Cidades

31 de outubro de 2017 07:50

Alagoas registra cinco mortes violentas por dia, segundo levantamento

Dados apontam que crimes apresentam aumento de 3,3% no Estado; média nacional é de 3,8%

A cada 24 horas Alagoas registra cinco mortes violentas intencionais. Foram 1.877 no ano passado, segundo dados do Anuário Brasileiro da Segurança Pública divulgado ontem (30). São 69 mortes a mais que no ano de 2015, quando se registraram 1.808 mortes. Um aumento de 3,3% em relação à pesquisa anterior. A média nacional de crescimento foi de 3,8% ou 168 mortes por dia.

Em todo o país 61.619 pessoas foram mortas de maneira violenta e intencional, o que segundo o levantamento representa a destruição causada pela bomba atômica em Nagasaki, no ano de 1945, durante a Segunda Guerra Mundial. As estatísticas consideram homicídios dolosos, latrocínios e lesão corporal seguida de morte.

Na capital alagoana, os números apresentaram retração. De acordo com a pesquisa, houve queda de 13% no número de mortes violentas. Foram 448 em 2016 e 511 em 2015.

A taxa de mortes violentas a cada 100 mil habitantes em Alagoas foi a terceira maior do país (55,9), atrás apenas dos estados do Rio Grande do Norte (56,9) e Sergipe (64).  Essa taxa é obtida a partir da divisão populacional do estado em relação ao número dos crimes.

ROUBO DE VEÍCULOS

Em relação aos crimes não letais, o número de roubos de veículos no estado apresentou aumento expressivo. Foram 3.891 em 2016, média de 10 ocorrências deste tipo por dia, ou 516,2 a cada 100 mil veículos. Em 2015, 3.158 roubos de veículos haviam sido registrados, um crescimento na ordem de 23%.

A Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP-AL) afirmou por meio da assessoria de comunicação que em relação ao roubo de veículos há uma taxa de recuperação de 60%.

ANUÁRIO

O anuário é construído com base em informações coletadas pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e Secretarias Estaduais de Segurança Pública. Alagoas figura entre os grupos com melhor precisão no fornecimento das informações.

Acerca disso, a Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP-AL) afirma que o estado teve destaque pela credibilidade das informações. “Os dados do Anuário estão em concordância com os registros do Núcleo de Estatística e Análise Criminal (Neac) da SSP/AL. Por conta da credibilidade das informações fornecidas ao fórum de Segurança Pública, Alagoas foi incluída no Grupo 01, que é composto pelos estados que apresentaram a melhor qualidade nas estatísticas”.

CRIME CONTRA A MULHER

Os estupros e tentativas de estupros apresentaram redução nesta edição do anuário. Os números indicam 9,2 a menos de registros em 2016, um total de 500, se considerado o ano de 2015, onde foram contabilizados 548. Em relação às tentativas de estupro, foram 52 em 2016, onze a menos que no ano anterior, que registrou 63 casos.

Houve queda de 2,1% no número de crimes violentos letais e intencionais contra mulheres. Foram 94 em 2016, dois crimes a menos que no ano anterior. Os casos caracterizados como feminícidio tiveram alta de 37% considerando o primeiro ano de aplicação da lei. Foram nove registrados em 2015, e no ano seguinte, 35.

De acordo com secretário de Segurança Pública, coronel Lima Júnior, os investimentos do governo Renan Filho atuam de forma significativa para redução dos índices no estado. O apoio da população por meio do disque-denúncia é ressaltado pelo coronel como indispensável.

“É um momento de comemoração, mas de consciência de que há muito que fazer até porque o cenário da violência no Brasil mudou e temos atuado muito para seguir reduzindo a violência e mantendo a sociedade alagoana segura”, afirma.

Fonte: Tribuna Independente / Evellyn Pimentel

Comentários

MAIS NO TH