Atriz Neuza Amaral morre no Rio de Janeiro aos 86 anos - Tribuna Hoje - O portal de notícias que mais cresce em Alagoas Tribuna Hoje - O portal de notícias que mais cresce em Alagoas

Brasil

19 Abril de 2017 - 15:03

Atriz Neuza Amaral morre no Rio de Janeiro aos 86 anos

Além de vários sucessos na TV, ela também teve grandes atuações no cinema e foi vereadora
G1
Neuza Amaral em cena da novela O Pulo do Gato, de 1978 (Foto: Cedoc/TV Globo) Neuza Amaral em cena da novela O Pulo do Gato, de 1978 (Foto: Cedoc/TV Globo)

Morreu nesta quarta-feira (19) no Rio, aos 86 anos, a atriz Neuza Amaral. A informação foi dada pela GloboNews e confirmada por familiares e pelo Hospital São Vicente de Paula, na Tijuca, onde ela estava internada desde sábado (15). Segundo parentes, a atriz sofreu uma embolia pulmonar. Ela deixa um filho e dois netos.

Neuza nasceu no interior de São Paulo, mas foi no Rio de Janeiro que ela construiu sua trajetória na teledramaturgia. Ela começou a carreira na década de 1950, trabalhando na recém-inaugurada TV Tupi.

Seu ingresso na TV Globo ocorreu após convite do diretor Boni para trabalhar na novela “A grande mentira”, papel que ela considerava ter sido o maior que representou na televisão.

Em mais de 60 anos de carreira, Neuza Amaral acumulou cerca de 50 produções, entre novelas, séries e especiais, cerca de 20 longas-metragens e 16 peças teatrais.

Atriz Neuza Amaral em cena da primeira versão da novela Selva de Pedra, em 1972 (Foto: Cedoc/TV Globo)

Entre as participações em novelas da Globo, estão obras como "Selva de pedra" (1972), "O Pulo do gato" (1978), "Cabocla" (1979), "Plumas e paetês" (1980) e "Paraíso". Seus trabalhos mais recentes foram "Senhora do destino" (2004), "Páginas da vida" (2006), "Cobras & lagartos" (2006) e "Pé na jaca" (2007).

A atriz também se aventurou no cinema, participando de mais de 20 filmes, incluindo "O que é isso, companheiro?", de Bruno Barreto, em 1997.

Neuza Amaral chegou a ser vereadora no Rio na década de 1990, o que acabou afastando a atriz dos trabalhos na TV. Também trabalhou para a prefeitura da cidade Araruama, na Região dos Lagos, onde morou.

A morte da atriz foi lamentada pela deputada estadual do Rio de Janeiro Cidinha Campos, que em redes sociais destacou que eram amigas havia 60 anos.

Grande defensora da cultura, Neuza ajudou no incentivo à leitura. Amante da dramaturgia, sentia saudades de atuar e costumava dizer que amava a profissão e que interpretar estava no sangue.

“Interpretar é ter arte no sangue. Eu amo tanto a minha profissão”, afirmou a atriz em entrevista ao Memória Globo.

Em 2008, Neuza Amaral lançou sua autobiografia, intitulada "Deixa comigo". A renda da publicação foi revertida para o Lar de São Francisco, asilo de idosos de Araruama.

“Quando cheguei ao Rio de Janeiro, aos 4 anos, não tinha nem cama para dormir. Usava um monte de jornais para quebrar a friagem do chão. Foi assim, uma luta bem grande”, contou a atriz ao narrar sua trajetória de vida, que poderia ser comparada a um enredo de novela.

Comentários

O Tribuna Hoje coloca este espaço à disposição de todos que queiram opinar ou discutir sobre os assuntos que tratam nossas matérias. Partilhe suas opiniões de forma responsável e educada e respeite a opinião dos demais.

Digite o código abaixo para enviar seu comentário.