Entretenimento

17 de Abril de 2018 10:08

‘O Outro Lado do Paraíso’: Sophia, diagnosticada psicopata, termina em hospício

A vilã da novela experimenta o mesmo veneno que deu a Clara (Bianca Bin) e recebe doses de choques na internação no sanatório.

↑ Foto: Reprodução

Clara (Bianca Bin) vai conseguir se vingar de Sophia (Marieta Severo) no último capítulo da novela “O Outro Lado do Paraíso”. A serial killer é diagnosticada como psicopata e ao ser internada em um hospício recebe doses de eletrochoques. A condenação da vilã acontece quando Mariano (Juliano Cazarré) surge no seu julgamento e a faz confessar seus crimes. Quem também não tem um final feliz é Renato (Rafael Cardoso), assassinado por Patrick (Thiago Fragoso) após sequestrar Tomaz (Vitor Figueiredo). Quem adianta é o colunista Daniel Castro e as cenas vão ao ar no capítulo do dia 11 de maio.

‘A VÍTIMA FUI EU’, AFIRMA SOPHIA EM JULGAMENTO

Ao ser julgada e após sofrer um AVC, ficando aos cuidados da filha Estela(Juliana Caldas), a assassina de Vanessa (Fernanda Nizatto) e Laerte (Raphael Vianna) quase escapa da condenação. Porém é surpreendida pela presença de Mãe do Quilombo (Zezé Motta), que chega ao lado do ex-amante da vilã. Graças a Patrick, ambos são incluídos como testemunhas de acusação. Sophia, então, confessa sua culpa. “Por culpa de um encontro com essa velha (Caetana, vivida por Laura Cardoso), o Laerte me chantageou. Meu mundo ia ruir. Eu perdi a cabeça. E todos, todos, continuaram a me chantagear, a me colocar contra a parede. Eu tive que me defender. A vítima fui eu”, dispara. “Vítima até mesmo do Mariano, a quem eu nunca, nunca quis matar. O Mariano me pertencia. Eu não podia permitir que fosse de outra mulher. Eu só me defendi das chantagens. Eu só me defendi por amor”, acrescenta a serial killer, que em um dos desfechos da trama acaba matando o filho, Gael (Sergio Guizé).

SAMUEL FAZ AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA DE SOPHIA

Depois de decisão do júri popular, Raquel (Erika Januza) revela a decisão unânime de condenar a serial killer, que terá ordenado a morte de Caetana e Xodó (Anderson Tomazini). “Agora Patrick. A Sophia tem que ter o que merece”, afirma a mocinha, que sobe ao altar com o advogado no fim da trama. “Excelência, tenho uma moção”, pede o magistrado. A mulher de Bruno (Caio Paduan) indica que a vilã precisa ser detida e um dia depois retorne para receber sua sentença. Quando já estiver na delegacia, recebe a avaliação de uma equipe médica. “A ré não demonstra nenhum remorso, nenhum sentimento pelos crimes que cometeu, pelas vidas que ceifou. Temos aqui um laudo onde se atesta que ela sofre de grave psicose mental, para a qual não há cura conhecida. A ré é psicopata”, relata Samuel (Eriberto Leão). “Diante da avaliação psiquiátrica, este tribunal não pode conferir pena de prisão à ré. Sophia Montserrat deve ser transferida a um manicômio judiciário. E só sairá quando tiver alta médica, dada por uma junta de psiquiatras”, determina a juíza. “Mas isso equivale a uma prisão perpétua”, retruca o advogado da assassina sem sucesso.

‘EU NÃO SOU LOUCA!’, PROTESTA

A neta de Josafá (Lima Duarte) não esconde sua felicidade diante da punição à rival. “Sophia. Vai passar por tudo que eu já passei. Você foi minha última vingança. Eu venci”, festeja com direito a grande risada. Já a vilã é levada para o mesmo sanatório no qual ficou Clara. “Eu não sou louca. Tudo foi uma armação da Clara”, esbraveja ao estapear uma médica. “Não sou louca. Ouviu? Médica asquerosa”, acrescenta, aos gritos, fora de si, sendo amarrada a uma máquina de dar choques. Apenas Estela (Juliana Caldas) e seu marido, Amaro (Pedro Carvalho) vão visitar a víbora. “Só vocês vêm me visitar. Estela, entre meus filhos, você é quem eu mais amo”, afirma.

Fonte: Purepeople / Guilherme Guidorizzi

Comentários

MAIS NO TH