Política

14 de novembro de 2017 08:03 / Por: Tribuna Hoje

‘Próximo presidente não terá vida fácil’, diz Paulão

Parlamentar falou sobre as medidas impopulares de Temer

↑ Deputado federal Paulão acredita que retorno do PT ao governo Renan Filho está próximo (Foto: Sandro Lima)

O TH Entrevista, programa do portal Tribuna Hoje, recebeu nesta segunda-feira (12), o deputado federal Paulão (PT), e tratou sobre a conjuntura política atual, além de um possível retorno do partido à base do governo Renan Filho (PMDB).

De acordo com Paulão, o próximo presidente do Brasil vai pegar um processo de organização estatal bastante complexo.

“Altos índices de desemprego e políticas públicas arrasadas. Então, quem vai assumir terá essa responsabilidade. Ao mesmo tempo, vai ser uma luta de polarização. Você está percebendo que na conjuntura, mesmo o Lula sendo praticamente capa de revista com notícias negativas, a população compreendeu e ele a cada pesquisa cresce, tanto que você tem a polarização de Jair Bolsonaro. As candidaturas de centro que poderiam ter equilíbrio, não cresceram, a exemplo de Marina Silva, Geraldo Alckmin e do Ciro Gomes. Aí neste momento está assim, quem pensa no social está com Lula, e quem está com uma visão mais conservadora apoia Bolsonaro”, avalia Paulão.

Questionado se acreditava na candidatura de Lula, o parlamentar disse que sim, no entanto o líder petista não terá vida fácil.

“Para você fechar o ciclo do golpe, só tem sentido você fechar se o Lula ficar inelegível. Então, eles vão fazer de todas as maneiras, inclusive a postura do presidente do TRF4, o desembargador Carlos Eduardo Thompson Flores Lenz é de uma posição totalmente de lado definido, dizendo que a ação do Lula que foi julgada por um juiz singular deverá ser julgada por um colegiado para ele ficar com a ficha suja”.

“Outros partidos a exemplo de PSOL, PSTU, se não estabelecer candidaturas nos estados na próxima eleição, eles estão com risco de ser extintos. Porque na cláusula você tem que ter o mínimo de votação. No entanto, tendo segundo turno, não tenho dúvidas de que o PCdoB estará com a gente. Mas, se puder ter uma ação única de frente melhor ainda, se a gente puder juntar Ciro, Manuela, o pessoal do PSOL todos em torno da candidatura de Lula seria o ideal”, analisa o petista.

Para o parlamentar, o que o presidente da República vem fazendo com as estatais é um verdadeiro crime lesa-pátria. “Tive a oportunidade de ter como primeiro chefe Antônio Mariz, que hoje é um dos grandes consultores do setor elétrico. Ele faz um estudo muito importante dizendo que se o governo fosse vender corretamente o setor elétrico seria na ordem de US$ 400 bilhões. O Temer está vendendo por US$ 20 bilhões e o que vai ocorrer na pratica é o reajuste das tarifas, que já começou na verdade”.

GOVERNO RENAN FILHO

O Partido dos Trabalhadores está prestes a retornar para a base do governo de Renan Filho em Alagoas. Paulão também falou sobre o assunto. De acordo com o deputado, o PT participou do projeto do governo e a saída foi devido à questão nacional, quando o senador Renan Calheiros (PMDB) votou pelo processo de impedimento da então presidente Dilma Rousseff.

“Chegamos num momento que não tinha como ficar, mas foi uma saída sem trauma. O governador inclusive lamentou. Mas, o que aconteceu nesse processo, o próprio senador Renan faz oposição ao Temer. Está batendo no governo muito mais que segmentos da esquerda. Então a flexão de mudança foi dele e não nossa. Ao mesmo tempo, quando Lula chegou aqui [em Alagoas], ele foi um anfitrião junto ao Renan Filho. O presidente do PT em Alagoas, Ricardo Barbosa que está sendo o condutor do processo do retorno”, destacou Paulão.

O deputado do PT finalizou informando que a esquerda, sozinha, não tem condições de vencer uma eleição.

 

Assista à entrevista na íntegra:

Fonte: Tribuna Independente / Carlos Victor Costa