Cidades

11 de Fevereiro de 2018 18:55

Centro Pop de Arapiraca já contabiliza mais de 1.600 atendimentos

Espaço acaba de ganhar novas instalações e funciona na mesma rua da sede anterior

↑ Coordenadora do Centro Pop de Arapiraca, assistente social Telma Freire

Com quatro anos de atividades, o Centro Especializado para População de Rua, o Centro Pop de Arapiraca, já contabiliza mais de 1.600 atendimentos ao público.

O espaço acaba de ganhar novas instalações e funciona na mesma rua da sede anterior, mas em localização mais próxima do centro da cidade, na Rua Domingos Correia, 955.

De acordo com a assistente social e coordenadora do Centro Pop de Arapiraca, Telma Freire, homens em idade produtiva, na faixa etária entre 18 e 35 anos, representam 85% das pessoas que vivem em situação de rua na segunda maior cidade de Alagoas.

A maior parte é procedente de outras cidades da região e, também, de capitais como Aracaju, Salvador e Maceió.

Telma Freire revela que o Centro Pop de Arapiraca funciona com adoção de políticas públicas para resgatar os moradores de rua e devolvê-los a suas famílias e ao convívio social digno.

Ela explica que o trabalho de ação do Centro Pop é feito, inicialmente, com abordagem social aos moradores de rua, no período noturno, um momento em que, segundo a assistente social, é mais fácil localizar essas pessoas no pernoite em postos de combustíveis, praças e outros logradouros da cidade.

A coordenadora diz que o Centro Pop atua em parceria com outros órgãos de assistência social, como também Defensoria Pública, Ministério Público Estadual, Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e Serviço Nacional de Emprego (Sine).

“Considero o nosso trabalho uma grande missão. É um trabalho difícil e complicado, mas gratificante quando a gente consegue resgatar uma pessoa e devolvê-la para o convívio social”, comenta.

Ao chegar ao Centro Pop, o morador de rua é recepcionado por uma equipe que entrega kit de higiene pessoal. Após o primeiro dia, passa a ter direito aos outros serviços, a exemplo do banho, café da manhã, almoço, lanche da tarde, lavagem de roupas, atendimento psicossocial e direcionamento a órgãos responsáveis pela emissão de documentos. Todas as ações são realizadas após o consentimento do usuário da unidade.

Vivendo em situação de rua há mais de um ano, em Arapiraca, o jovem Erick Alves da Silva, 28 anos, conta que morava em São Paulo e deixou a capital paulista para fugir do vício das drogas e da dependência química.

“Trabalhei em muitas empresas, mas o vício atrapalhou muito e acabei perdendo as oportunidades. Foi então que decidi sair de lá e vir aqui para Arapiraca”, relata o jovem.

O jovem morador de rua diz que conheceu o pai biológico, mas devido a problemas no relacionamento foi convidado por um amigo para morar com a companheira em uma vila na periferia da cidade.

“Agradeço muito o apoio que estou recebendo aqui, no Centro Pop. Espero conseguir um emprego, juntar dinheiro e voltar para São Paulo, tentar mais uma vez ser feliz”, relata.

Arapiraca tem duas casas de acolhimento

Além do Centro Pop, localizado na Rua Professor Domingos Correia, no centro da cidade, Arapiraca também possui o Albergue Noturno Monsenhor José Neto, uma instituição particular mantida com ajuda de empresários locais e voluntários.

A casa de acolhimento de pedintes e moradores de rua, localizada no bairro Cacimbas, iniciou as atividades no ano de 2016.

No espaço são assistidos, diariamente, 50 homens em situação de rua. O albergue oferece banho, jantar, pernoite e café da manhã.

Fonte: Tribuna Hoje / Davi Salsa

Comentários

MAIS NO TH