Tecnologia

6 de junho de 2018 14:46

Youtubers pernambucanos serão julgados por tentarem fazer pegadinha em presídio

Quatro jovens tentaram entrar em presídio perto de Recife (PE) com fantasias da série La Casa de Papel

↑ (Foto: Reprodução)

Um juiz aceitou uma denúncia feita pelo Ministério Público do Pernambuco contra três dos quatro youtubers que tentaram entrar no Centro de Observação e Triagem em Abreu e Lima (Cotel), na região metropolitana de Recife (PE). Eles queriam fazer uma pegadinha em homenagem à série La Casa de Papel, da Netflix.

Em abril, três foram detidos pela polícia por, entre outras acusações, invasão de domicílio qualificado. Gerson Albuquerque (22 anos), de 2,4 milhões de inscritos, Matheus Kleber (20 anos) e Wesley Meirelles (33 anos) foram soltos alguns dias depois por pagar fiança de R$ 5 mil cada. Matuto Motovlog (17 anos) acompanhava o grupo mas foi liberado por ser menor de idade.

Mais recentemente, o Ministério Público do Pernambuco (MP-PE) denunciou os três jovens por “provocar alarme ou ato capaz de produzir pânico ou tumulto, desacatar funcionários públicos no exercício da função, atentar a segurança de serviço de utilidade pública e corrupção de menor de 18 anos”, segundo o Diário de Pernambuco.

Na terça-feira (5), o juiz da Vara Criminal de Abreu e Lima Luiz Carlos Vieira de Figueiredo aceitou a denúncia, e os três têm o prazo de dez dias para apresentarem sua defesa. Depois, a Vara Criminal deve marcar data da audiência de instrução e julgamento; nela, eles serão ouvidos novamente com testemunhas de defesa e acusação.

Em sua decisão, o juiz ainda proíbe que os jovens entrem ou fiquem a menos de 200 metros de qualquer unidade prisional do estado de Pernambuco, salvo por determinação judicial. A denúncia foi aceita porque “há indícios de que houve o crime”, segundo o magistrado, como informa o Diário de Pernambuco.

Num vídeo intitulado “Fui preso | O que a mídia não mostra”, o youtuber Gerson Albuquerque afirma que foi humilhado. Segundo ele, a intenção era fazer uma pegadinha na frente do presídio, inicialmente sem as máscaras. Então, ele foi abordado por “cinco a dez agentes” que pediram para o grupo se deitar e, segundo ele, foram os próprios agentes que pediram para eles usarem as máscaras.

Fonte: Tecnoblog / Texto: Jean Prado

Comentários

MAIS NO TH