Economia

7 de dezembro de 2017 11:17

Pedidos por aposentadoria crescem 9,32% em Alagoas

Neste ano, segundo o instituto, foram registrados 44.215 requerimentos contra 40.446 em 2016

↑ Este ano o INSS recebeu 44.215 pedidos de aposentadoria contra 40.446 em 2016; reforma da Previdência pode ser responsável por aumento em Alagoas (Foto: Sandro Lima)

A reforma da Previdência está na mira do Governo Federal mais uma vez e voltou a ser debate nas últimas semanas. O texto estava para ser votado nesta quarta-feira (6), mas foi adiado e ainda não tem data definida. E diante de tantas incertezas, os trabalhadores alagoanos estão correndo às agências do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) para dar entrada na aposentadoria.

Em Alagoas, o número de pedidos de aposentadoria aumentou 9,32%. Este ano, segundo o instituto, foram registrados 44.215 requerimentos contra 40.446 em 2016. Dos pedidos realizados 2017, apenas 18.012 foram concedidos. No ano anterior, foram 17.678.

O agricultor Manoel Rafael da Silva está entre os que conseguiram se aposentar.

“Completei 60 anos em junho, mas desde ano passado que comecei preparar a documentação para me aposentar. Estou no grupo de aposentadoria especial. Como trabalhei desde 10 anos de idade como agricultor já estava com a idade e tempo para me aposentar”, explicou o agricultor.

Mesmo sem conhecer direito o texto da proposta e sem saber se poderia ser afetado, Silva, disse que correu contra o tempo para não ser afetado. “As pessoas estão falando muito nessa questão, então resolvi correr. Graças a Deus, deu tudo certo e eu estou aposentado. Trabalhei e contribui então esse é direito do trabalhador”, ressalta.

Já o técnico de enfermagem Manuel Messias, disse que já deu entrada umas três a quatro vezes no pedido por tempo de serviço, mas, todas as vezes foram negadas. “Todas as vezes que dei entrada foi negado. Segundo o que me informaram, têm documentos pendentes e as contas não batem. Estou correndo atrás para resolver isso o mais rápido possível. No momento, estou de benefício por invalidez, mas o prazo está acabando e vou agendar outra perícia”, contou o técnico de enfermagem.

ADVOGADA

Para a advogada especialista em direito previdenciário Elijanny Linny de Oliveira Farias, o aumento nos pedidos pode ser um reflexo da Reforma da Previdência proposta pelo Presidente da República Michel Temer.

“As mudanças por si só já são impactantes, mais tempo trabalhados e menos tempo recebendo aposentadoria. E as pessoas estão cientes. Por isso, estão indo as agências antes que a reforma seja votada”, explicou a advogada ressaltando que os trabalhadores devem procurar um especialista para lhes orientar.

Na tabela ao lado está à relação de pedidos e grupo de por aposentadoria no estado por categoria e a quantidade dos pedidos que ainda estão em análise.

Fonte: INSS

Não há consenso entre os parlamentares

 

Não há consenso entre os parlamentares que votarão a proposta no Congresso sobre a necessidade de mudanças nas regras de concessão de benefícios.

Segundo o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, aliados do governo admitiram no último dia 30 que a votação da proposta de reforma da Previdência, prevista para ontem, foi adiada porque a conta para votação não fechou.

Em entrevista para uma rede de TV, em São Paulo, Maia, que trabalha na articulação para conseguir mais votos para a reforma da Previdência, disse que a conta ainda não fechou. “São necessários, pelo menos, 308 votos dos deputados. Se conseguir, vamos votar este ano. Eu não posso dar data porque não tem voto. Eu só vou marcar a data se nós tivermos os votos. Faltam muito votos ainda”, afirmou Maia.

O vice-líder do governo, o deputado Beto Mansur (PRB-SP), disse que há muita chance da votação acontecer no dia 12 deste mês em primeiro turno e 13, no segundo turno.

PEC

A PEC foi apresentada pelo Presidente Michel Temer no dia 6 de dezembro de 2016, e está passando por discussões no Congresso Nacional antes de sua aprovação. No primeiro debate, ficaram definidas umas mudanças no texto. As previsões são incertas, mas tudo indica que teremos um resultado em breve.

Para a reforma, a explicação dada pelo Governo é o grande rombo nos cofres da Previdência Social, chegando a aproximadamente 149 bilhões de reais. Sendo assim, a reforma surtiria efeito positivo para os cofres públicos.

Por enquanto, nada muda nas aposentadorias. As alterações só poderão valer depois que a reforma for aprovada no Congresso. Os deputados e Senadores ainda poderão alterar diversas regras do pacote.

A boa notícia para quem está querendo se aposentar é que quem completar o tempo de contribuição exigido até a aprovação da reforma tem assegurado o direito de se aposentar com as regras atuais. Como é o caso do seu Manoel. Ele disse que se for contar todo o tempo que vem trabalhando já era para estar aposentado.

Outra notícia boa é que as aposentadorias que já estão sendo pagas não podem ser alteradas.

Fonte: Tribuna Independente / Lucas França