Polícia

12 de Maio de 2018 12:39

Sindpol e Promotor de Justiça acionará Delegacia Geral sobre caso Roberta Dias

O presidente do Sindicato dos Policiais Civis de Alagoas (Sindpol), Ricardo Nazário, se reuniu com o promotor de Justiça Magno Alexandre do Controle Externo da Atividade Policial do Ministério Público para solicitar a substituição da Comissão que investiga o Caso

↑ Promotor deve cobrar rigor nas investigações (Foto: Assessoria)
O presidente do Sindicato dos Policiais Civis de Alagoas (Sindpol), Ricardo Nazário, se reuniu com o promotor de Justiça Magno Alexandre do Controle Externo da Atividade Policial do Ministério Público para solicitar a substituição da Comissão que investiga o Caso Roberta Dias. Tendo em vista as falhas e a demora para a conclusão do inquérito, o promotor disse que vai apurar se houve crime de improbidade administrativa por parte dos delegados.
 
Na reunião, ocorrida na sexta-feira (11), na Promotoria de Justiça da Capital, o presidente do Sindpol, Ricardo Nazário, relatou o Caso Roberta Dias, informando que três policiais civis foram sofreram prisão, baseada em um depoimento de um delator doente psíquico, atestado por perícia médica. “Para comprovar a situação, basta ver os autos da decisão do juiz da Vara Criminal de Penedo, que negou a prisão preventiva dos policiais”.
 
Ricardo Nazário informou que o áudio telefônico de K.B.P.T, o qual confessa o crime, já se encontrava com o presidente da Comissão de investigação desde 2015, sendo periciado pela Polícia Federal em 2016. O sindicalista destacou que faz seis anos que o inquérito está aberto, prejudicando a honra, a imagem e a moral dos policiais civis. 
 
O promotor de Justiça Magno Alexandre salientou a importância do princípio da Legalidade, quanto ao cumprimento dos prazos, e enfatizou também os direitos fundamentais dos policiais civis, que foram infringidos, ressaltando que a conclusão do inquérito é de interesse público. 
 
Procedimentos
O promotor de Justiça disse que vai encaminhar ofício ao Delegado Geral, cobrando o resultado da investigação e também irá acionar a Corregedoria de Polícia. Informou que, de acordo com o andamento do inquérito, poderá ter ocorrido improbidade administrativa, revelando que órgão fiscalizar irá investigar. 
 
O presidente do Sindpol, Ricardo Nazário, avaliou a reunião como uma das ações importantes para a defesa dos policiais civis. “Solicitamos o empenho do Ministério Público para que demande a explicação do Delegado Geral sobre o caso e que atenda a solicitação do Sindpol referente à mudança dos componentes da Comissão, devido às dúvidas e às falhas no inquérito do Caso Roberta Dias”, disse.
 
Do Sindpol, além do presidente, também participaram da reunião o 1º secretário, Bartolomeu Dias, e o vice-diretor Jurídico, André Durval Sarmento Rosa.

Fonte: Ascom Sindpol

Comentários

MAIS NO TH