causa de um celular, mãe e filha foram feridas por um criminoso durante um assalto em Bauru (SP). A vítima em nenhum momento reagiu e entregou o dinheiro rapidamente, mas nem isso foi suficiente para evitar o ataque uma rua tranquila de um bairro residencial e em plena luz do dia. O crime aconteceu durante o dia no último sábado (16).

Mãe e filha estavam na calçada e seguiam para um supermercado que fica no bairro, quando dois homens em uma moto passaram por elas. O garupa desceu e encurralou as duas. Armado com faca, o criminoso exigiu dinheiro e o celular da vítima, no entanto, a mulher não estava com o aparelho.

A dona de casa Débora Ricci entregou R$ 50 que gastaria nas compras, mas não foi o suficiente pra se ver livre do criminoso.

"Eu entreguei o dinheiro para ele e disse que não tinha mais nada, mas ele insistiu, não sei se ele achava que eu tinha escondido o celular entre a bebê e eu, ele ficou dizendo que eu não tinha só isso e pediu o celular."

Débora contou que na hora não tinha ninguém na rua e, mesmo entregando o dinheiro, o criminoso feriu ela e a filha com a faca. Desesperada e sem reação, ela voltou pra casa que fica cerca de 30 metros do local da abordagem e ligou pra os parentes que levaram as duas até o pronto-atendimento.

A dona de casa teve que receber quatro pontos para fechar o ferimento em um dos braços, já a bebê, levou três pontos também em um dos bracinhos. O ataque, durante o dia, apavorou a família que agora tem receio de sair de casa. "Em pleno sábado de manhã fazem isso, imagina quem precisa sair à noite, para trabalhar. Está complicado."

Até a manhã desta segunda-feira (18) nenhum suspeito havia sido preso. Mãe e filha vão passar pelo exame de corpo de delito ainda nesta tarde.

Outro caso

E um jovem de 22 anos foi assaltado e amarrado no Jardim Beija-Flor na madrugada de sábado (16) também por causa do celular.

De acordo com o boletim de ocorrência, ele estava voltando para casa por volta das 4 horas, quando um homem apareceu, o arrastou pro meio do mato, bateu nele, o amarrou e roubou o celular.

Depois da ação, a vítima conseguiu se desamarrar, foi para casa, pediu ajuda da família e somente depois registrou boletim de ocorrência na Central de Polícia Judiciária. O caso é investigado.

]]>