Política

27 de novembro de 2017 11:54

Sindicatos pedem apoio à bancada federal contra reformas

Categorias pressionam deputados pela aprovação de PEC e desmontes do Governo Temer

↑ Deputados se reuniram nesta segunda-feira com sindicalistas. (Foto: Sandro Lima)

O Sindicato dos Trabalhadores da Universidade Federal de Alagoas (Sintufal) e o Sindicato dos Agentes de Saúde de Alagoas (Sindacs/AL) realizaram na manhã desta segunda-feira uma reunião com os deputados da bancada federal de Alagoas, com o objetivo de pedir o apoio deles contra as Reformas Trabalhista e da Previdência.

Segundo Davi Fonseca, coordenador-geral do Sintufal, desde que a greve dos servidores iniciou no último dia 10, a categoria tem buscado fazer pressão sob a bancada de Alagoas porque a paralisação não é para discutir reajuste salarial, mas sim em defesa das politicas públicas da educação, saúde frente aos cortes nos orçamentos que estão tendo, e contra a reestruturação das carreiras dos servidores. “O governo prepara um pacote que vai destruir as carreiras do funcionalismo público, então a gente está buscando pressionar, na última quinta-feira estivemos no aeroporto, quando a maioria dos deputados desembarcou de Brasília, mas infelizmente apenas três deputados federais compareceram a reunião de hoje”, explicou.

A Reforma da Previdência está para ser votada no próximo dia 6, e de acordo com Fonseca, eles cobram um posicionamento dos deputados. O projeto de reestruturação das carreiras é outro que a qualquer momento pode ser encaminhado, e existem outras matérias ‘correndo’ no congresso como, o projeto que acaba com a instabilidade dos serviços públicos, e que preocupa muito neste momento.

A intenção é barrá-los para que não haja um retrocesso no campo das politicas públicas no país. “Atualmente a Universidade Federal de Alagoas (Ufal) passa por dificuldades financeiras, bem como o Hospital Universitário (HU), e a nossa greve tenta sensibilizar estes parlamentares a votarem em defesa dos serviços públicos. Tanto o deputado Ronaldo Lessa como o deputado Paulão se comprometeram a defender a pauta e unir forças junto ao restante da bancada”, ressaltou.

O presidente do Sindacs/AL, Fernando Cândido, destacou que é fundamental o posicionamento da bancada acerca também da PEC 22/2011, que trata do reajuste do piso salarial da categoria, instituído de forma nacional congelado há mais de três anos, e existe uma Proposta de Emenda Constitucional que propõe reajuste desse piso.

“Nós queremos uma resposta dele sobre o tema, como também a respeito da reformulação da política de Atenção Básica que é prejudicial à sociedade, mas representa um ataque frontal a nossa categoria”, frisou.

Outra colocação de Fernando Cândido diz respeito à Reforma da Previdência, que também dificultará o acesso da categoria a aposentaria especial, e daquelas pessoas que trabalham em condições insalubres, reforçando que é o caso dos agentes comunitários de saúde e de endemias.

Nelson Cordeiro, diretor administrativo do Sindacs, destacou que o salário dos agentes de saúde e endemias segue defasado desde 2014, e a PEC 22 reajusta para R$ 1.600. Atualmente é de R$ 1.014,00. “Precisamos do apoio da bancada alagoana na aprovação desta PEC”, concluiu.

 

Comentários

MAIS NO TH