Greve dos servidores da Saúde Municipal é julgada legal pelo TJ - Tribuna Hoje - O portal de notícias que mais cresce em Alagoas Tribuna Hoje - O portal de notícias que mais cresce em Alagoas

Saúde

19 Mai de 2017 - 16:06

Greve dos servidores da Saúde Municipal é julgada legal pelo TJ

Paralisação durou quase três meses e Tribuna de Justiça sinalizou legalidade da ação de servidores
Assessoria / Sineal
Sineal durante caminhada no Centro da capital (Foto: Assessoria / Sineal) Sineal durante caminhada no Centro da capital (Foto: Assessoria / Sineal)

O Sineal (Sindicato dos Enfermeiros do Estado de Alagoas) continua na luta em defesa da classe de enfermagem, e destaca a posição do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ/AL), no julgamento dos autos em sessão ordinária, na qual, decidiu por unanimidade dos votos, que a greve dos servidores públicos da Saúde Municipal, com início no dia 22 de fevereiro de 2016 e que durou cerca de três meses, foi legal.

Rosimeire Machado, presidente do Sineal, foi enfática ao afirmar que a decisão do Tribunal deixa claro, que a união faz a força. “Só temos a agradecer por todo o empenho das enfermeiras de 30 e 40 horas do Município de Maceió, que não limitaram esforços para se fazer presentes nas caminhadas e paralisações, sempre nas ruas gritando com palavras de ordem. Fazendo com que fossemos vitoriosos nesta luta pela melhoria do salário e condições de trabalho, reformas das unidades e segurança”, ressaltou.

O Município de Maceió, na decisão, foi condenado a pagar honorários advocatícios.

Para Renilda Barreto, vice-presidente do Sindicato dos Enfermeiros do Estado de Alagoas, a decisão do pleno do TJ traz mais uma vitória das entidades sindicais em prol dos trabalhadores, e comemora o julgamento no sentido de garantir os direitos dos profissionais, inclusive o de greve.

Comentários

O Tribuna Hoje coloca este espaço à disposição de todos que queiram opinar ou discutir sobre os assuntos que tratam nossas matérias. Partilhe suas opiniões de forma responsável e educada e respeite a opinião dos demais.

Digite o código abaixo para enviar seu comentário.