Saúde

10 de Abril de 2018 11:32

Conheça a virose causada por insetos

Especialista recomenda cuidados simples com a higiene para evitar enfermidades na troca de estação

↑ Ilustração

Com o começo do outono algumas doenças se tornam mais frequentes por conta das chuvas e da mudança de temperatura causando a proliferação de muitos insetos, principalmente moscas e mosquitos. Segundo o médico Maurício Paes Landim, diretor clínico de um dos hospitais do Hapvida Saúde, as infecções causadas por moscas e insetos aumentam cerca de 40% neste período do ano. Por isso, o especialista faz um alerta em relação aos fatores que causam essas infecções.

“As moscas são vetores de uma série de doenças, como verminoses e viroses, que podem causar infecções intestinais e de vias aéreas superiores. Em tempos de chuva, há uma multiplicação desses transmissores e é preciso aumentar os cuidados, como cobrir os alimentos quando eles forem à mesa e no momento do preparo sempre lavar as mãos. A precaução depende de cada um, além de ser fácil e simples de ser executada para que as viroses intestinais – tão comuns nas crianças – não aumentem sua prevalência”, afirma Landim.

Quando a mosca pousa no alimento, transmite diversas bactérias, fungos e vírus, aumentando ainda mais os casos da doença. Os sintomas podem ser febre, dor no corpo, desconforto abdominal, diarreia, coriza, moleza e ardência nos olhos. Em casos de infecções virais, os indícios são mais leves e costumam desaparecer em cinco dias. Já as infecções causadas por bactérias são mais severas, a febre e a diarreia costumam ser mais intensas.

Além dos cuidados com a higiene, o especialista destaca ainda a necessidade de algumas medidas para combater a infecção. “O tratamento é basicamente sintomático: hidratação, alimentação mais balanceada, repouso, alguns medicamentos para diminuir os sintomas, e, em algumas situações, pode ser necessário o uso de antibióticos e internação do paciente para observação e administração endovenosa de medicamentos. Mas, vale ressaltar que na maioria dos casos, não existe a necessidade de intervenção médica. Porém, nos quadros graves é necessário procurar um centro de saúde para o paciente ser atendido por um profissional”, completa.

Fonte: Assessoria

Comentários

MAIS NO TH