Polícia

7 de dezembro de 2017 12:17

Operação integrada desarticula organização criminosa que abastecia o tráfico de drogas na capital

Seis pessoas foram presas e armas e drogas foram apreendidas na ação

↑ Assessoria

Uma operação integrada deflagrada, nesta quinta-feira (07), prendeu suspeitos de integrarem uma Organização Criminosa (Orcrim) ligada ao tráfico de drogas, roubos e homicídios praticados na Grota do Aterro, em Maceió. O grupo também é suspeito de distribuir drogas em toda a cidade.

A Secretaria de Segurança Pública, em conjunto com equipes da Delegacia de Repressão ao Narcotráfico (DRN), Radiopatrulha, Batalhão de Operações Especiais (Bope), 4º Batalhão da Polícia Militar, Grupamento Aéreo, o serviço de Inteligência do Comando de Policiamento da Capital (CPC) e agentes da Asfixia cumpriram 14 mandados de prisão e quatro de busca e apreensão em Maceió.

Os mandados foram expedidos pela 17ª Vara Criminal da Capital e as investigações duraram cerca de quatro meses. Seis pessoas foram presas, dentre elas um dos líderes da Orcrim, identificado como Rafael Henrique da Silva, conhecido como “IEL”, “Careca” ou “Embaré”.

Também foram presos Alex de Araújo Soares, o “Massara” ou “Tejo”, que estava de posse de 200 gramas de maconha em bombinhas, uma pistola calibre 380 e 18 munições; além de José Erivaldo Temoteo da Silva, o “Tarta” ou “Tatu”; Mateus Lucena da Silva; Tiago dos Santos Martins, conhecido como “Guinho” e Rodrigo Weslley da Silva Santos, o “Pé”.

O delegado Gustavo Henrique, titular da DRN, explicou que no último domingo (03) a polícia apreendeu 12 kg de maconha e 1,6kg de crack pertencente ao grupo alvo da operação de hoje. O material estava escondido na Grota Novo Mundo. A apreensão teve que ser antecipada para que não houvesse a distribuição do material na cidade.

Os suspeitos serão encaminhados ao Sistema Prisional alagoano, onde ficarão à disposição da Justiça e responderão por tráfico de drogas, associação para o tráfico e organização criminosa.

Assessoria