Política

17 de Abril de 2018 07:50

Bancadas na Assembleia têm nova configuração

Após a janela partidária, deputados estaduais buscam partidos que lhe garantem maior conforto na disputa eleitoral

↑ Deputada estadual Thaise Guedes deixou o MDB, enquanto Gilvan Barros Filho saiu do PSDB e Marcelo Victor não está mais no PSD (Fotos: Ascom/ALE)

Com as mudanças durante a janela partidária, prazo permitido pela Justiça Eleitoral para a mudança de partido sem infringir a lei de infidelidade, as bancadas dos partidos na Assembleia Legislativa do Estado (ALE) têm nova configuração. Com a nova organização, os 27 parlamentares em exercício se dividem em 14 partidos.

Apesar de perder três deputados, o Movimento Democrático Brasileiro (MDB) permanece com a maior bancada na Casa de Tavares Bastos, com oito parlamentares. Deixaram o partido: Davi Davino Filho, que se filiou ao Progressistas (PP), deixando assim a base aliada e indo para a oposição. Thaise Guedes que embarcou no PTB de Antonio Albuquerque, mas permanece no grupo do governador Renan Filho. Além de Jairzinho Lira, que retorna para o PRTB. Ele pretende se candidatar a deputado federal.

Em seguida aparece justamente o Progressista, que além   de Davi Davino Filho, recebeu Léo Loureiro, que estava no PPL. Com a chegada dos dois, a bancada do partido do senador Benedito de Lira fica com quatro parlamentares, pois já contava com Tarcizo Freire e Chico Holanda. A legenda compõe a base oposicionista, ao menos no papel.

Outro partido que representa a oposição ao governo de Renan Filho na ALE é o PSDB, que acabou perdendo um deputado. Gilvan Barros Filho trocou o ninho tucano pelo PSD, indo de vez para a base governista. Os tucanos ficaram apenas com Rodrigo Cunha e Edval Gaia Filho.

O PSD que filiou Gilvan Barros Filho e que tinha na Casa de Tavares Bastos dois deputados, Dudu Hollanda e Marcelo Victor, acabou vendo o primeiro-secretário da Mesa Diretora deixando o partido e se filiando ao Solidariedade (SD), legenda esta que não tinha representante na Assembleia Legislativa.

Outros partidos que não tinham representantes eleitos em 2014 para a Casa Legislativa e terão pelo menos um deputado são: Avante com Carimbão Júnior, que deixou o PHS; PPS com Marcos Barbosa, que deixa o PRB e retorna para seu antigo partido; PR com Sérgio Toledo, este saiu do PSC;

O PDT também terá um parlamentar. Inácio Loiola deixou o PSB e se filiou ao partido do deputado federal Ronaldo Lessa. Pelo PDT havia sido eleito em 2014, Isnaldo Bulhões, que logo depois migrou para o MDB.  O PRB que ficaria sem representante devido a saída de Marcos Barbosa, filiou Severino Pessoa, que deixou o PSC.

O PSC que tinha na ALE Severino Pessoa e Sérgio Toledo, acabou ficando sem representante no parlamento.

Permaneceram em seus partidos os deputados Francisco Tenório, do PMN e Bruno Toledo, do PROS.

 

Fonte: Tribuna Independente / Carlos Victor Costa

Comentários

MAIS NO TH