Após negar seleção brasileira, lateral ex-Grêmio é convocado pela Rússia - Tribuna Hoje - O portal de notícias que mais cresce em Alagoas Tribuna Hoje - O portal de notícias que mais cresce em Alagoas

Esporte

14 Março de 2017 - 12:12

Após negar seleção brasileira, lateral ex-Grêmio é convocado pela Rússia

Atualmente no CSKA, Mario Fernandes aparece na relação de convocados do técnico Stanislav Cherchesov
Globo Esporte
Mario Fernandes, em ação pelo CSKA, disputa bola com David Silva do Manchester City (Foto: AFP) Mario Fernandes, em ação pelo CSKA, disputa bola com David Silva do Manchester City (Foto: AFP)

Mario Fernandes vê seu sonho de disputar a Copa de 2018 cada vez mais próximo de se concretizar. Após se naturalizar e se tornar oficialmente cidadão russo no ano passado, o lateral-direito ex-Grêmio, hoje no CSKA, foi convocado pelo técnico Stanislav Cherchesov para defender a seleção da Rússia. Curiosamente, o jogador ficou conhecido, em 2011, ao se negar a defender a Seleção, após ser convocado por Mano Menezes.

O jogador de 26 anos ficará à disposição do comandante para os amistosos contra a Costa do Marfim, em 24 de março, e Bélgica, no dia 28. Vale lembrar: o país do Leste Europeu sediará a Copa de 2018 e, por isso, não disputa as Eliminatórias do continente.

O lateral se tornou cidadão russo em julho de 2016, após cumprir uma cláusula já prevista em sua renovação contratual, firmada em 2014. No CSKA desde 2012, Mario Fernandes coleciona 147 partidas, com dois gols anotados, e já sagrou-se campeão do Campeonato Russo na temporada 2012/13 e da Supercopa da Rússia, em 2013. O jogador de 25 anos se destacou no Grêmio, clube ao qual chegou em 2009. Em três anos, conquistou um único título, o Campeonato Gaúcho de 2010.

Em setembro de 2011, quando defendia o Grêmio, Mário Fernandes chamou a atenção de Mano Menezes, então técnico da Seleção, por suas atuações pela lateral direita. Foi convocado para o Superclássico das Américas, contra a Argentina, mas não se apresentou para jogar pelo Brasil. Na ocasião, sua assessoria explicou que ele não tinha condições psicológicas de defender a Seleção por causa de "problemas particulares responsáveis por uma alta carga de estresse".

Comentários

O Tribuna Hoje coloca este espaço à disposição de todos que queiram opinar ou discutir sobre os assuntos que tratam nossas matérias. Partilhe suas opiniões de forma responsável e educada e respeite a opinião dos demais.

Digite o código abaixo para enviar seu comentário.