Cidades

5 de dezembro de 2017 07:45

Sistema prisional suspende visitas por tempo indeterminado

Governo de Alagoas quebra acordo e agentes penitenciários fazem ‘operação padrão’.

↑ Sistema prisional (Foto: Reprodução)

O sistema penitenciário deve suspender uma série de serviços, inclusive as visitas, ainda nessa semana. É o que informa o SINDAPEN – AL(Sindicato dos agentes penitenciários de Alagoas), depois que o Plano de Cargos e Carreiras da categoria, amplamente discutido e previamente aprovado pela Secretaria de Estado de Gestão e Planejamento (Seplag), não foi encaminhado em tempo hábil para votação na Assembleia Legislativa. O prazo acordado entre o sindicato dos agentes penitenciários e o governo de Alagoas, assinado em ata pelo secretário de planejamento Fabrício Marques, era até dia 30 de novembro.

O PCCS dos agentes penitenciários é um sonho antigo da categoria, afirmou Kleyton Anderson, presidente do SINDAPEN AL: “O atual secretário de planejamento Fabrício nos garantiu que o processo do nosso PCCS e a incorporação do adicional de periculosidade estariam na Assembleia Legislativa até o dia 30 de novembro, para serem votados. Não foi cumprido. O secretário pediu mais tempo, e os agentes prolongaram a espera até o dia 04 de dezembro. Mais uma vez, o acordo assinado em ata não foi cumprido. Não é só a nossa categoria que foi desrespeitada; é a segurança da sociedade alagoana que foi novamente tratada com descaso”.

A operação padrão deve seguir por tempo indeterminado, e apenas os serviços essenciais serão mantidos dentro do sistema prisional: “Na verdade, os agentes trabalham sem condições de segurança, sem equipamento, sem treinamento e sem efetivo suficientes. Não haverá greve, mas só vamos manter os serviços essenciais, serviços que pudermos realizar dentro da segurança e da legalidade. Não somos super heróis, somos pais e mães de família. Merecemos respeito” disse Petrônio Ferreira, vice-presidente do SINDAPEN AL. O governo de Alagoas ainda não se posicionou sobre a quebra de acordo.

Fonte: Ascom/Sindapen

Comentários

MAIS NO TH