Economia

8 de junho de 2018 16:30

Inflação oficial acumulada até maio é a menor para o ano desde 1994

Nos primeiros cinco meses do ano, a inflação registrou variação de 1,33%. No período, a cebola foi o produto que mais sofreu os impactos da inflação, com variação de 95,71%

↑ Levantamento oficial foi divulgado nesta sexta-feira (8) (Foto: Bruno Domingos/Reuters)

A inflação oficial acumulada entre janeiro e maio deste ano é a menor do período desde a implementação do Plano Real, em 1994. O IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) foi divulgado na manhã desta sexta-feira (8) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Nos primeiros cinco meses do ano, a inflação registrou variação de 1,33%. No período, a cebola foi o produto que mais sofreu os impactos da inflação, com variação de 95,71% — isso quer dizer que o alimento praticamente dobrou de preço em relação a dezembro.

Outros itens que tiveram grandes aumentos foram os tubérculos, raízes e legumes (36,19%), tomate (34,77%) e pimentão (28,9%).

As tarifas de trens também registraram grande variação no período, com acréscimo de 11,13% no valor da tarifa. Os preços dos combustíveis tiveram alta de 5,73%.

Inflação de maio

Considerando somente o mês de maio, o índice oficial de preços no país avançou para 0,4% — havia marcado 0,22% em abril.

Os produtos e serviços do grupo de habitação, responsável pela maior aceleração no mês de maio, ficaram 0,83% mais caros. Fazem parte desse grupo itens como gás encanado, água e esgoto.
Em seguida, aparece o grupo de alimentação e bebidas, com variação de 0,32%.

Os maiores impactos individuais vieram do grupo dos Transportes (0,4%). A gasolina aumentou 3,34%, enquanto as passagens aéreas ficaram 14,71% mais baratas.

No acumulado de 12 meses, entre abril de 2017 e maior de 2018, a inflação acumula 2,86%,

Inflação por regiões

Brasília (DF) registrou a menor variação da inflação comparando maio com abril (0,15%). Em seguida, aparecem Belo Horizonte (MG), com 0,18% e São Paulo, com 0,19%.

As cidades que sofreram mais com a variação da inflação do mesmo período são Salvador (BA), com 1,11%, Campo Grande (MS), com 1,02%, e São Luís (MA), com 0,89%.

Fonte: R7

Comentários

MAIS NO TH