Política

24 de Março de 2018 10:05

Presidente do TRE participa de seminário

Jorgraf realiza no dia 17 de abril, com o apoio da Unit, o seminário “Fake news – uma ameaça real nas redes sociais”

↑ José Carlos Malta Marques já se reuniu com a Jorgraf para dar apoio ao evento que acontece na Unit (Foto: Sandro Lima)

Fake news. Essa é a expressão do momento para quem lida com comunicação e se tornou preocupação da Justiça Eleitoral. Na tradução do inglês, ela significa “Notícias falsas”, algo bem comum neste momento de boom das redes sociais.

Para discutir esse tema, a Cooperativa de Jornalistas e Gráficos de Alagoas (Jorgraf) realiza no próximo dia 17 de abril, com o apoio do Centro Universitário Tiradentes (Unit), o seminário “Fake news – uma ameaça real nas redes sociais”.

Além dos palestrantes, o advogado Messias de Souza, especializado na área eleitoral, e Celso Schröder, Professor da PUC-RS e ex-presidente da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), o evento contará com a presença de desembargadores do Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Pela Unit, comporá a mesa o professor dos cursos de Jornalismo e Publicidade. Josbeth Correia Macário, conhecido como Beto.

Em visita à Corte no último dia 12, representantes da Jorgraf formalizaram o convite ao presidente do TRE, desembargador José Malta Marques, que, de pronto, anunciou a convocação dos colegas responsáveis pela propaganda eleitoral no pleito deste ano.

O seminário é aberto ao público e sua inscrição pode ser feita pelo link: http://hs.unit.br/seminário-fake-news. É necessário levar dois quilos de alimento não-perecível. O arrecadado será doado a instituições de caridade.  O evento terá transmissão ao vivo através pela TV web e pelas redes sociais do portal Tribuna Hoje.

CONCEITO

Fake news podem se originar em veículos de comunicação e nas redes sociais. Elas são escritas e publicadas com a intenção de enganar para obter ganhos financeiros ou políticos. Muitas vezes elas contêm manchetes sensacionalistas, exageradas ou evidentemente falsas para chamar a atenção. Esse tipo de conteúdo é diferente da sátira ou paródia, e de opinião. É nesta última que está uma das linhas tênues sobre o tema. Contudo, há quem considere essa expressão apenas uma forma de garantir aos veículos de imprensa tradicionais o monopólio da informação.

Fonte: Tribuna Independente / Carlos Amaral

Comentários

MAIS NO TH