Política

13 de junho de 2018 08:08

TSE: mais de sete mil eleitores têm pendências com biometria em Alagoas

Problemas com cadastro biométrico tendem a impedir participação nas eleições; TRE garante que todos poderão comparecer às urnas

↑ Regularização do título de eleitor ocorreu até 9 de maio, segundo cronograma da Justiça Eleitoral (Foto: Sandro Lima/arquivo)

Mais de sete mil eleitores – 7.014 para ter exatidão – podem ficar sem votar nas eleições deste ano por não terem feito o cadastro biométrico. Os dados foram levantados pela reportagem da Tribuna Independente no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), tendo abril como mês/referência. O prazo para a realização da biometria encerrou em 9 de maio.

O total de eleitores no estado, segundo a Justiça Eleitoral, é de 2.169.729 e o percentual. De quem não realizou a biometria é 0,32%.

Segundo a assessoria de comunicação do Tribunal Regional Eleitoral de Alagoas (TRE-AL), mesmo sem a realização do cadastro biométrico o eleitor poderá votar em outubro. “Basta apresentar qualquer documento oficial com foto”.

“O número exato de quem não realizou nenhuma etapa da biometria – coleta da impressão digital, da assinatura digitalizada e da foto – é de 207 pessoas. Os demais são por falta de algum desses itens ou algum ajuste que seja necessário. Por exemplo, uma correção de endereço ou duplicidade. Só deixa de votar quem teve seu título de eleitor cancelado e não regularizou a situação até o prazo final da Justiça Eleitoral, que foi 9 de maio”, explica a assessoria de comunicação do Tribunal Regional Eleitoral.

Entretanto, a reportagem consultou Luciano Guimarães e Marcelo Brabo – advogados eleitorais – e ambos afirmam que sem o cadastro biométrico o eleitor não poderá votar.

“Sem estar no cadastro biométrico não vota”, crava Luciano Guimarães, que já foi desembargador eleitoral em Alagoas. “Se a justiça convocou e o eleitor não compareceu, cancela-se o título”, diz Marcelo Brabo.

A biometria eleitoral começou a ser realizada em Alagoas no ano de 2012, quando o estado possuía 1.863.029 eleitores e, segundo o TSE, no mês de outubro daquele ano, nenhum deles havia realizado o cadastro biométrico.

De lá para cá, o número de eleitores sem o cadastro cai a cada pleito. Em 2014, o número de eleitores sem biometria caiu para 9.697. Uma queda de 99,48%.

Menor apenas que o Amapá e o Distrito Federal.

Em 2016, de acordo com o TSE, havia no estado 2.107.440 eleitores. Desses, 7.987 eleitores sem a conclusão do cadastro biométrico, o que equivale a 0,38% do total.

BRASIL

No Brasil, segundo levantamento da revista Carta Capital, 5,6 milhões de eleitores devem deixar de votar em outubro por falta de cadastro biométrico. Esse número equivale a 4% do total de eleitores do país.

As regiões Nordeste e Centro-Oeste possuem os maiores índices de pessoas nessa condição, com 6% do total de eleitores.

Para efeito de comparação, o total de eleitores brasileiros que devem deixar de votar este ano é maior que a diferença entre Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB) no segundo turno da eleição presidencial de 2014: 3,4 milhões de votos; mas é bem menor que a abstenção do primeiro turno daquele pleito: 19%.

Fonte: Tribuna Independente / Carlos Amaral

Comentários

MAIS NO TH