Mundo

11 de Maio de 2018 19:02

Sete pessoas da mesma família são encontradas mortas na Austrália

De acordo com a imprensa australiana, a família se mudou em 2015 para a região de Osmington, uma aldeia habitada por menos de 700 pessoas, para cultivar frutas

↑ Imagem ilustrativa
Uma família de sete pessoas foi encontrada morta com ferimentos de bala nesta sexta-feira (11), em uma propriedade rural no sudeste da Austrália. Quatro dos mortos eram crianças e estavam com a mãe e os avós. Este pode ser o pior ataque a tiros do país nos últimos 22 anos, segundo as autoridades locais.
De acordo com a imprensa australiana, a família se mudou em 2015 para a região de Osmington, uma aldeia habitada por menos de 700 pessoas, para cultivar frutas. A polícia não fez comentários sobre as possibilidades de assassinato ou suicídio, mas informou que não está procurando por um suspeito.
Os policiais foram alertados por telefone durante a madrugada e encontraram os corpos das sete pessoas e duas armas na propriedade. A identidade de quem fez a ligação não foi divulgada. Dois dos três adultos foram encontrados do lado de fora de uma casa e, os outros, do lado de dentro. Todos moravam no local. De acordo com as autoridades, não há preocupação sobre a segurança pública, já que o responsável pelo crime não estaria foragido.
“A polícia atualmente está respondendo ao que eu só posso descrever como um incidente horrível”, afirmou o comissário da polícia estadual, Chris Dawson. Ele revelou que a polícia tenta entrar em contato com os parentes das vítimas, cujos nomes e idades não foram revelados.
Segundo o analista em políticas de armamentos Philip Alpers, da Universidade de Sydney, a tragédia parece ser o pior ataque a tiros em massa na Austrália desde 1996, quando um atirador matou 35 pessoas no Estado da Tasmânia. Depois disso, o país criou um controle rígido sobre armas.
Restrições
As leis sobre armamento na Austrália são aclamadas como um sucesso pelo mundo. O último tiroteio em massa no país foi em 2014, quando um agricultor matou a esposa e os três filhos, antes de se suicidar. Agricultores são autorizados a possuir armas pela lei australiana porque têm a necessidade de utilizá-las para lidar com pragas, predadores e gado doente ou ferido.
De acordo com Samantha Lee, presidente do grupo de lobby Controle de Armas na Austrália, áreas rurais são os locais onde mais acontecem mortes com armas de fogo no país, incluindo suicídios. “As áreas rurais e mais regionais são particularmente vulneráveis a esse tipo de tragédia, devido à combinação de isolamento, dificuldades mentais ou financeiras e fácil acesso a armas de fogo”, disse. “Embora os detalhes desta tragédia ainda precisem ser determinados, a Austrália tem uma história trágica com a grande taxa de mortes por armas das áreas rurais.” Fonte: Associated Press

Fonte: Diário de Pernambuco

Comentários

MAIS NO TH