'Desafio Água': estudantes alagoanos vencem concurso nos Estados Unidos - Tribuna Hoje - O portal de notícias que mais cresce em Alagoas Tribuna Hoje - O portal de notícias que mais cresce em Alagoas

Tecnologia

03 Abril de 2017 - 15:23

'Desafio Água': estudantes alagoanos vencem concurso nos Estados Unidos

Eles faturaram US$ 10 mil para desenvolver projeto de combate à seca
Evellyn Pimentel / Tribuna Independente
Alagoanos Maryllya e Guilherme estão entre os cem estudantes que participaram do concurso (Foto: Comunicação Ifal) Alagoanos Maryllya e Guilherme estão entre os cem estudantes que participaram do concurso (Foto: Comunicação Ifal)

Guilherme Damasceno e Maryllya Fonseca, estudantes de Gestão Ambiental do Instituto Federal de Alagoas (Ifal), em Marechal Deodoro venceram a última etapa do Desafio Água que ocorreu na Filadélfia (EUA), promovido pela Ambev. Com o prêmio de US$ 10 mil eles irão executar o projeto, voltado ao combate à seca em Major Izidoro.

Dentre 23 iniciativas inscritas, eles foram escolhidos entres os três melhores e ganharam uma viagem aos EUA para acompanhar a decisão do concurso. Além de Guilherme e Marylya, participam do projeto Emanoella Rodrigues da Universidade Federal do Recôncavo Baiano (UFRB) e Higor Cerqueira do Instituto Federal do Rio de Janeiro estudantes (IFRJ).

Além da premiação vão ter direito a um acompanhamento de mentores e vagas de trabalho bancados pela Ambev.

Estudantes venceram e garantiram premiação de 10 mil dólares (Foto: Divulgação)

PALMAS PRA VIDA

Tudo começou quando os estudantes iniciaram um intercâmbio no Instituto Politécnico de Bragança em Portugal em setembro do ano passado. Em parceria com outros dois estudantes brasileiros eles souberam do concurso e inscreveram a ideia.

A partir daí desenvolveram um projeto de reaproveitamento de água. Intitulado de “Palmas pra Vida” o projeto consiste em instalar um sistema de captação das águas residuais (águas cinzas), realizar tratamento e  irrigar plantações de palmas. No projeto piloto, a cidade de Major Izidoro foi escolhida para a primeira execução. Marylya é de lá e o pai agricultor.

“Essa tecnologia não é nova. Ela vem sendo usada e experimentada pelo Instituto do Semiárido. O nosso principal foco foi descobrir porque essa tecnologia não está sendo replicada no Nordeste brasileiro. Os projetos existentes focavam no produtor e não em disseminar a tecnologia para a população. A nossa ideia é implantar em uma escola e essa escola servir como centro de replicação para os agricultores daquela área, para os alunos da Educação de Jovens e Adultos (EJA), que inicialmente também são produtores rurais”.

O concurso foi promovido pela Ambev em parceria com a Associação de Estudantes Brasileiros no Exterior (Brasa), maior organização deste tipo fora do país. Cerca de cem brasileiros que estudam na China, nos Estados Unidos, na Inglaterra, na Alemanha e em Portugal inscreveram seus projetos.

Além do “Palmas pra Vida”, foram selecionados os projetos LDAPs & Banheiros Comunitários, de estudantes brasileiros nos Estados Unidos, que pretende eliminar por tratamentos as bactérias do esgoto; e o Reciclágua, de alunos da Alemanha, EUA e Inglaterra, que sugere o reuso da água a partir de uma adaptação em fossas sépticas.

Comentários

O Tribuna Hoje coloca este espaço à disposição de todos que queiram opinar ou discutir sobre os assuntos que tratam nossas matérias. Partilhe suas opiniões de forma responsável e educada e respeite a opinião dos demais.

Digite o código abaixo para enviar seu comentário.